Posts Tagged ‘fé

22
maio
11

O motivo de crer : Introdução

Começarei uma série de posts que abordarão este tema. O motivo, o cerne, o por que, o tal qual, a mola propulsora, o sentido da vida (para muitos) – A crença religiosa. Não irei apontar uma religião específica tampouco um deus qualquer. Irei falar de modo geral dessa tão dita “virtude” – a fé no divino.

Gostaria de deixar claro de antemão que não irei cobrir todos os motivos existentes (seria, digamos, impossível) irei tratar apenas dos que eu conheço e entendo. Os mecanismos que levam esses poderosos memes a se replicarem e mutarem (em bastante casos) com tanta facilidade e velocidade.

Eu não saberia dizer quando exatamente a crença em algo misterioso e superior, uma espécie de criador oni-tudo começou, mas posso falar muito bem sobre como existe hoje.

Quanto mais procuro, menos sentido a existência de um deus faz. Intrigante ver o quão diferente as pessoas possam ser a ponto de bilhões dela pensarem completamente diferente. Mesmo. Extremo opostos. Algo como quase eu zero e eles um.

Hoje mesmo supostamente deveria ser o fim do mundo para um grupo de evangélicos norte americanos que logicamente tem espaço aqui no Brasil. Pude ver em diversos ônibus circulando pela cidade (Niterói/RJ) a propaganda do fim do mundo e o início do arrebatamento hoje. Eles afirmam ter provas bíblicas irrefutáveis deste evento. Nada aconteceu. Isso os torna mentirosos? Idiotas? Ou o que?

Seria a crença deles no fim do mundo hoje tão absurda assim? As pessoas acreditam que um espírito engravidou uma mulher, que seu filho 33 anos mais tarde foi morto e ressuscitou 3 dias após. Seu pai teria assistido tudo lá de cima e nada fez, pois era parte de um plano maior seu filho ser surrado até a morte. Sem falar em outros absurdos bíblicos, como Adão e Eva. Isso não torna qualquer cristão idiota, mas aqueles que achavam que o mundo ia acabar hoje com base em estudos bíblicos são idiotas. São alvo de chacota de outros grupos cristãos.

Curioso não?

Vejo muitos cristãos criticando o Bolsonaro (ficou famoso após polêmicas declarações homofóbicas no CQC), mas se pararmos para pensar ele sim estaria mais próximo dos valores bíblicos que estes cristãos que o criticam. Não lembro de nenhuma passagem bíblica que dissesse ou desse a entender que o homossexual era algo a ser respeitada e compreendida. Aliás o único cristão famoso que vi dizer isso foi Chico Xavier em um programa de entrevista da extinta rede Tupi.

Não consigo deixar de notar certas incoerências. O papo que rola é “Awww mas nós filtramos as coisas ruins da bíblia né! Não vamos levar tudo ao pé da letra!” – Claro. E quem seríamos nós para dizer o que presta e o que não presta no que chamam de ESCRITURAS SAGRADAS. Foi DEUS quem escreveu aquilo. Como ousa interpretar/filtrar tais palavras?

Começarei por partes. Próximo post irei especificar os motivos do crer das pessoas que conheço. Contextualizarei/tecerei comentários acerca.

Anúncios
02
fev
10

A beleza de acreditar!

Olá pessoal. Semana ótima. Início de aulas sem matéria só bla bla bla e uma brutalizada no músculo do pescoço. Essa belezinha me rendeu uma visita a emergência do hospital. Após esperar uns 30-40 mins (isso pq a emergência tava vazia e o hospital era PARTICULAR) fui atendido e meu pescoço tá voltando ao normal. Enfim!

Costumo expressar minha descrença e a razão dela através de diversos posts já feitos aqui. Falo, penso, reflito e problematizo algumas razões. Irei fazer justamente o contrário agora. Irei colocar aqui, de acordo com o que eu entendo da fé/crença algumas das razões das quais fazem crer ser algo belo, confortante. Um pouco alienante em alguns casos.

Morte?

Não tema. Se serviu a cristo durante sua vida, teve uma vida justa e pautada segundo a bíblia agora é a hora de sua recompensa. Sua alma irá para os céus onde será feliz e terá paz plena por toda a eternidade. Ao lado de Deus e Cristo. Isso serve para qualquer parente seu que cumpra os pré-requisitos para ir aos céus. Caso contrário se você blasfemou, matou, era ateu, homossexual ou qualquer coisa condenada pela bíblia, meu amigo para você – o inferno. Portanto arrependa-se enquanto há tempo. Procure a igreja evangélica mais próxima e entregue-se a Cristo que tudo estará bem. Qualquer atrocidade cometida por você será perdoada e a graça de Cristo cairá sobre você. Pois o Filho do Homem tem um bom coração!

