Arquivo de setembro \14\UTC 2011

14
set
11

Finito

Existem dias que eles caminham para pontas…outros para curvas.
Existem aqueles que eles nem sequer caminham. Ficam parados olhando as placas de sinalização.
Manchadas, borradas e totalmente apagadas. Não sabem nunca ao certo o que o horizonte reserva.

Existem outros dias, daqueles, que querem sangrar de ódio e chorar de alegria. Dias bipolares.

Ainda sim caminham a passos largos uns, quase parando outros. Não importa para onde, são como balas perdidas chocando-se e furando os ares do “por ai”.

Não importa o quanto tentam mudar, resistir ou pensar – no final são 2 pontos que constróem uma reta – Nascimento e morte, os vértices constituintes. Reta finita.

Pobres deles, seres mortais e finitos! Ainda contam com superstições de que suas retas se prolongam após o final. Talvez de um plano X somente, continuem no Y. Não há Y. Não entendo por que eles insistem tanto nessas baboseiras.

Pobres deles! Se matam, cansam, desgastam e nada! Continuam miseráveis vivendo de pequenas migalhas de alegrias. Seus intelectuais, como eles costumam dizer, blindam suas existências com ideias – chamadas de “filosofias de vida” – de “viver cada momento” ou “aproveitem o hoje, pois amanhã é outro dia”. Ideias óbvias. Lógicas. Irrefutáveis.

É. Eles descobriram a pólvora.

Continue respirando máquina. Repouse suas horas biólogicas necessárias. Amanhã é outro dia. Sequência maldita. Colecionem horas. Subtraiam tempo. Pereçam.

Engrenagens, ferrugem, ácido e óleo. Oxidando…oxidando…oxidando…

Único jeito de trapacear suas condições naturais. É. Curiosamente eles foram capazes de trapacear a morte, o fim, a finitude de suas curtas retas. Através de legados ideais! Sim! Deixaram conhecimentos – aquilo que realmente vale – tornando-os vivos a cada momento que são citados ou lembrados por outras retas.

Quer a imortalidade?

Contribua.

 




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.