Arquivo de novembro \28\UTC 2009

28
nov
09

“Teoria” Criacionista?! Putz…

Apesar da faculdade e todos os meus “mimimimimis” sobre estar ocupado, precisava abrir um espaço para comentar essa notícia. Ela não é atual, mas assusta igual. Link aqui. Reparem que esta notícia é do fim de 2008, mas assustadora.

A questão do “Criacionismo” ou Design Inteligente (como os teólogos mais refinados costumam chamar) é bem simples. Ela não constitui Teoria. Simplesmente pois suas afirmativas NÃO PODEM SER EVIDENCIADAS DE MODO SATISFATÓRIO.

“Deus criou o mundo.”
“Evidencie isso por favor.”
“Tá na Biblia!”
“Evidencie isso por favor.”
“Se não acredita problema é seu.”

Sinceramente que tipo de absurdo é esse? E eu achando que de fato o termo de M.N.I (Magistérios não Intercedentes) fosse algo respeitado pelos Criacionistas. De fato é quando bem interessa. Se a Ciência de fato pudesse evidenciar de maneira satisfatória a existência de um Deus COM CERTEZA os primeiros a usar destas, seriam os teólogos de plantão. Bom a questão não é essa.

Agora têm-se o criacionismo na pauta sob o ridículo argumento “…que há outra explicação, de fundo religioso, para a origem das espécies.” Gostaria de saber que explicação é essa? Simples. Deus criou tudo, pensou tudo, colocou tudo onde está e é isso. Simples.

A TEORIA da evolução de Darwin pode ser evidenciada de milhares de maneiras e não necessita de “fé” para ser validada. Pode ser explicada perfeitamente sem que o aluno “sinta o espiríto santo” ou qualquer sensação do gênero. Baseada em pesquisas e estudos e colocada a teste diversas vezes ao longo dos anos.

A começar que a única coisa que corrobora para o criacionismo a nível de evidências (bem duvidosa por sinal) é a Bíblia. Putz, como verificar a veracidade da bíblia? Deus falou diretamente com homens e eles sairam escrevendo? Qual a origem da Bíblia? Não foi sagrada, foi escrita por homens. Pois é! Homens que aceitaram o “senhor” como seu salvador.

Utilizadas por crianças entre seis e nove anos, a coleção se chama “Crescer em Sabedoria”. Na apostila de ciências, um dos itens recebe o título de “O Plano de Deus Para os Ambientes“.

Crianças de 6-9 anos. “Crescer em Sabedoria”. Sabedoria? Sabedoria é essa que ensina que a fé inabalável e indiscutível é uma virtude? Sabedoria que pega todo o método científico elaborado ao longo dos anos e joga fora. “Deus” e todos os dogmas católicos não podem ser evidenciados pelos métodos científicos. Escola não é lugar para se propagar a palavra das pessoas que dizem falar a palavra de Deus. Escola é o lugar onde devemos ensinar nossos filhos todo o conhecimento acumulado pela nossa humanidade em suas diversas áreas. Um lugar de conhecimento, questionamento e aprendizado científico.

Sinceramente acho no mínimo absurdo e lamentável. Se quer filhos religiosos, por favor leve-os a igreja todo domingo, ou procure uma catequese. Escolas ensinando religião e ELEVANDO (só com elevação divina MESMO) o “Criacionismo” a patamar de “Teoria”? Infeliz e completamente descabido.

Resumindo –

Evolucionismo – TEORIA. Quando uma hipótese científica acumula uma grande quantidade de evidências.

Criacionismo – CRENÇA. Acreditar em algo que não pode ser evidenciado de maneira alguma. Crer por escolha.

Acho que isso por si só já constitui uma explicação. Quem tiver dúvida procure o dicionário.

27
nov
09

Tô voltando!

Galera, post rápido para avisar que to voltando.

Sei que larguei isso aqui por uns dias, mas a faculdade tá me sugando. Mesmo.

Odeio postar de novo dizendo que tô ocupado e blá blá blá, mas minha neurose hiperativa não me permite ficar em silêncio por tanto tempo.

Hoje fizemos uma sessão de fotos no estúdio da faculdade, ficou muito bom. Foi divertido a beça. São 3:31 da manhã, terminei parte de uma pesquisa iconográfica para o vídeo do trabalho de sociedade e cultura.

Logicamente o vídeo ficando pronto, irei disponibilizar para todos verem como ficou e seus devidos créditos de quem fez o que, logicamente!

Então meu sincero desculpas, mas enquanto fico ocupado com a faculdade, to baixando vídeos de filosofia, portanto terei bastante material para atualizar o blog!

Abraços a todos e aguardem! “I will be back!

