Arquivo para agosto \29\UTC 2010

29
ago
10

Pulseira do Poder!

Depois do Mjolnir, das luvas de Thor, da pirâmide que trazia equilíbrio e do anel do humor que mudava de cor devido a temperatura e não humor, chegou a POWER BALANCE! A pulseira que aumenta seu equilíbrio de forma natural.

Pulseira que aumenta equilíbrio?! Má como?! – É tudo muito simples comissário! Esse cientista da NASA que a desenvolveu, explica tudo!

Consiste numa pulseira com um holograma quântico feito a uma frequência que entra em contacto com o campo energético do nosso corpo, aumentando a eficiência dos sistemas electrónicos, físicos e orgânicos do corpo. Dos seus benefícios, destacam-se a melhoria de equilíbrio, o aumento da força, uma maior amplitude de movimentos e um bem-estar geral, qualquer pessoa pode e deve usar.

Awwwwwwwww sim! Agora tudo faz sentido. Ufa, por um momento achei que essa pulseira fosse mais uma daquelas baboseiras pseudocientíficas, como Astrologia e afins.

Bom, imagens mostram mais que palavras, não é o que costumam dizer? Então abaixo segue um vídeo da prova sem valor algum que essa pulseira funciona.

Bem, isso prova tudo né. Um vídeo, duas pessoas. Cara, realmente depois dessa quem não acreditar nessa pulseira só sendo muito imbecil né? – PÉEEEEEEEEEEE ERRADO!

A sirene anti-porcaria-pseudo-placebo-científica apitando!!!! Por que será?

Acontece na realidade que essa porcaria de pulseira não funciona. Sabe por que? Pois sua explicação científica não faz o MENOR sentido. Um estudo feito numa universidade de física em Madri, comandada pelo professor Jesús Javier Rojo contou com a participação de 79 voluntários – e o mais importante – foram executados testes duplos cegos.

Nem os instrutores nem os voluntários sabiam quais pulseiras tinham o holograma e quais não tinham. Ao final do teste foi notado que a pulseira não fazia a menor diferença! Por que será né?

O fantástico aleatório desses domingos da vida (não vejo esse programa faz mais de anos) andou exibindo uma reportagem que essa pulseira foi colocada em foco também. O vídeo segue abaixo:

Essas pulseiras custam até 60 dólares, dependendo da fabricante, mas não chegam nem a custar 2 dólares para serem produzidas. Beleza não?

Isso é mais uma daquelas palhaçadas pseudo-científicas que se apóiam em um bando de palavras difíceis em sua explicação e como sempre a física quântica é utilizada como uma forma de “Ei, é algo experimental!” ou como diriam em inglês é “cutting-edge technology” ou tecnologia de ponta.

Isso parece aquelas receitas ridículas de “sucos” dos “famosos” que essas revistas imbecis de moda e corpo falam. Sucos que “tiram” a fome e você perde 4-5 quilos em uma semana. Coisas absurdas e perigosas que são publicadas de maneira livre e sem restrições para as pessoas. Pessoas mais desinformadas veem essas coisas e compram/executam sem o menor cuidado.

Aonde tiver pessoas assim, sempre existirão os espertos prontos para lucrar em cima. Cabe as pessoas mais informadas denunciar esse tipo de charlatanismo afim de que essas coisas se alastrem com menos violência.

Ai ai, eu e meu utopismo.

Um artigo mais completo sobre a fraude pulseira milagrosa está no Ceticismo Aberto – excelente site por sinal.

24
ago
10

Vacina Anti-lésbica!

Olá pessoas. Sim, estou sumido. Os motivos? Pessoais. Adianto de antemão – estou muito feliz e isso é parte de meu desaparecimento. Não temam! Não abandonei e jamais faria isto com o blog e quem me lê. Estarei sempre postando, mesmo que com intervalos maiores de tempo entre um post e outro. Bem, chega de papo furado e vamos ao que interessa.

Recentemente papeando sobre religião com familiares, soube de uma nova pérola do meio “científico” – A vacina que “previne” o lesbianismo em fetos, potenciais bebês, em gestação.

Isso mesmo! Acabe com as chances de seu bebê do sexo feminino nascer querendo pegar outras mulheres! Incrível!

Palhaçadas à parte, a invenção existe, mas obviamente é fundamentada na ignorância e fomentada por questões religiosas (meio quase que óbvio.)

Conceituada endocronologista, Maria New, afirma ter criado a solução para o lesbianismo. Uma injeção de estrogénio no feto, ainda em formação, impedindo assim (de acordo com a cidadã) que ao crescer essa futura “menina” seja lésbica.