Vida?

Ah! Indescritível viver para Cristo e por Cristo. Tão indescritível que eu vou falar sobre. Viver uma vida justa, ser bom, seguir os 10 mandamentos e louvar o senhor por qualquer graça ou conquista recebida. Aquele emprego? Glória ao senhor! Aquela moça que agora é sua namorada e você está super feliz? Glória ao senhor! Aquele carro que quase te atropelou, mas você desviou bem na hora? Glória ao senhor! Aquela nota de 10 reais que achou no chão indo trabalhar? Glória ao senhor!

Agora aquele emprego que você perdeu? Capeta! Aquele carro que te acertou atravessando a rua e agora você está hospitalizado? Capeta! Sua namorada te chifrou e você pegou no flagra? Capeta! A nota de 10 reais que achou era falsa? Capeta!

Bem acho que deu para pegar a lógica que grande parte dos evangélicos emprega no dia-a-dia (espero que percebam, grande parte, não TODA parte).

Vida? Universo?

Ora, o senhor criou tudo em 6 dias e descansou no sétimo. Homem veio do barro e a mulher de sua costela. Tudo foi feito como conhecemos hoje. Evolução? Um discurso interessante, mas nada além disso. Sabemos que o Senhor quem criou tudo. Como algo tão bem projetado, tão belo, tão perfeito, tão tão! Evolução onde é tudo aleatório?! Jamais! Impossível! Como diria Lane Craig – é tão improvável de surgir o genoma humano, que é um milagre o fato dele ter surgido! – tão eloquente!

A aposta de pascal afinal!

Para finalizar o golpe final para justificar por qual razão devemos crer! Pascal disse que devemos acreditar pelos simples motivos – Se deus não existir e você acreditou, então você apenas teve uma crença falsa durante sua vida. Se deus existir e você acreditar, parabéns! Estará salvo no dia do juízo. Se você não acreditou e ele não existe, parabéns, estava certo! Se você não acreditou e ele existe, dai amigo, inferno para você!

Claro que a onisciência de deus iria notar os que acreditavam falsamente, apenas querendo livrar suas almas do juízo final, portanto acreditem de verdade!

Por essas e outras razões que devemos acreditar. Sei que soa bem debochado meu post, mas infelizmente esses motivos que citei acima são muito utilizados como justificativa de uma fé. Coloquei de forma bem crua afim de ser direto. Alguns acharão desrespeito com a crença alheia, pois eu digo – Se esse post fosse sobre minha “visão esquerdista” criticando os “de direita” iria ofender? Seria desrespeitoso? Seria! Graus completamente diferentes logicamente. Acontece que política não está em um pedestal logo não é um assunto intocado.

Por favor, tirem o pedestal que a religião se encontra! Religião é um assunto como outro qualquer. Vamos falar sobre, discorrer, debater! Como fazem com política, economia e qualquer esfera do conhecimento. Acabar com esse “não me toques” da religião. Sintam-se livres para criticar ou elogiar. O espaço é de vocês.

27
jan
10

A “milagrosa” cura?

Olá pessoal. Tudo bom? Férias no fim. Aulas irão começar!

Assistindo a televisão hoje aleatoriamente me deparei com uma matéria em um dos jornais noturnos (não lembro se era band ou record) sobre as curas milagrosas. A fé que cura doenças. Assisti na esperança que alguém com uma postura cética fosse ser entrevistado. Alguém que pudesse levantar algumas questões pertinentes acerca deste assunto um pouco polêmico. Nem devo dizer que minha espera foi em vão…

Um rapaz tinha um problema na tireóide, depositou sua fé nas rezas diárias que fazia. Numa consulta posterior o médico lhe disse que “Eu não sei o que você tinha, mas sua tireóide agora está normal.” O rapaz de imediato disse “Glória a Deus então!”

Agora nos aproximemos da questão de maneira cética e vamos levantar algumas questões pertinentes, que ao meu ver demonstram que nem de longe “deus” foi responsável pela cura.