22
nov
09

Fluxo

Olá a todos. Fim de semana nojentamente quente. Feriado tão quente quanto. Prós? Pegar praia, curtir, sair. Contras? Se concentrar pois precisa fazer pesquisas e trabalhos da faculdade. Por incrível que pareça me encaixo nos contras. Legal, afinal sempre fui chamado de “do contra” mesmo não é?

Trabalho foi bem, diria. Basicamente a conclusão foi explicitar o choque entre a visão de Amor ocidental mais difundida (aquela da cara metade, procurar sua alma gêmea) com a suposta fragmentação do sujeito contemporâneo. Digo suposta pois apesar de ser uma teoria bem concisa e difundida no meio acadêmico, ainda não a compreendi totalmente. Justo dizer que essa compreensão parcial que me faz relutar em concordar com alguns de seus conceitos. Para isto temos solução – estudar.

A idéia de amor, a liquidez dos relacionamentos e o “espírito” da moralidade humana (considerando que tem uma origem em comum, ok ok, talvez esteja forçando um bocadão a barra) são questões que me intrigam. O amor. Frequentemente somos bombardeados por essa idéia de cara-metade. Uma questão pertinente – Se todos nós temos uma alma gêmea solta por ai, a nossa espera, mas e se ela for isolada geograficamente de nós? Resumindo: minha alma gêmea mora no Japão. Estaria eu fadado a viver em miséria e tristezas o resto de minha vida? Seria privado do “amor pleno” que tão somente minha “cara metade” poderia me dar? É uma idéia de amor o tanto quanto fraca e limitada. Para não mencionar como soa “conto de fadas” para mim.

A moral humana. Se é que ela existe (sem querer soar niilista) qual seria sua origem? Como poderíamos tentar traçar um “comum” ou uma possível uniformidade. Moral vem da religião? Não. Eu por exemplo, não possuo uma religião, mas fui criado em meio valores católicos. Eu diria que é puramente coincidência (ou mais um sinal dessa origem em comum) que matar seja errado para mim tanto quanto para um japonês do outro lado do mundo. Afinal religião é um fator cultural. Curioso é a idéia que todas elas quase, carregam de sua verdade ser suprema. Até Jesus lidava em certezas absolutas, ao pregar o seu Deus no Novo Testamento. Condenando indiretamente quem não o aceitasse ou duvidasse dos seus supostos milagres.

Da onde mais poderia vir a moral, tão flutuante em nossa sociedade? Aliás, o que é moral? Isso não é apenas um ponto de vista?

Acho que foi um dos poucos (se não primeiro) post misto que faço, mas é que estou com tantas coisas na cabeça. Idéias e a necessidade de um estudo sobre várias coisas. Porra, quase que hiper-atividade cerebral.

Vou seguir o fluxo e ver onde isso dá. Abraços a todos! E desculpem pela abstinência.

19
nov
09

Pausa

Pessoal venho primeiramente pedir desculpas a todos que acompanham esse blog.

Infelizmente estou tendo que agilizar coisas da faculdade, portanto estou sem tempo de ler coisas interessantes para trazer material a este blog.

A boa notícia é que baixei uns vídeos de filosofia. A má notícia que estou sem tempo de vê-los. Isso inclui um documentário de 3 horas sobre a vida de Sartre e outro de 50 minutos sobre o Empirismo e Ceticismo grego.

Espero falar destes vídeos em breve aqui, mas primeiro as obrigações. Tenho pesquisas pertinentes a faculdade para executar aliadas ao curto prazo para finalizá-las.

Esse post é apenas uma satisfação que vos trago, não gosto de postar coisas deste gênero, mas posso vir a ficar uns 2 dias sem postar. Pretendo correr com os trabalhos para ficar livre o quanto antes.

Felizmente quero manter uma qualidade de posts, para isto, necessito fazer pesquisas e ler um pouco antes de redigir qualquer coisa.

Mais uma vez desculpa a todos e dentro de 1-2 dias espero estar postando aqui novamente!

Abraços a todos!

17
nov
09

Achilles Last Stand

Esse post será simplório, mas gostaria de falar um pouco sobre uma das músicas que mais gosto do Led Zeppelin. Tanto em letra quanto em melodia. Redundante dizer que ela é inspiradora e épica. Pelo menos o que sinto ao ouvir essa música é uma batalha com proporções gigantescas sendo travada. Protagonizada por Aquiles.

Essa música está no álbum “Presence” e possui diversas histórias a seu respeito. Uma delas diz que Plant criou a letra quando estava no hospital, após sofrer um acidente de carro e machucar o seu tendão de aquiles. Os médicos lhe disseram na época que dificilmente ele voltaria a andar. Dai o título “Achilles Last Stand”, seria algo como “A última resistência” ou “luta” de Aquiles (no caso o seu tendão). Não consegui achar uma tradução satisfatória para “Last Stand” ainda. Procurei e não achei nenhuma boa o bastante.

