Posts Tagged ‘Agnosticismo

04
fev
10

Agnosticismo?

Olá pessoal, tudo bom? Melhor do pescoço e munido de pensamentos venho aqui para mais um post. Vamos lá!

Ultimamente tenho pensando acerca da postura “agnóstica” tão utilizada. Muitas vezes ela é utilizada de maneiras completamente erradas. Agnosticismo significa desconhecer algo. Apesar que a origem da palavra o a = negação e gnose = conhecimento, seria uma negação do conhecimento em outras palavras agnósticos seriam aqueles que negam um dado conhecimento existente (afinal não se pode negar um conhecimento inexistente). Acontece que o agnosticismo não é empregado neste sentido cru da palavra.

Antes de chegar no que seria uma definição um pouco mais precisa de agnosticismo, deixe-me falar um pouco acerca do emprego inapropriado do termo – Agnóstico ser utilizado como uma posição “cética” de meio termo. Quanto a crer ou não em deuses seria o “50% sim e o 50% não” o meio-a-meio. Nem lá nem cá. A segunda forma de emprego, consequentemente a mais inadequada é aquela famosa “Sou agnóstico. Não creio em deuses religiosos, mas acredito em um poder qualquer superior!” Já vi pessoas utilizando essa frase como justificativa do que seria um agnóstico. Bom ambas estão erradas e a segunda não passa de uma espécie de deísmo pessoal.

Agnóstico é aquele que simplesmente não possui conhecimentos acerca de dado assunto. Por exemplo – Sou agnóstico em relação a deuses ou seja – não tenho conhecimentos acerca da existência de nenhum deus. Você pode ser Ateu Agnóstico/gnóstico ou Teísta Agnóstico/gnóstico. Um ateu agnóstico é aquele que não acredita em deuses e não possui conhecimento acerca deles. O teísta gnóstico seria aquele que acredita em deus e possui conhecimento acerca desse deus. Exemplificando um exemplo de cada lado.

Ao meu ver a posição agnóstica não soa razoável. Atribui-se ao agnosticismo uma posição cautelosa, moderada. Quando na realidade o agnosticismo soa como algo preguiçoso. “Não tenho conhecimento acerca de X. Logo não tiro conclusões. Nem que sim, nem que não.”

Ser agnóstico é uma escolha obviamente, mas com posições estritamente agnósticas não haveriam muitos avanços, pois o agnosticismo nega/desconhece o “conhecimento” necessário acerca da questão que ele escolher ser agnóstico. Todos nós, a grosso modo acabamos sendo agnósticos em relação diversos assuntos. Desconheço diversas coisas, mas procuro estudar e conhecer aquilo que me é necessário/prazeroso. Se eu tiver uma posição agnóstica acerca das coisas, não me será necessário o conhecimento. Posso estar redondamente enganado neste parágrafo, mas ao que me parece resumidamente – Sou agnóstico em relação a X, logo assuntos sobre X acabam aqui.

Ser agnóstico é diferente do ceticismo. Onde levantam-se perguntas, críticas e procura-se obter o maior conhecimento possível acerca da questão X, afim de que um esboço de conclusão/conhecimento comece a ser levantado para X.

E quanto a ser gnóstico em relação a deuses? Possuo conhecimento sobre deuses? Quem possui? Padres? Pastores? Todo o conhecimento acerca de deuses que possuimos foram produzidos por nós mesmos. Logo a “gnose” acerca de deuses é um produto nosso. Como se tem conhecimento de algo que nunca pode ser evidenciado de maneira alguma até hoje? Eu simplesmente não consigo entender, como ser gnóstico em relação a deuses possa soar uma postura razoável e equilibrada.

Isso é um esboço. Ainda tenho algumas colocações a serem feitas sobre agnosticismo/gnosticismo e suas implicações. Parece que o texto ficou um pouco confuso, enfim, se notarem algo absurdo, por favor, sintam-se a vontade para criticar!

Abraços a todos!