Nossa que simples. Então homossexualismo esse tempo todo era uma questão de hormônios?! Nossa, como não pensamos nisso antes! Palmas para ela!

Errado. Algumas mulheres grávidas já se sujeitaram a essas vacinas e tiveram meninas com distúrbios devido a alta carga do hormônio. Uma delas tem uma filha de 3 anos com uma fome desmedida. Isso a medicuzinha, não explica.

Não explica também como diabos mulheres que tomam pílulas por anos, não deixam de ser lésbicas. Mesmo expostas a altas doses do hormônio. Esse conceito de que “homossexualismo” é fisiológico/renal é coisa do século XIX e completamente descabido e ultrapassado.

Complicado que o “estudo” dessa cidadã saiu em forma de artigo científico de publicação respeitada no meio. Como pode? Pois é.

A questão é que não existem motivos fortes que levem uma possível “causa” da homossexualidade para este lado. Nem sequer é considerado uma patologia (para profissionais com conhecimento metodológico correto). É uma incógnita e que ao meu ver sequer seria motivo para gasto de dinheiro de verbas com pesquisa. Por que diabos inventar uma vacina “anti-gay”? Desde quando ser gay ou lésbica, impede o desenvolvimento e expectativa de vida de alguém? Por diabos, vá pesquisar alguma vacina que REALMENTE IMPORTA!

Doutora Maria New, você acabou de conseguir um troféu FALHA ÉPICA para sua coleção de títulos. Infelizmente.

E por favor, aos homofóbicos de plantão, não pensem que esse tipo de absurdo possui algum fundo de razão. Questões simples já foram levantadas mediante ao estudo dessa cidadã e ficaram sem respostas. Questões bem óbvias que por si só já praticamente desmoralizaram os fundamentos em que se baseiam. Portanto, sem gracinhas.

Ai segue uma fonte da notícia -> clique aqui.

A quem interessar, a cidadã -> Maria New, MD.

08
ago
10

Anti-teísmo?

Comum ao afirmarmos que algo é ruim. Mais comum ainda é, quando isto ocorre, sermos rotulados como generalizadores ou exagerados.

“Seu ponto de vista é limitado! Você só vê o lado ruim da coisa!” ou “Não é assim. A maioria pode até ser, mas tem aqueles que não são assim no (insira aqui o grupo criticado)!”

E ao ouvirmos isso normal fazermos aquela cara de bunda e concordar com a pessoa que lançou esse argumento.

Acontece que…isso é um argumento?

Existem muitos assuntos que são quase que concordâncias universais e jamais são vítimas do argumento “generalização precipitada” ou “tendenciosa”. Exemplo disso? Nazismo.

Se falarmos “O nazismo era horrível!” dificilmente ouviremos “Aw, não exagere! O Nazismo não era de todo mal. Tinham alguns nazistas que nem eram radicais…”

Creio eu que esse tipo de coisa não ocorra, pois normalmente o termo “nazista” é utilizado quando queremos demonstrar que algo é radical ao extremo ou por simplesmente jamais conseguir nos sentir bem ao demonstrar simpatia por algum produto nazista. Claro que isso exclui os neo-nazistas ativistas.

Alguns outros assuntos devem se encaixar nessa quase que imunidade da “generalização”. Isso deixo aos leitores, como reflexão, pensar e identificar alguns assuntos que se encaixam nesse perfil.

Bem o ponto do meu post não é esse. O ponto é até onde generalizar na religião poderia de fato ser considerado como um argumento?

Digamos que em discussões, é fácil apontarmos nos dias de hoje (vamos deixar o passado de fora, por agora) o quão alienante as mídias evangélicas podem ser. Falo mídias, pois eles estão se expandindo de diveeeeeersas formas distintas. Internet, rádios, jornais e canais de tv dedicados 24h a propagar a doutrina evangélico-cristã.

O que encontramos nesses canais? Doutrinação de crianças e jovens, homofobia, preconceito, racismo e apologia a diversos dogmas cristãos completamente infundados. Sem contar na pitada de misticismo de algumas igrejas onde os pastores AFIRMAM operar milagres.

Certeza que já terão pessoas que ao lerem o ultimo parágrafo começarão a esboçar os primeiros sinais do “Awww mas você está generalizando! Nem todos os pastores são assim!”

De fato, nem todos os pastores são assim. Mas ai jaz a cerejinha do sundae. O ponto desse post. Aonde estão os “bons religiosos” nessa hora?

