Posts Tagged ‘Ceticismo

22
maio
11

O motivo de crer : Introdução

Começarei uma série de posts que abordarão este tema. O motivo, o cerne, o por que, o tal qual, a mola propulsora, o sentido da vida (para muitos) – A crença religiosa. Não irei apontar uma religião específica tampouco um deus qualquer. Irei falar de modo geral dessa tão dita “virtude” – a fé no divino.

Gostaria de deixar claro de antemão que não irei cobrir todos os motivos existentes (seria, digamos, impossível) irei tratar apenas dos que eu conheço e entendo. Os mecanismos que levam esses poderosos memes a se replicarem e mutarem (em bastante casos) com tanta facilidade e velocidade.

Eu não saberia dizer quando exatamente a crença em algo misterioso e superior, uma espécie de criador oni-tudo começou, mas posso falar muito bem sobre como existe hoje.

Quanto mais procuro, menos sentido a existência de um deus faz. Intrigante ver o quão diferente as pessoas possam ser a ponto de bilhões dela pensarem completamente diferente. Mesmo. Extremo opostos. Algo como quase eu zero e eles um.

Hoje mesmo supostamente deveria ser o fim do mundo para um grupo de evangélicos norte americanos que logicamente tem espaço aqui no Brasil. Pude ver em diversos ônibus circulando pela cidade (Niterói/RJ) a propaganda do fim do mundo e o início do arrebatamento hoje. Eles afirmam ter provas bíblicas irrefutáveis deste evento. Nada aconteceu. Isso os torna mentirosos? Idiotas? Ou o que?

Seria a crença deles no fim do mundo hoje tão absurda assim? As pessoas acreditam que um espírito engravidou uma mulher, que seu filho 33 anos mais tarde foi morto e ressuscitou 3 dias após. Seu pai teria assistido tudo lá de cima e nada fez, pois era parte de um plano maior seu filho ser surrado até a morte. Sem falar em outros absurdos bíblicos, como Adão e Eva. Isso não torna qualquer cristão idiota, mas aqueles que achavam que o mundo ia acabar hoje com base em estudos bíblicos são idiotas. São alvo de chacota de outros grupos cristãos.

Curioso não?

Vejo muitos cristãos criticando o Bolsonaro (ficou famoso após polêmicas declarações homofóbicas no CQC), mas se pararmos para pensar ele sim estaria mais próximo dos valores bíblicos que estes cristãos que o criticam. Não lembro de nenhuma passagem bíblica que dissesse ou desse a entender que o homossexual era algo a ser respeitada e compreendida. Aliás o único cristão famoso que vi dizer isso foi Chico Xavier em um programa de entrevista da extinta rede Tupi.

Não consigo deixar de notar certas incoerências. O papo que rola é “Awww mas nós filtramos as coisas ruins da bíblia né! Não vamos levar tudo ao pé da letra!” – Claro. E quem seríamos nós para dizer o que presta e o que não presta no que chamam de ESCRITURAS SAGRADAS. Foi DEUS quem escreveu aquilo. Como ousa interpretar/filtrar tais palavras?

Começarei por partes. Próximo post irei especificar os motivos do crer das pessoas que conheço. Contextualizarei/tecerei comentários acerca.

Anúncios
29
ago
10

Pulseira do Poder!

Depois do Mjolnir, das luvas de Thor, da pirâmide que trazia equilíbrio e do anel do humor que mudava de cor devido a temperatura e não humor, chegou a POWER BALANCE! A pulseira que aumenta seu equilíbrio de forma natural.

Pulseira que aumenta equilíbrio?! Má como?! – É tudo muito simples comissário! Esse cientista da NASA que a desenvolveu, explica tudo!

Consiste numa pulseira com um holograma quântico feito a uma frequência que entra em contacto com o campo energético do nosso corpo, aumentando a eficiência dos sistemas electrónicos, físicos e orgânicos do corpo. Dos seus benefícios, destacam-se a melhoria de equilíbrio, o aumento da força, uma maior amplitude de movimentos e um bem-estar geral, qualquer pessoa pode e deve usar.