21
out
09

Zona de cachinhos dourados…

Pois bem quero iniciar o posto dividindo um pouco de minha alegria com vocês! Recebi meu primeiro “Dez” na faculdade! Comecei o curso com o pé direito hehehehehehe. Professor gostou um bocado do meu trabalho de sociologia. Tema coexistência, meu grupo escolhido Ateus. Depois em post futuro eu ponho na íntegra o texto que elaborei juntamente da imagem pro pessoal ver.

Recentemente lendo o livro “Deus um Delírio” de Richard Dawkin, me deparei com um termo curioso utilizado em uma teoria da cosmologia. Do multiversos (ou o universo como bolhas de sabão, onde a nossa galáxia seria uma bolhinha dessas em meio a diversas) que fala que o surgimento da vida se deu apenas pois nosso planeta e galáxia está nessa zona chamada de Cachinhos Dourados (Goldilocks zone).

Cachinhos Dourados? Má como Cachinhos porra?! Explica essa porra!

Calma comissário é tudo muito simples! Essa fita aqui mostr…ops, tentarei explicar por alto o que seria e qual razão do termo. O termo surgiu como referência aquela história pra crianças, da Cachinhos Dourados que ao adentrar na casa dos ursos (que lhe deram abrigo ao invés de dilacerar ela) se depara com 3 cadeiras postas a mesa e 3 pratos de mingau. O do pai urso era quente demais, da mãe frio demais e o do filho estava na temperatura perfeita! Pois é com esse conceito de “perfeito” (quase) que o term0 surgiu. Afirma-se que o nossa galáxia possui as constantes em perfeito equilíbrio para manutenção da vida. O planeta terra encontra-se nessas condições, somos a prova “viva” (literalmente) do equilíbrio dessas constantes. Não pesquisei a fundo essas constantes, mas duas delas seriam temperatura e pressão. Estudarei um pouco mais a respeito dessa interessante teoria que faz parte do princípio Antrópico. Se pararmos pra pensar as chances de ocorrer no universo, locais com essas constantes seriam quase impossíveis. As constantes além de estar naquele valor (valor esse que é quase fixo, não permitindo uma tolerância nessa variação) necessitariam também de manutenção para essa permanência.

Logicamente o “Design Inteligente” fala que foi Deus que projetou e criou essas constantes e mantém elas nessas condições para nossa sobrevivência/surgimento da vida. Além disso ele de quebra ainda atende todas as preces feitas por cada ser humano teísta. Sem contar que se houver vida em outros universos/planetas ele tem de dar conta disso tudo também. Não há como imaginar um ser simples para isso tudo. Se Deus existir ele tem de ser complexo, concluo (não afirmo).

Curiosamente ouço as vezes as pessoas falarem que para ser Ateu “tem de crer tanto quanto um teísta na não existência de Deus”. Pois bem, primeiramente eu não afirmo que Deus não existe. Digo que as chances de sua existência são improváveis demais. Para mim não é como tirar cara ou coroa, onde temos os famosos “50% sim 50% não”, pois a nível de evidências não temos nada que corrobore sua existência. Se algum dia provarem que ele exista de maneira satisfatória podem “acreditar” falarei tranquilamente, “Aw, agora sim. Eu acredito também.” Segundo a fé por si só não pode ser “provada”. Segundo a palavra “não creio em deus”, soa um tanto quanto estranho. Prefiro dizer que “Baseado na falta de evidências de sua existência, até então, concluo que o mesmo não exista.” Simples assim. Bom, mas isso fica para outro post. Sei que muitos dirão “Aww mais o Amor é a mesma coisa, pessoal, intransferível e não se pode evidenciar de modo satisfatório.” Concordo, mas creio que existam diferenças quanto a amar alguém e amar um Deus.  Devido a minha falta de conhecimento é um argumento que eu preciso embasar e estudar mais acerca. Ler mais sobre. Enfim.

Tentarei pesquisar mais sobre cosmologia e suas magníficas teorias e falarei mais a respeito! Abraços a todos!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.