Os fanáticos surgem, propagam idéias completamente surreais e vendem idealismos recheados de ódio e preconceito. Não satisfeitos, sugam até o último centavo dos fiéis e vendem curas milagrosas que não curam nada. Enquanto de um lado as pessoas mais esclarecidas lamentam por isso, os religiosos não fanáticos e moderados, pertencentes aquele mesmo grupo dos fanáticos, fazem o que? Nada.

Eles deixam os bandidos e mau-caráteres, se instalarem de maneira legítima. Sem nenhuma forma de combate ou esclarecimento. Isso ocorre em diversos meios. Sempre sob uma liberdade incondicional e vetada de qualquer embate. Não digo de proibir a execução destes cultos, claro. Não irei entrar no mérito da liberdade de culto, protegida por lei. Digo em tentar levar esclarecimento dentro das próprias igrejas para abrir o olho dos religiosos para estes tipos de prática.

Para condenar gays, ateus, lésbicas e quaisquer outro grupo que julgam “demoníacos” eles não poupam discursos ou esforços. Mas para combater os charlatões e enganadores dentro de seus próprios grupos a coisa muda.

Seria algo “Bom, ele é radical e eu jamais concordaria com esse papo de cura milagrosa, mas bem ou mal ele tá levando a palavra de Deus…” Porra! Espero que não! Os meios justificam os fins?! Caramba, que cristão esse pensamento!

Seria religião de todo mal? Estaríamos generalizando? Podemos citar a religião como algo bom em casos isolados. Um ou outro que largou as drogas, mas virou um religioso quase que fanático. Alguém que ia se matar e encontrou conforto em uma religião. Alguém que perdeu um parente próximo e sente-se melhor por crer que o verá em breve novamente.

Mas por outro lado, temos fatores globais tão fortes que podem nos levar a concluir que religião nos dias de hoje causam muitos males e são um dos fatores que mais disseminam preconceitos. Quer pior inimigo a oficialização do matrimônio gay? Não consigo ver sequer UM ARGUMENTO BEM EMBASADO, que demonstre um bom motivo para que o casamento gay não seja aceito. Todos os argumentos tem embasamento bíblico forte, até os mais desenvolvidos acabam esbarrando em uma passagem bíblica no final.

Estamos em 2010, mas sinto que isso só tende a piorar e se firmar. Temos o Crivella (evangélico ferrenho) como senador, Garotinho também, José Serra maldizendo ateus em comícios com maioria religiosa e uma febre cristã crescendo. Aw e até na medicina! Médica norte-americana que criou vacina “anti-lésbica”. (Motivo de meu próximo post, por sinal).

Era das trevas…?

06
ago
10

Rio 2234

Rio de Janeiro 2234. Estado de guerra.

A quase 200 anos atrás o Rio era conhecido como a cidade maravilhosa. Já tinha problemas com violência e o dito poder paralelo na época. Só que tinha muita gente rica por aqui e conseguiam manter uma certa ordem. A coisa foi piorando. Precisavam ver o fiasco que foi a copa de 2014. O último evento feito aqui. Os jogos olímpicos de 2016 foram cancelados devido a condição do estado.

Era neguinho atirando pra tudo que é lado. Confronto com a polícia. Nego sangrando bem no meio do asfalto. Acredita que acertaram uma granada no ônibus da seleção Francesa? Sobraram só 4 vivos. O técnico e mais uns jogadores. O presidente declarou estado de sítio e emergência no estado. Convocaram o exército. Ai parceiro, a merda tava feita!

O que aconteceu: O exército chegou, completamente despreparado. O BOPE, uma polícia de elite da época, já tava em frangalhos devido ao corte de verbas. O que ninguém sabia era que o governador tava envolvido na insurreição. Parceiro, ele basicamente comeu pelas beiradas. Tirava do BOPE e das Policias Civil e militar e com lavagem suja dava pro tráfico.

O exército já pobre e com policias sem recurso. Invadiram os morros. Parceiro dai? Foi um massacre.

O Rio de Janeiro se emancipou. Conseguiu o que o Rio Grande do Sul queria a anos. Se separou do Brasil. O Governador já tinha todo o esquema do show pro palco internacional montado. Foi fácil conseguir reconhecimento da maior parte dos G8 e da ONU do Soberano Estado da Guanabara. O Rio agora era um país.

Os anos foram se passando. Por volta de 2129 teve-se um colapso econômico. Eu nem sou estudioso de história, mas tinha algo a ver com lastro em ouro. Coincidência com a crise de 1929? A data sim.