Awwwwwwwww sim! Agora tudo faz sentido. Ufa, por um momento achei que essa pulseira fosse mais uma daquelas baboseiras pseudocientíficas, como Astrologia e afins.

Bom, imagens mostram mais que palavras, não é o que costumam dizer? Então abaixo segue um vídeo da prova sem valor algum que essa pulseira funciona.

Bem, isso prova tudo né. Um vídeo, duas pessoas. Cara, realmente depois dessa quem não acreditar nessa pulseira só sendo muito imbecil né? – PÉEEEEEEEEEEE ERRADO!

A sirene anti-porcaria-pseudo-placebo-científica apitando!!!! Por que será?

Acontece na realidade que essa porcaria de pulseira não funciona. Sabe por que? Pois sua explicação científica não faz o MENOR sentido. Um estudo feito numa universidade de física em Madri, comandada pelo professor Jesús Javier Rojo contou com a participação de 79 voluntários – e o mais importante – foram executados testes duplos cegos.

Nem os instrutores nem os voluntários sabiam quais pulseiras tinham o holograma e quais não tinham. Ao final do teste foi notado que a pulseira não fazia a menor diferença! Por que será né?

O fantástico aleatório desses domingos da vida (não vejo esse programa faz mais de anos) andou exibindo uma reportagem que essa pulseira foi colocada em foco também. O vídeo segue abaixo:

Essas pulseiras custam até 60 dólares, dependendo da fabricante, mas não chegam nem a custar 2 dólares para serem produzidas. Beleza não?

Isso é mais uma daquelas palhaçadas pseudo-científicas que se apóiam em um bando de palavras difíceis em sua explicação e como sempre a física quântica é utilizada como uma forma de “Ei, é algo experimental!” ou como diriam em inglês é “cutting-edge technology” ou tecnologia de ponta.

Isso parece aquelas receitas ridículas de “sucos” dos “famosos” que essas revistas imbecis de moda e corpo falam. Sucos que “tiram” a fome e você perde 4-5 quilos em uma semana. Coisas absurdas e perigosas que são publicadas de maneira livre e sem restrições para as pessoas. Pessoas mais desinformadas veem essas coisas e compram/executam sem o menor cuidado.

Aonde tiver pessoas assim, sempre existirão os espertos prontos para lucrar em cima. Cabe as pessoas mais informadas denunciar esse tipo de charlatanismo afim de que essas coisas se alastrem com menos violência.

Ai ai, eu e meu utopismo.

Um artigo mais completo sobre a fraude pulseira milagrosa está no Ceticismo Aberto – excelente site por sinal.

21
maio
10

Jesus verossímel?

Digamos que em um futuro não muito distante consigam demonstrar que Jesus nunca ressuscitou de sua morte. Digamos que Jesus nunca houvesse feito milagres, tampouco fosse filho de uma virgem. Quais são as primeiras coisas que nos vem a mente?

A minha seria o ruir de inúmeras instituições religiosas que usam esse dogma da ressureição como base central para suas crenças. Imagino também diversas vertentes mais radicais que simplesmente iriam ignorar essa descoberta e continuar a cultuar esse “Jesus ressuscitado”.

Bom agora voltando a realidade, sabe-se que Jesus possivelmente tenha existido e é algo plausível. Temos os evangelhos os 4 oficiais do novo testamento e uns extra-oficiais. Além das cartas de Paulo. Fontes diversas citam a existência desse “Jesus” que nos é dito hoje. Historicamente falando, admitir a existência de Jesus é algo possível e plausível.

Acontece que o problema é justamente em evidenciar historicamente o Jesus “Ressuscitado” dos mortos. Vi um debate interessantíssimo a respeito disso com William Lane Craig (que me desapontou um bocado) e um historiador chamado Ehrman. Devo confessar que o debate poderia ter sido melhor se ambos não ficassem evitando responder as perguntas alheias. Enfim.

