Posts Tagged ‘Música

11
abr
11

Paranoid

A letra dessa música diz MUITO. Mesmo.

Finished with my woman ‘cause she couldn’t help me with my mind
People think I’m insane because I am frowning all the time
All day long I think of things but nothing seems to satisfy
Think I’ll lose my mind if I don’t find something to pacify
Can you help me occupy my brain?
Oh yeah
I need someone to show me the things in life that I can’t find
I can’t see the things that make true happiness, I must be blind
Make a joke and I will sigh and you will laugh and I will cry
Happiness I cannot feel and love to me is so unreal
And so as you hear these words telling you now of my state
I tell you to enjoy life I wish I could but it’s too late

Anúncios
07
fev
11

3650 dias

Como um carimbo.

É assim que a música funciona comigo. Vivo momentos e alguns deles se associam a músicas.

Eu não curto música e raramente escuto elas. Verdade. Isso não significa que um viciado que escuta rádio todo dia goste de música mais do que eu.

Na verdade eu não sei se gosto de música de verdade. Quando escuto as que seleciono, lembro dos momentos que eu associei a elas. A música em si pouco importa e sim as lembranças e emoções que elas evocam.

Para mim música é isso. Um instrumento poderoso de memorização. Com aquelas músicas que eu não consigo fazer links emocionais, simplesmente analizo-as de um ponto de vista mais superficial. Letra, melodia…acho que por ai.

Talvez por isso eu escute tão pouco ou não fico procurando música, bandas novas ou procurando o último CD daquele artista…não é assim que funciona para mim.

Músicas…são poucas, mas irei bem de vez em quando dividir essas poucas que me dizem algo…que me recordam momentos…como essa agora. “Ten Years Gone” do Led Zeppelin.

Comentário feito no vídeo. Achei genial.

“John Bonham died only cause God needed drum lessons.”

26
abr
10

Muse²

Mais uma vez, starlight, música que venho ouvindo um bocado. Me remete algumas pessoas em certas estrofes. Ai segue o link, uma versão ao vivo muito boa!

My life
You electrify my life, let´s conspire to re-ignite
all the souls that would die, just to feel alive

I’ll never let you go
If you promise not to fade away, never fade away…

Essa abaixo é Knights of Cydonia, versão ao vivo também que curto muito!

Não sou um cara musical, mas espero tornar esse posts mais frequentes. =)

17
nov
09

Achilles Last Stand

Esse post será simplório, mas gostaria de falar um pouco sobre uma das músicas que mais gosto do Led Zeppelin. Tanto em letra quanto em melodia. Redundante dizer que ela é inspiradora e épica. Pelo menos o que sinto ao ouvir essa música é uma batalha com proporções gigantescas sendo travada. Protagonizada por Aquiles.

Essa música está no álbum “Presence” e possui diversas histórias a seu respeito. Uma delas diz que Plant criou a letra quando estava no hospital, após sofrer um acidente de carro e machucar o seu tendão de aquiles. Os médicos lhe disseram na época que dificilmente ele voltaria a andar. Dai o título “Achilles Last Stand”, seria algo como “A última resistência” ou “luta” de Aquiles (no caso o seu tendão). Não consegui achar uma tradução satisfatória para “Last Stand” ainda. Procurei e não achei nenhuma boa o bastante.

Logicamente se olharmos a letra iremos ver que ela possui diversas menções a mitologia grega e metáforas com conteúdo “épico” (como adoro repetir isso hehehehehe). Fiz uma tradução minha da letra, consegui achar uma versão correta em inglês (como existem versões erradas por ai) e resolvi brincar.  =)

Era uma manhã de Abril, quando eles disseram que iríamos partir
E quando olhei para você, você sorriu para mim, como poderíamos dizer não?

Toda a diversão que teríamos, viver o sonho que sempre tivemos
Todas as canções que cantaríamos, quando finalmente retornássemos

Mandando um beijo de relance, para aqueles que afirmam saber
Abaixo as ruas enevoadas e simbilantes, o diabo está na sua toca

Oh velejarmos, para terras arenosas e outros dias
Oh para acreditar nos sonhos, escondidos e nunca vistos

No sol o sul e o norte, enfim os pássaros voaram
As algemas de aprisionamento cairam, em pedaços pelo chão

Oh caminhar pelo vento, andar no ar acima do estrondo
Oh rir alto, com olhos dançantes provocamos a multidão!