Dai cabou. Os países ricos que vinham investindo em países emergentes como o Brasil e a nova República da Guanabara rancaram seus dinheiros daqui e injetaram em seus países. Rapaz, foi engraçado, pois o Brasil dizia gozar de uma forte economia e toda a palhaçada de uma tal de PETROBRAS que dizia ser auto-suficiente em petróleo. Adiantou de nada.

As FARCs por volta de 2200 estavam no bolso norte americano. Claro que isso sem ninguem saber. Eram agora uma espécie de controle “extra-oficial” Norte Americano. O Brasil não tinha mais dinheiro nem forças armadas. Dai parceiro foi só entrar e passar o rodo.

O Brasil hoje? Um lugar hostil, dominado por FARCs de um lado e rebeldes aleatórios do outro. Cada grupo com um ideal e uma causa sempre com o papo político no fundo. Eles querem só é dinheiro parceiro, dinheiro! As antigas facções criminosas do Rio foram expulsas depois do governador conseguir o que queria. Agora graça aos nosso amigos Alemães conseguimos nos manter de pé aqui pelo Rio.

Desde 2190 graças a uns favores (desenvolvimento de tecnologia a baixissimo custo) a Alemanha e mais uns Europeus ai são nossos aliados. Pois é, temos uns gênios por aqui que conseguem bolar idéias do nada. Só vendo parceiro! Os caras fazem energia com um saco de mercado! É muita loucura.

Eu? Meu apelido no grupo é “Justiceiro”, por causa daquele personagem de revista antigão. Uso uma caveira igual a dele no braço. Sou um oficial das forças armadas da República da Guanabara.

Desculpem o parco conhecimento histórico, pra deixar vocês a par da situação atual, mas não sou pago pra ser intelectual e sim para matar.

Meu serviço? Patrulhar a fronteira e proteger a supremacia da República da Guanabara.

Bem vindos ao Rio, cidade maravilhosa. 8 de julho de 2234.

Considerem-se formados no treinamento militar mais ferrenho de todos.

Nem pensem em sequer respirar. O pior começa agora senhores!

Um grito é ouvido pela sala. Enquanto discursava havia um grupo de mais de 300 soldados a sua frente. Todos prontos para a guerra que estaria por vir…

03
ago
10

O Gene egoísta – Intro

Olá!

Tempos sem postar, férias. Férias que aproveitei absurdamente bem. Foram ótimas. Agora as aulas começaram junto com os estudos.

Recentemente adquiri O Gene Egoísta (presente de minha namorada ninja que encontrou a edição de 89 ainda!) do ilustre Biólogo/Zoólogo Richard Dawkins. Estava atrás deste livro fazia um tempo e agora finalmente tenho minhas mãos sobre ele. =)

Logo no início, feita as considerações e resenhas têm-se a introdução do próprio Dawkins a respeito do livro.

O nome vem da conclusão e argumento central do livro – Somos máquinas programadas por nossos genes com intuito de replicá-los e assegurar sua sobrevivência. Escravos guiados por nossos genes. Egoísta pois teoricamente nossos genes nos usam para que se repliquem (reproduzam-se) com intuito de sobrevivência.

Dawkins analisará os comportamentos percebidos em nós humanos e nos animais – Egoísmo e Altruísmo.

De acordo com Dawkins, até mesmo por questões genéticas, somos egoístas. E infelizmente (isso frisado até mesmo por ele) os egoístas tem maior chance de sucesso (não só em humanos, mas especialmente nas outras espécies). Algo curioso a respeito disso foi a menção que ele faz ao dizer que temos de ensinar nossos filhos valores altruístas, como se importar com o próximo, repartir e ajudar. Normalmente só o fazemos diante a uma atitude egoísta da criança. Como se fosse natural querermos nosso benefício próprio acima do próximo. Ao ensinarmos práticas altruístas estaríamos nos “rebelando” contra nossos genes? Uma pergunta que faço e espero que seja respondida ao longo do livro.

O livro não serve de guia moral e nem tenta passar isso. O próprio Dawkins deixa isso bem claro, que o que se encontra no livro, são constatações provenientes de seu estudo e análise de artigos.

Se as pessoas ao lerem o livro se sentirem satisfeitas para praticar atitudes egoístas com a desculpa que estão apenas seguindo “sua natureza”, por favor menos cara de pau e mais inteligência.

Em suma – esse post introdutório será o primeiro de uma série que farei acerca de cada capítulo ou argumento que eu achar interessante no processo de leitura. Tentarei trazer a visão do autor juntamente com a minha de concordância ou discordância.

Então nos próximos posts saberemos mais acerca do livro e uma das correntes da sociobiologia. A memética e a teoria da evolução cultural, creio eu, serão um dos capítulos mais empolgantes!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.