Bom o Ehrman levanta uma hipótese (diversas) afim de justificar de maneira mais provável o desaparecimento do corpo de Jesus da tumba, que é atestada pelos 4 evangelhos do novo testamento. Craig se prende em afirmar que a ressureição é a “melhor explicação” para esse fato, pois é atestado em diversas “fontes” independentes. Tais fontes seriam as cartas de Paulo e os evangelhos. Bem eu não considero essas “fontes” muito confiáveis, visto que um evangelho serviu de base para os outros, não sabemos quem escreveu os evangelhos (os títulos conhecidos por nós hoje “de Mateus”, “de Marcos” e por dai em diante). O evangelho de supostamente “Marcos” o mais antigo, foi escrito a uns 25-35 anos após a morte de Cristo. Seguido dos outros com intervalos de aproximadamente 10 anos entre eles. Portanto ao percebermos as semelhanças entre os fatos, poderíamos pensar que os evangelhos na verdade não seriam “fontes independentes” entre si, mas apenas influências uns dos outros. Isso é plausível ao meu ver. Isso explicaria a semelhança no “coração da narrativa” e as diferenças superficiais dos fatos.

A grande questão do debate em si é Lane Craig assumir que o argumento de Ehrman é falacioso, o seguinte argumento – “Milagres por definição, são eventos improváveis de se acontecer. Tão improváveis, que recebem o nome de milagres. Portanto afirmar que um milagre, como a ressureição é a melhor explicação para Jesus é algo que um historiador não pode cogitar.” Pois bem, Craig usa de uma complicada fórmula matemática, para demonstrar que esse argumento é falacioso.  O que ao meu ver, sinceramente, devido a falta de compreensão da fórmula fiquei sem saber se ela demonstrava ou não a falácia. Achei descabido Lane Craig utilizar deste tipo de recurso, visto que o tempo de debate era curto e mesmo ele indo “passo a passo” a quantidade de informações se perdia ao logo da explicação, dificultando e muito a clareza que Craig deveria ter.

A posição de Ehrman é nada mais nada menos que o princípio metodológico científico (história é uma ciência) da navalha de Occam. A hipótese da ressureição, por mais que aparentemente se encaixe nos evangelhos todos (ou fonte independentes, como Craig gosta de chamar) de maneira satisfatória, puxa questões maiores como – Deus existe? Quem é Deus? Que poderes ele tem? – isso sendo simplório.

Claramente Craig é influenciado pela sua total parcialidade devido a sua crença em toda a história cristã. Para Craig aceitar esse argumento de Ehrman seria difícil. Eu compreendo a necessidade de Craig colocar como a “melhor” explicação para Jesus e o sumiço do seu corpo o fato da ressureição.

Talvez se alguém me explicasse com maior facilidade o argumento matemático exposto por Craig, eu pudesse concordar que de fato há uma falácia neste pensamento de Ehrman, mas até então ele soa bem razoável para mim. A menos que diversas hipóteses já tenham sido exauridas para explicar o sumiço do corpo de Jesus da tumba e as visões que as pessoas tinham dele, não podemos concluir logo “de cara” a hipótese da ressureição.

Muita calma nessa hora Doutor Craig…

20
maio
10

Mediunicos charlatões

Quem nunca ouviu falar de ditos médiuns que no final foram desmascarados?

Pessoas que afirmavam ter um certo dom, que no final não passava de uma bela farsa? Houdini dedicou boa parte de sua vida em desmascarar o maior número desses charlatões possíveis.

Não irei mencionar nomes nem casos famosos desses ditos “sensitivos”, mas irei falar sobre uma das técnicas utilizadas por eles de maneira breve – A leitura fria.

A leitura fria, consiste em que o “leitor” faça um treinamento para que ele possa “ler” as pessoas e obter um feedback nisto. Gestos, movimentos, respostas faciais e qualquer forma de expressão visual que aquela pessoa tenha a respeito de suas perguntas. Induzir a pessoa a lhe dar a resposta, ou pedaços dela é algo muito comum quando analisamos essas “consultas” sensitivas. Abaixo mando um vídeo feito pelo fantástico que exemplifica de maneira clara e direta do que eu falo. O vídeo é um pouco longo, mas vale MUITO a pena ver.