Logicamente se olharmos a letra iremos ver que ela possui diversas menções a mitologia grega e metáforas com conteúdo “épico” (como adoro repetir isso hehehehehe). Fiz uma tradução minha da letra, consegui achar uma versão correta em inglês (como existem versões erradas por ai) e resolvi brincar.  =)

Era uma manhã de Abril, quando eles disseram que iríamos partir
E quando olhei para você, você sorriu para mim, como poderíamos dizer não?

Toda a diversão que teríamos, viver o sonho que sempre tivemos
Todas as canções que cantaríamos, quando finalmente retornássemos

Mandando um beijo de relance, para aqueles que afirmam saber
Abaixo as ruas enevoadas e simbilantes, o diabo está na sua toca

Oh velejarmos, para terras arenosas e outros dias
Oh para acreditar nos sonhos, escondidos e nunca vistos

No sol o sul e o norte, enfim os pássaros voaram
As algemas de aprisionamento cairam, em pedaços pelo chão

Oh caminhar pelo vento, andar no ar acima do estrondo
Oh rir alto, com olhos dançantes provocamos a multidão!

Procurar o homem cuja a mão aponta, o rastro do gigante revelou-se
Para nos guiar no caminho tortuoso, que agita-se em pedras

Se um sino soar, em celebração por um rei
Tão rápido o coração deverá bater, tão orgulhosos e com os pés firmes!

Dias se passaram quando eu e você, nos banhamos no eterno calor dos verões
E bem distante, nossa criança mútua cresceu

Oh o doce refrão, acalma a alma e aplaca a dor
Oh Albião permanece, dormindo agora para levantar-se de novo

Andanças e andanças, Qual lugar para repousar a busca
Os poderosos braços de Atlas, seguram os céus a partir da terra

Oh os poderosos braços de Atlas, seguram os céus a partir da terra!
Eu reinarei, reinarei, reinarei…

Bom essa é minha tradução da letra. Logicamente, tem coisas que estão fora de minha compreensão, portanto ela não é muito precisa e pode parecer meio piegas em alguns pontos. Dane-se. x)

Abraços a todos!

16
nov
09

Totalitarismo gay?!

Olá pessoal. Recentemente visitando blogues aleatórios, me deparei com um post de um blog sobre “apologética cristã”. O post mencionava uma enquete que está acontecendo no site do Senado federal (link aqui) que consideraria homofobia crime. O que me chamou atenção foi o título e a defesa de um promotor de Justiça. A sua defesa contra a aprovação desta lei esta aqui. Venho ressaltar que alguns momentos de seu texto possuem certa lucidez, mas como de costume religião é mencionada. Curioso não? As vezes penso que as pessoas são preconceituosas pois na “bíblia” tá escrito que homossexualismo é errado. Se tirarmos a bíblia essas pessoas teriam de assumir que tem ódio de gays, por simplesmente ter. Pelo menos seriam menos hipócritas. Mais fácil falar que “a bíblia condena o gay, logo eu também” do que dizer “Eu odeio gays e ponto. Simplesmente, me incomodam.” Vai entender.

Bom, irei destacar algumas partes do que me incomodaram no texto do Promotor –

Agora, os defensores da causa gay, não satisfeitos com a propaganda massiva favorável à sua causa, tentam dar o golpe final nos seus opositores: levar à prisão quem ´ouse´ criticar a homossexualidade.”

Isso soa EXTREMAMENTE tendencioso. Colocando o movimento homossexual como algo maquiavélico e manipulador. O final  “…tentam dar o golpe final nos seus opositores…” foi completamente descabida e ao meu ver mostra a TOTAL PARCIALIDADE (de embasamento) deste promotor ao ser contra esta lei. Seria muito mais proveitoso e respeitável seu artigo se ele deixasse de lado suas opiniões e demonstrasse somente fatos. E quanto a crítica levar a prisão, ele está exagerando. Li uma boa parte do projeto de lei 122/2006. Ele incluirá algumas novas categorias em algo já existente. Logo abaixo retirei direto do projeto de Lei na íntegra.

Originalmente era -> “Art. 1º Altera a Lei nº 7.716, de 5 de janeiro de 1989, definindo os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero.”

Com o projeto -> “Define os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional, gênero, sexo, orientação sexual e identidade de gênero (NR)”

Se for assim, quero que retirem religião desse artigo. Senão teremos o “totalitarismo teísta” onde pessoas como eu, ateus, não terão liberdade de condenar pessoas que acreditam em Deus. Afinal o princípio é o mesmo. Não CONSIGO não ver um embasamento religioso para condenar a inclusão do homossexual nesta categoria. Talvez me falte uma percepção mais aguçada.