Primeiro – Realmente nosso cérebro é um orgão poderoso. Em testes duplos cegos de farmaco (onde têm-se grupos de controle – um recebe o medicamento real e outros placebos) em muitos casos o grupo “placebo” demonstra sinais de melhora. Levantando a possibilidade de que nosso cérebro tem um “poder” de sugestão bem grande e pode ser capaz de aumentar nossas chances contra doenças. Até mesmo nos curar. Portanto basta ter fé na pílula de açucar ou na cadeira de sua sala que os efeitos seriam os mesmos. Acontece que normalmente as pessoas preferem depositar sua fé no deus cristão (no caso do Brasil) dando-lhe uma maior chance de receber créditos por tais curas. Sortudo!

Segundo – A conclusão visto que já que eu rezei e melhorei de minha condição, logo deus existe. Bem ela infelizmente não possui nada além de uma interpretação do fato em si. Interpretação essa que admite tantas hipóteses mais plausíveis, que cogitar que “foi o deus curador” logo de cara, seria um erro. Mais uma vez a fé depende de algo para existir, mas não é por que temos fé nesse “algo” que ele passará a existir. “Uma mentira contada mil vezes, torna-se verdade.” Ok, mas não iremos exagerar nessa “mentira”.

Terceiro – Quantas pessoas, estatisticamente falando, se curam “milagrosamente”? Quantas outras pessoas que tiveram fé pereceram diante de suas moléstias? Quantas outras que não tiveram fé e simplesmente tiveram um tratamento médico adequado sobreviveram? Se analisar estatisticamente os ditos “milagres da fé” são raríssimos e ínfimos se comparados ao “comum”. Comum entenda-se pessoas que se submeteram a tratamentos médicos e não “gurus” ou “pastores sai-caroço”. Na série feita por Richard Dawkins “Root of all evil?” (Raíz de todo mal?) ele visita um local onde mais de 80 mil pessoas por ano vão em busca de cura milagrosa. Devotos levam seus doentes procurando a cura. Sendo que têm-se registro aparente de algo em torno de 40 curas de fato. Vejam bem, 80 mil pessoas por ano, por vários anos e apenas 40 casos de “cura milagrosa”? Uma estatística um tanto quanto desencorajadora.

Não subestimo a fé em si e do que ela é capaz. Sim no que ela se deposita. Acreditar que através de reza somente iremos curar todos os males é muito arriscado. Abandonar tratamentos médicos embasados em estudos e evidências, jogar estatísticas fora em troca de um “milagre” é apostar no improvável.

Gostaria muito que a “série da fé que cura” colocasse alguém que levantasse essas questões. Muito fácil encontrar profissionais para desenvolver esses questionamentos de maneira mais suscinta que eu. Só não sei se interessaria ter esse tipo de postura num espaço “reservado” para a fé.

Apostar em um milagre é brincar de roleta russa. Minto, pois se o tambor da arma utilizada tiver 6 espaços totais e apenas um conter a bala, as chances de morrer são de 16,6% aproximadamente. Bem maior que qualquer cura milagrosa que existe por ai.

03
nov
09

Cultos à carga

Olá a todos. Ontem não atualizei propositalmente, queria deixar a singela homenagem ao meu avô um pouco mais. Um minuto de silêncio? Um post de silêncio. =)

Quero agradecer os comentários! Obrigado pela delicadeza dos que comentaram. Palavras bonitas e sinceras. Muito obrigado a todos! 😉

Bom, esse post irei introduzir o assunto “Cultos à carga”, um fenômeno curiosíssimo que eu li no livro do Dawkins (Deus – Um delírio). Achei engraçado (sem sentimento de deboche embutido nisso!) e estranho pensar como coisas assim acontecem. Bom, mas chega de enrolação vou explicar do que se trata –

Cultue a carga!

O culto à carga, como o nome sugere é um fenômeno que aconteceu em diversas ilhas da oceania com inúmeras tribos que tiveram contato com o “homem branco”. Durante a segunda guerra esse fenômeno ocorreu em diversas ilhas. As tribos ao ter contato com o “homem branco” viam que seus armamentos/suprimentos eram recebidos por aviões/navios. Sem conseguirem descobrir da onde vinham esses materiais, atribuiam a origem do mesmo a “deuses”. Em alguns casos os tribais se vestiam iguais aos “homem brancos”, construiam aeroportos de “mentira” com aviões de madeira, antenas de mentira na esperança de atrair os “carregadores da carga”. Pensavam que a força do “homem branco” estava nas suas  armas e rifles altamente avançados.