Isso claro, não cobre todos os aspectos e fenômenos mediunicos que temos conhecimento, mas com certeza já coloca uma pá deles ralo abaixo. Bem James Randi tá com o desafio de 1 milhão de doláres para quem demonstrar algum tipo de poder “extra-sensorial”.  Quem tiver afim -> Clique aqui <- Se inscreva e fique milionário! \o7

Peço desculpas a todos pelo post curto e a falta de posts ultimamente. Espero retornar a minha rotina de posts em breve! Grande abraço!

18
abr
10

A navalha de Occam

Um princípio lógico que sempre utilizei sem saber. A navalha de Occam (ou Ockham) basicamente (irei utilizar um reducionismo para explicar brevemente o conceito, paradoxalmente estaria eu aplicando o próprio conceito da navalha para explicar o conceito?! Não!) diz que ao analisarmos um fenômeno e posteriormente começarmos a tecer hipóteses para explicar aquilo, devemos eliminar o maior número de informações desnecessárias possíveis. Tentar começar pelas hipóteses que possuem o menor número de fatos não evidenciados afim de que se descubra uma explicação para tal fato. É simplesmente “procurar o caminho mais simples” afim de se encontrar explicações eficientes. Sempre partir do menor para o maior, caso a simplicidade não consiga explicar aquele fenômeno.

Quando conversei com meu amigo, utilizei de um exemplo tosquíssimo para exemplificar a navalha de Occam na prática. Graças a minha preguiça irei utilizar de novo o mesmo exemplo tosco do prato.

Digamos que você está na sua casa. Acabou de lavar a louça e pôs os pratos no guarda louças e foi sentar-se no sofá. Após uns segundos tu escuta um barulho na cozinha. Vai correndo pra ver, chegando lá o prato se estatelou pelo chão. Qual fator fez o prato cair? Uma janela aberta e uma corrente forte de vento? O prato foi mal colocado no porta louças, fazendo com que escorregasse? Um espírito irritado deu um tapa no prato e o derrubou? Partindo da navalha de Occam, a explicação que seria eliminada de cara seria do espírito, pois invoca diversos fatores a mais, necessários para a explicação do problema. O que é um espírito? Por que ele derrubou o prato? Por que estava irritado? Por que estaria ali na cozinha? Enquanto que o vento ou o mal posicionamento da louça no descanso são explicações que invocam menos elementos para a solução. Claro que mediante o não esclarecimento, com os fatores simples, iremos posteriormente adicionando complexidade aquele sistema, mas aos poucos e não “de cara”.

É exatamente esta postura que é adotada pelo método científico. O reducionismo científico.

Sempre utilizei essa lógica da navalha, quando tentava analisar situações ou “fenômenos” milagrosos. Minha postura quanto ao espiritismo passa por este princípio. Se procurarmos as respostas sobre alguns fenômenos “paranormais” ou atribuídos aos “espíritos” podemos achar explicações (ou ao menos hipóteses) mais simples (com certeza, devem existir) que venham a explicar boa parte dos fenômenos.

Não há erro nenhum em procurarmos pelas explicações mais simples antes de partirmos para mais complexas. Acho que isso faz tanto sentido que mal conseguiria tentar defender tal postura. É um dos processos intuitivos conhecidos como “óbvio”. Algo que não necessita de um raciocínio para saber sua conclusão. Intuitivamente sabemos o que irá acontecer. Como ao olharmos um vidro cair, saberemos que ele ao bater no chão irá quebrar. Sem raciocinarmos toda a explicação necessária para que pudéssemos concluir que o vidro irá quebrar.

Bem essa foi uma breve explicação do conceito da navalha de Occam. Logicamente não aprofundei o conceito, resolvi pesquisar sobre isto faz pouco tempo e vi que costumava utilizar esse príncipio sem nem mesmo saber. Caso encontre algo mais e pertinente acerca disto, trarei a vocês. Abraços!

10
abr
10

Rio, chuvas e tragédia

Interrompo meu post sobre Chico e espiritismo, apesar dele estar em alta e bem pop (devido ao seu filme) irei falar de um assunto mais “pop” ainda. A tragédia que ocorreu no Rio de Janeiro devido as chuvas. Minto, devido ao despreparo e total descaso existentes nesta merda de estado. Copa? Olimpíadas? Hahahahahahahahahaha!