Voltando ao nosso ilustríssimo promotor –

“O artigo da lei em questão é manifestamente inconstitucional, pois viola flagrantemente a liberdade de pensamento e a liberdade religiosa (art. 5º, inc. IV, VI, VIII e IX da Constituição). Quem sabe se o próximo passo não será proibir a utilização da Bíblia, já que em uma passagem São Paulo recrimina a conduta de homens que se deitam com homens (1ª Coríntios 6:9)?”

Liberdade de pensamento/religiosa. Oras, se pastores quiserem agredir homossexuais deliberadamente, isto jamais poderia se constituir crime! Isso é apenas liberdade religiosa. Ele tenta demonstrar que o artigo é absurdo e usa o exemplo mais absurdo ainda da suposta proibição da bíblia. Uma tentativa de “Ei! Abram os olhos! O apocalipse se aproxima!” Poxa vida, qual a credibilidade de um artigo destes?

O resto que segue de sua defesa é extremamente tendenciosa e fora da realidade. Ter uma opinião contra gays é uma coisa. Socar um gay na rua por ele ser gay é outra. Esse tipo de agressão que estamos falando aqui. O promotor coloca como se você não gostar de gays fosse dar cadeia. Fala da nossa liberdade de expressão, mas até mesmo ela tem limites previstos pela lei, que quando extrapoladas constituem crimes. Isso já acontece. Problema é que agora será ampliado para um grupo que causa grande repulsa em grupos religiosos, logo tamanho alarde.

Acreditem esse projeto de lei não tornara o movimento gay em uma espécie de “religião” ou qualquer movimento super forte, como o promotor sugere. O preconceito ainda existirá e provavelmente só irá aumentar.

Bom, o projeto de lei esta aqui, quem se interessar leia. Não deixem opiniões embasadas por religião (detalhezinho, nosso estado é Laico, por incrível que pareça) ou distorções do entendimento do projeto.

14
nov
09

Inspiração latente…

Buenas tardes a todos. Sei que ando meio relapso com o blog, não estou conseguindo manter meu ritmo de todo dia postar algo novo. Algumas vezes isso é bem difícil, outras simplesmente não tenho o que postar. Ultimamente tenho estudado (tenho trabalho pra entregar segunda) além de estudos por conta própria. Isso é ótimo, mas infelizmente me atrapalha o “meio-de-campo” com o blog. Irei falar um pouco neste post sobre a estória da princesa/príncipe e um pouco de como inspiração funciona comigo…se é que posso dizer “funciona” para isso hehehehe.

Este conto em específico, foi uma experiência catártica. A inspiração principal foi uma música, chamada Maenam do jogo Braid (mais detalhes do jogo aqui). Essa música faz parte do álbum Hidden Sky da Jami Sieber (músicas para ouvir aqui).

Por incrível que pareça não sou “fã” de música como normalmente as pessoas são. Gosto de música e ouço, mas muito pouco. Por exemplo para tarefas que me exigem atenção ou certo raciocínio, música atrapalha. Aquele som que ficaria tocando “ao fundo” ao invés de me ajudar acaba por me atordoar.

Esse caso foi uma raríssima exceção. Produzi algo inteiramente inspirado por essa música e por pequenos eventos de minha vida. Claro também um bocado de fantasia. O elemento principal foi uma música, responsável por desencadear todo o processo criativo, composto por essas outras pequenas coisas. Pessoas, memórias, lugares, estórias e outros contos foram as minhas múltiplas fontes de inspiração.

Curioso pensar no poder que a música pode ter se deixarmos. Lembro que os primeiros versos eu escrevia de olhos fechados (já gravei o teclado e a posição das teclas, UBBER nerd =P ) depois só ia corrigindo pequenos erros e colocando as sentenças de modo fazer algum sentido. A priore não mudei muita coisa, pois queria que esse conto fosse algo que refletisse o “interior emocional” sem que a “razão” desse “pitaco”. Queria algo o mais transparente possível quanto a isso.

Particularmente gostei do resultado e por incrível que pareça a estória fez algum sentido pra mim. Brinquei com muitas metáforas e fiquei satisfeito. Provavelmente muitos leram e não entenderam lhufas. Normal. Esse conto eu não foquei em uma narrativa ou “plot” para construção da estória. Escrevia a medida que as palavras iam surgindo. Alterei o mínimo possível para que fizesse pelo menos algum sentido (até mesmo para mim, hehehehehe).

Pretendo escrever mais contos assim. Ultimamente esse tipo de inspiração forte não tem surgido, esse conto foi algo único e totalmente inédito para mim. Tenho expectativas que isso seja algo “treinável” para poder ter momentos como estes com maior facilidade. Espero que tenham gostado de ler o conto tanto quanto eu gostei de ter feito!

Abraços a todos e até breve!

Obs – Não esqueci do caso de John, do Cultos a Carga, irei em breve falar sobre isto!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.