Arquivo para setembro \24\UTC 2014

24
set
14

Seja bem vindo!

9 dias atrás eu estava chegando na IDIOM, em Bangalore, para ser trainee. Hoje eu conheci o primeiro ministro Indiano.

Quando eu cheguei aqui, eu vi o quão caótico e frenético Bangalore é, apesar de morar no Rio de Janeiro que é bagunçado, caótico, entupido de engarrafamentos e muito quente – mesmo assim – Bangalore me surpreendeu.

No escritório as pessoas perguntavam “E ai, o que tá achando de Bangalore?” seguido de um “Bem vindo a India” após darem risadas do novato leitinho com pêra e ovomaltino geladinho na geladeira falando de como achava Bangalore caótica.

A medida que fui conhecendo um pouco dos projetos passados/atuais da IDIOM fui tomando ciência da complexidade e dos prazos apertadíssimos que eles lidam aqui. Um deles, o Food Park, com um deadline de 9 dias e eles nem sequer haviam começado ainda, o que rendeu mais um “Bem vindo a India” ao notarem me expressão de “WTF?!” ao ver o que precisava ser feito/deadline. Fizeram o BRANDING E TODA A COMUNICAÇÃO VISUAL de um projeto que envolverá a India inteira em 9 fucking dias.

Fui bem vindo 2 vezes em 2 dias. Hoje foi o terceiro “Bem vindo” que recebi.

Durante o dia estive em Tumkur, atendendo a cerimônia de abertura do complexo chamado Food Park. Um dos projetos mais ambiciosos em termo de escala e supply chain/value que já vi. A idéia é um espaço imenso (100 acres aproximadamente) aonde irá se plantar, colher, selecionar, processar, embalar, produzir e vender alimentos de todo tipo para a India INTEIRA. Vale lembrar que a India “inteira” é um mercado potencial de 1.6 bilhões de habitantes. Isso são 8 “Brazis” de população. Qualquer projeto que tenha a India inteira como escala é algo megalomaníaco, no mínimo, de se conceber.

O primeiro ministro Indiano atendeu a cerimônia e demonstrou ser um excelente orador. Apesar de não falar inglês, pude perceber pela reação das pessoas a minha volta. Muitas deram risadas. Ele pareceu ser um orador bem humorado. Não lembro quando foi a última vez que ri vendo um discurso de algum político brasileiro. Percebi que por detrás de todo protocolo de um chefe de estado, existia espaço para um pouco de descontração e bom humor.

Hoje tive uma oportunidade única. Pude experimentar em primeira mão um pouco de como é a política na India e seus protocolos e rituais.

Sobre o food park, somente tempo e trabalho duro irão dizer o quanto ele irá impactar a vida de bilhões de Indianos. Irei com certeza acompanhar este empreendimento de escala inédita na India.

Eu estou aqui fazem 9 dias. Esses 9 dias fizeram o gentil favor de me lembrar de como o mundo é imenso, os desafios são enormes, mas as oportunidades, ah! Essas sim são infinitas!

Bem vindo a India! =)

21
set
14

India

Finalmente India!
Calma caro leitor! Não pirei na little potato! Estar na India fazia parte dos meus planos desde 2013. Foi tudo parte de um plano friamente calculado.
Como já é sabido, em 2012-2013 estive em Nova Iorque estudando através do Ciência sem fronteiras. Lá conheci diversas pessoas e fiz alguns amigos e contatos. Através de um professor que tive por lá (Dr. Carlos Teixeira) consegui uma oportunidade de estagiar em um dos maiores escritórios de Design da India – IDIOM, localizado em Bangalore.
Sendo assim, foi apenas uma questão de tempo e planejamento – economizei o máximo de dinheiro possível da bolsa para ter uma reserva para viagem e ao voltar para o Brasil, me formei o mais rápido possível e BAM! Cá estou, de Bangalore, fim de expediente, escrevendo essas humildes e sinceras palavras.

Estou na India aproximadamente uma semana e já pude me familiarizar melhor com o local e o ritmo das coisas. Aqui é tudo muito frenético, especialmente no escritório. Aqui se trabalha dois sábados por mês e é perfeitamente normal se trabalhar mais do que a jornada diária. A IDIOM possui uma demanda gigantesca (por volta de 35 projetos acontecendo simultaneamente) para uma equipe de aproximadamente 80 pessoas. A empresa é bem multidisciplinar e é focada em Design – Research, Branding, Retail, Interior, Graphic, Product, Communication e outros tipos de design que ainda não descobri. Ainda irei aprender muito sobre a empresa nos próximos meses. 1 semana de trabalho e já aprendi um bocado de coisas.

Minha rotina está ótima. Acordo todo dia as 6 da manhã, caminho um pouco, compro café da manhã (a comida é simplesmente sensacional) e vou para o escritório. Sim, aqui se come com a mão na maioria dos locais e também se acha carne de boi! A região que estou se chama Karnataka e é parte do sul da india, com predominancia católica. É bem comum achar igrejas (umas bem bonitas) por aqui.

Sempre acabo sofrendo BULIM no escritório pois começo a tossir alto quando como algo apimentado (ou seja, basicamente tudo). Indianos são tipo mexicanos, o que é apimentado para pessoas normais é normal para eles. Algo considerado apimentado na India seria como ácido sulfúrico no Brasil.

Melhor café da manhã já existente!

Melhor café da manhã já existente!

Não tive tempo para turismo ainda. Estou num projeto com deadlines bem apertadas e passarei o fim de semana trabalhando, mas por incrível que pareça, estou muito feliz com isso. Estou aprendendo muitas coisas novas e apesar de estar aqui por 1 semana, já sou tratado como funcionário – já me colocaram pra por a mão na massa e executar partes importantes do projeto, como mapear a jornada do usuário e traduzir visualmente as informações levantadas para apresentar ao cliente segunda feira. Assim que tiver mais tempo irei postar mais a respeito da região!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.