É bem sabido que em boa parte do Brasil, especialmente o Lixo de Janeiro, nada é feito para prevenir. Espera-se as piores das catástrofes ocorrer para remediar – nunca prevenir. As obras quando acontecem são super faturadas ou apenas suprem uma necessidade rápida do momento. Nunca prevenir um além.

São Paulo choveu durante 72 dias e segundo as fontes que consultei não houve nenhuma morte. A cidade aguentou. Rio de janeiro choveu uma semana. Morreram mais de 200 pessoas ao todo, com destaque para o trágico episódio do morro do Bumba em Niterói. Diversas casas construídas sobre um antigo depósito de lixo. Liberado pela prefeitura para construção a 25 anos atrás. Jorge Roberto ao ser indagado acerca disso “Eu não sabia disso…” – isso pois foi prefeito 3x já. Incrível. A ignorância lhe convém…

Antes que falem que foi “Deus” ou como adorariam sugerir os evangélicos mais fanáticos “Obra do diabo” a explicação pra tragédia do Bumba é bem simples – Irresponsabilidade humana e química. Os gases liberados pela decomposição do lixo, ficaram ali, por anos, sendo produzidos. Era uma espécie de bomba relógio. Devido as massivas chuvas, a água começou a infiltrar o solo e os gases a serem liberados. O gás era metano. Altamente explosivo. A hipótese de ter ocorrido uma explosão que gerou o deslizamento monstruoso é corroborado por depoimentos de diversos moradores, que afirmaram ter ouvido um estampido forte segundos antes da tragédia.

Não há deus que salve disso. Os bombeiros, esses sim, merecem os créditos pelos salvamentos. Não existem milagres. Existe trabalho duro e dedicação de vidas humanas em salvar outras. A estes homens que ainda se encontram no local trabalhando sem descanso, dedico este post. No final só podemos contar com aquilo que de fato nos é tangível. Não há forças “meta-físicas” operando neste momento.

Alguns depoimentos me chamaram atenção. Dois em especial, que vi na globo news. Uma senhora que estava calma e falou tranquilamente. A repórter havia perguntado se ela iria morar ali, mesmo depois daquilo. Ela respondeu mais ou menos assim “-Sim irei.  Sou daquelas pessoas antigas que acreditam em deus. Isso foi apenas um acaso.” Já o outro depoimento foi uma moça, que em prantos falava desesperada “O homem tem que parar de querer ser maior que deus! Tem que parar!

Não estou aqui para julgar, mas até que ponto vai a crença dessas pessoas? A mulher não ter escolha para onde ir é uma coisa, mas continuar a morar pois “acredita em deus” pondo sua vida em risco e dizer isso tranquilamente? Não sei por qual razão fiquei supreendido, visto que o raciocínio de homens bomba é muito mais assustador.

Sem falar nos arrastões que aconteceram em Niterói, no dia seguinte. A mídia toda acordou em dizer “Foram boatos!”, mas  ao meu ver, não. Creio que isso foi uma tentativa de abafar a fragilidade que essa porcaria de estado se encontra. Entregue, frágil e completamente perdido. Problema que dai cairei naqueles tortuosos caminhos que a “teoria de conspiração” levam.

Vejo a irresponsabilidade do estado (e de certa forma, nossa mesmo) ser abafada pelas diversas mobilizações de solidariedade. Assim vamos levando. Se acontecer uma outra tragédia, basta doar um quilo de feijão e arroz que tá tudo certo…

06
abr
10

Chico e o Espiritismo

Olá pessoal. Páscoa passou, dia de lembrarmos daquele que morreu, lutou e ressuscitou por nós! Qual o nome mesmo…Goku? Não, acho que era um tal de Neo…enfim.

Diante da recente estréia no cinema sobre Chico Xavier resolvi postar minhas considerações acerca do que eu penso do espiritismo, mais especificamente de Chico Xavier. O filme tem feito bastante sucesso. Irei vê-lo em breve.

Quem foi Chico?