Procurar o homem cuja a mão aponta, o rastro do gigante revelou-se
Para nos guiar no caminho tortuoso, que agita-se em pedras

Se um sino soar, em celebração por um rei
Tão rápido o coração deverá bater, tão orgulhosos e com os pés firmes!

Dias se passaram quando eu e você, nos banhamos no eterno calor dos verões
E bem distante, nossa criança mútua cresceu

Oh o doce refrão, acalma a alma e aplaca a dor
Oh Albião permanece, dormindo agora para levantar-se de novo

Andanças e andanças, Qual lugar para repousar a busca
Os poderosos braços de Atlas, seguram os céus a partir da terra

Oh os poderosos braços de Atlas, seguram os céus a partir da terra!
Eu reinarei, reinarei, reinarei…

Bom essa é minha tradução da letra. Logicamente, tem coisas que estão fora de minha compreensão, portanto ela não é muito precisa e pode parecer meio piegas em alguns pontos. Dane-se. x)

Abraços a todos!

14
nov
09

Inspiração latente…

Buenas tardes a todos. Sei que ando meio relapso com o blog, não estou conseguindo manter meu ritmo de todo dia postar algo novo. Algumas vezes isso é bem difícil, outras simplesmente não tenho o que postar. Ultimamente tenho estudado (tenho trabalho pra entregar segunda) além de estudos por conta própria. Isso é ótimo, mas infelizmente me atrapalha o “meio-de-campo” com o blog. Irei falar um pouco neste post sobre a estória da princesa/príncipe e um pouco de como inspiração funciona comigo…se é que posso dizer “funciona” para isso hehehehe.

Este conto em específico, foi uma experiência catártica. A inspiração principal foi uma música, chamada Maenam do jogo Braid (mais detalhes do jogo aqui). Essa música faz parte do álbum Hidden Sky da Jami Sieber (músicas para ouvir aqui).

Por incrível que pareça não sou “fã” de música como normalmente as pessoas são. Gosto de música e ouço, mas muito pouco. Por exemplo para tarefas que me exigem atenção ou certo raciocínio, música atrapalha. Aquele som que ficaria tocando “ao fundo” ao invés de me ajudar acaba por me atordoar.

Esse caso foi uma raríssima exceção. Produzi algo inteiramente inspirado por essa música e por pequenos eventos de minha vida. Claro também um bocado de fantasia. O elemento principal foi uma música, responsável por desencadear todo o processo criativo, composto por essas outras pequenas coisas. Pessoas, memórias, lugares, estórias e outros contos foram as minhas múltiplas fontes de inspiração.

Curioso pensar no poder que a música pode ter se deixarmos. Lembro que os primeiros versos eu escrevia de olhos fechados (já gravei o teclado e a posição das teclas, UBBER nerd =P ) depois só ia corrigindo pequenos erros e colocando as sentenças de modo fazer algum sentido. A priore não mudei muita coisa, pois queria que esse conto fosse algo que refletisse o “interior emocional” sem que a “razão” desse “pitaco”. Queria algo o mais transparente possível quanto a isso.

Particularmente gostei do resultado e por incrível que pareça a estória fez algum sentido pra mim. Brinquei com muitas metáforas e fiquei satisfeito. Provavelmente muitos leram e não entenderam lhufas. Normal. Esse conto eu não foquei em uma narrativa ou “plot” para construção da estória. Escrevia a medida que as palavras iam surgindo. Alterei o mínimo possível para que fizesse pelo menos algum sentido (até mesmo para mim, hehehehehe).

Pretendo escrever mais contos assim. Ultimamente esse tipo de inspiração forte não tem surgido, esse conto foi algo único e totalmente inédito para mim. Tenho expectativas que isso seja algo “treinável” para poder ter momentos como estes com maior facilidade. Espero que tenham gostado de ler o conto tanto quanto eu gostei de ter feito!

Abraços a todos e até breve!

Obs – Não esqueci do caso de John, do Cultos a Carga, irei em breve falar sobre isto!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.