Fácil acreditar em mágica/sobrenatural quando a tecnologia alvo é deveras avançada. Imaginem um ser da idade média sendo jogado agora em 2009. O cara iria louvar Deus por tudo que visse. Imagine quando comesse um belo hamburguer então. Hahahahahahahaha.

O que mais intrigou os antropólogos é que esse fenômeno foi observado em diversas tribos indígenas, geograficamente, isoladas. Muitas delas nem sabiam da existência da outra. Logo a hipótese de uma influência entre elas é descartada. Parece que até alguns índios da América do Norte praticaram esses cultos.

Para nós que sabemos de onde os navios vieram, que as armas são fabricadas por nós mesmos em fábricas é engraçado ver a reação desses indígenas. A nossa “espécie” por mais diversificada que seja culturalmente, tem um ponto muito forte em comum. A religiosidade e as crenças. Variam em proporção, seriedade e conteúdo. Mas fé é algo que será comum em basicamente TODAS essas crenças. Uma crença sem fé não seria crença, afinal o que a sustentaria? Os índios tem “fé” nas cargas e esperam recebê-las um dia. Para tal seguem rituais e comportamentos com o intuito de receber tais armamentos.

Bom, no próximo post irei falar de um caso curioso de culto à carga, mencionado no livro do Dawkins com mais detalhes!

Abraços a todos e bom início (tardio) de semana!

23
out
09

Sem palavras.

Olá a todos. Pois é hoje fui pego por uma maré de não inspiração. Não tenho nada de muito útil a postar.

Recentemente comecei a ler o Velho e o Novo Testamento (simultaneamente), para tentar compreender alguns pensamentos/dogmas teístas. Confesso que não conseguirei ler o Velho Testamento inteiro devido ao seu tamanho gigantesco (umas 1200-1300 páginas) somado ao fato de ter que executar outras leituras, mas lerei o máximo possível. Já estou finalizando a Gênesis e devo assumir que estou deveras abismado com o “Deus” descrito lá.

Mas como pressupostamente o cristianismo (em geral) nos diz para não duvidar dos “designios do Senhor” creio que levantar questionamentos e critícas a respeito de seus atos, descritos na gênesis seria pura perda de tempo, além de causar desconforto em muitos e até mesmo possíveis irritações. Coisas que sinceramente, procuro evitar. Mesmo. Sem mencionar que ainda é um pouco cedo para tal. Irei amadurecer mais a leitura do livro e então futuramente tecerei comentários.

Quanto ao novo testamento estou começando por Mateus. Vendo um pouco do que seria a SUPOSTA vida de Jesus. Como sabemos a imprecisão e a validação da bíblia dão margens a múltiplas interpretações. Acho muito sábio levarmos em conta a probabilidade de que existam inúmeras informações incorretas e até mesmo “fantasiosas” nos livros. Lembrando bem, probabilidade pessoal. Não estou afirmando que o que está lá, categoricamente, é mentira. Atentai para o “provavelmente”.

Igualmente irei ler com atenção e ver do que realmente se trata a vida de Jesus e a origem de tudo segundo a bíblia. Afinal não posso tecer críticas fundamentadas sem saber o que exatamente eu estou criticando.

Continuo avançando com o livro Deus – Um Delírio de Dawkins, onde vi um vídeo dia desses de um filósofo tentando refutar o argumento central do livro. Para minha surpresa o filósofo citou partes que baseou sua crítica de forma incompleta e de maneira diferente da proposta por Dawkins. Mais uma vez as pessoas dizem que Dawkins afirma que não existe Deus, quando o mesmo EXPLICITA em seu livro que acha MUITO IMPROVÁVEL sua existência, mas não afirma categoricamente sua inexistência como muitos entendem.

Acho que considerarmos as coisas é importante. Assim como eu não afirmo que Deus não existe 100%, qual a razão para um teísta afirmar que Deus EXISTE 100% e ele está super-seguro disso? Não entendo e acho que nunca entenderei, pois se a única forma de evidenciar um suposto Deus é a fé (concluo eu, no momento não consigo pensar em nenhuma outra mais plausível), jamais entenderei. Afinal a fé é uma experiência pessoal e intransferível, logo como irei “ver” a fé do outro ou experienciá-la de alguma forma?

Reitero que respeito credos, apenas não concordo com eles. Não sou anti-teísta como Dawkins. Simplesmente não consigo racionalizar (se é que seria possível isso) a crença, a fé e sua necessidade para viver.

Abraços a todos! =)




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.