Bem, nascido em Minas Gerais, Chico foi uma criança pobre e teve uma infância sofrida. Apanhava dos responsáveis e perdeu a mãe muito cedo. Aparentemente sua mediunidade se manifestou pela primeira vez quando tinha 5-7 anos. Onde conversava/via a mãe (que já estava morta), conversas essas que lhe traziam certo alívio. Mais adiante após psicografar um livro de poesias (um ou mais, não me recordo com exatidão) foi chamado para ocupar uma cadeira na academia brasileira de letras, que recusou, lhe rendendo uma bela surra do pai. Psicografou mais de 200 livros (dos quais afirmava que nunca foram dele) e deixou seguidores, fãs, adeptos pelo Brasil inteiro. Sempre reconhecido pela sua aparência mirrada e voz tranquila, Chico Xavier de fato, foi um tremendo fenômeno.

Espiritismo, Chico e toda essa párra!

Bom de cara deixarei bem claro das inconsistências que são base da doutrina espírita. Reencarnação e Alma ou “espírito”. Nenhuma das duas coisas puderam ser amplamente observadas a ponto de constituírem um fenômeno observável e evidenciado amplamente. O que me intriga é que mesmo assim é tido como verdade absoluta e ponto certo para os espíritas. “Eu acredito pois fulano já incorporou na minha frente e me disse coisas incríveis!” Parabéns! Acontece que mediante a tal situação o que deveríamos cogitar como hipótese? “Bom, ele pode ter acesso a diversas fontes de informação e descobrir muitas coisas a respeito da vida de quem ele quiser.” ou “O MEU DEUS! Meu pai morreu e agora está soprando no ouvido dele tudo isso! Incrível!” Minha postura cética acerca desse tipo de fenômeno (se é que podemos chamar essa tremenda inconsistência de fenômeno) não me convencem e ao meu ver não demonstram porcaria nenhuma.

Reencarnação? O que fez as pessoas que criaram essa doutrina acreditar nisso? De forma resumida – a reencarnação teria como propósito final, termos diversas chances de aprendermos com nossos erros e voltar na terra diversas vezes. Com isso evoluirmos e atingirmos um propósito final. Uma finalidade. Um ponto final, tal qual, não voltaríamos mais.

Agora lhe pergunto – Por qual razão devemos evoluir? Por qual razão surgiu essa idéia de que “todos merecem ser felizes e ter 300000000000 chances, não importa o quão medonhos seres sejam, Jesus ama todos, logo todos terão chances de se redimir e recber o perdão. Não importa o quanto errem até notarem que estão errados. Deus está lá para todos!”

Isso me soa niilista. Nega totalmente nossa realidade, enquanto percepção nossa, uma espécie de conforto pós-vida. Um reforço para que possamos nos sentir confortados, pois no final iremos alcançar o tão almejado perdão e a graça de deus. Me soa conformista, pois mediante a falta de justiça terrena podemos nos deleitar ao dizer “Esse ai pagará uma hora ou outra!” e vivemos nossas vidas. Para mim é fácil entender que temos essa vida somente, portanto devemos vivê-la da maneira mais prazerosa que nos couber. Sem nos preocupar com punições divinas. As pessoas vivem as vezes essa vida mais pensando no “depois” do que no agora. Realmente essa razão não me entra na cabeça. Gostaria de saber quais são as razões REALMENTE fortes, para que possamos ao menos cogitar a reencarnação. Mesmo.

Chico e seus fenômenos.

Existe um grande mistério acerca do Chico, especialmente quando se trata da psicografia. Um homem de baixa escolaridade escrever tantos livros feito ele. Bom existem diversas hipóteses que poderiam explicar boa parte das psicografias (uma delas seria a leitura fria, uma técnica que não estou familiarizado – pretendo pesquisar mais sobre), mas a conclusão que as pessoas chegam mediante todos aqueles livros, sem titubear – Ele recebia informações diretas de espíritos. A tremenda falta de ceticismo nessas questões é algo que me incomoda um bocado.

Quase 700 palavras, irei retomar esse assunto no próximo post. Irei falar mais sobre a psicografia e mais curiosidades acerca do Chico. Abraços!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.