Arquivo de dezembro \29\UTC 2009

29
dez
09

Sentido da vida.

Calma-te ávido leitor! Nem de longe irei responder ou afirmar o que é um sentido para vida – se é que tem um. O post de hoje é apenas uma reflexão acerca deste tópico. Devaneios.

Essa questão povoa a vida de inúmeras pessoas. Quem não quer atribuir um significado abrangente em sua vida? Quem não quer saber por qual razão está vivo e qual seu objetivo principal? São perguntas que tiram o sono de muitos.

E se eu dissesse que não há um sentido? Seria chamado de maluco? Doido varrido? Ok! Tentarei explicar essa possibilidade, qual razão de tal pensamento.

Bom, eu sou Ateu – logo não acredito em vida após a morte ou em nenhum Deus julgador. Portanto qual seria o meu conforto diante de tamanho “vazio da vida”? Nascer, trabalhar, reproduzir e morrer? É isso que é a vida para mim? Não. A nossa vida para mim é algo único e curto – duramos pouco tempo na terra – portanto devemos nós mesmos buscar seus pequenos significados e sentidos no dia a dia. Quando digo isso são com coisas pequenas mesmo! Por exemplo – esperar a semana passar para encontrar os amigos numa mesa de bar e ter aquela conversa, marcar aquele cinema com a namorada, almoçar naquele restaurante que tem uma comida magnífica, ler um livro naquele dia friozinho, reencontrar aquela amiga que não vê a anos e dar um abraço apertado. Esses exemplos por mais bestas que pareçam, ao meu ver, constituem os nossos significados da vida. Os pequenos momentos que nos dão alegria. Para mim o mais próximo de “sentido” de vida que podemos chegar. Viver é atribuir significados diariamente as coisas, buscar nestes o sentido de se viver.

Não há objetivo final, principal. Desculpe-me a visão um pouco cruel, mas diante deste gigantesco universo pensar que todos nós somos seres especiais com destinos/propósitos traçados é um pouco de arrogância. Não acho que sou tão especial assim, nem quero ser. Quero aproveitar minha vida seguindo meu caminho e meus próprios significados.

Para boa parte dos religiosos essas perguntas tem respostas. Para os espíritas por exemplo, você é um espírito em constante evolução (por qual razão?) e o seu único objetivo é evoluir – você reencarna, sofre, é feliz, morre, reencarna, sofre, é feliz, morre – por diversas vezes até você ter evoluído a tal ponto de não reencarnar na terra mais. Uma visão um tanto quanto angustiante e ineficaz, pois como você irá aprender com seus erros de vidas passadas, se quando você reencarna você não lembra de nada? Se eu evoluo ou aprendo com meus erros será inconscientemente. Um aprendizado um pouco as cegas ao meu ver.

Como saber que minha religião é a correta? Como sei que o Deus do catolicismo é o verdadeiro e não o do Islamismo? (Não é a busca pela verdade que as religiões se propõem? Aliás, elas não buscam elas SÃO!) Se brincarmos um pouco com a definição de ateísmo, veremos que diversos católicos são Ateus para Alá, por exemplo. Religião é um fator cultural. Se pegarmos um evangélico brasileiro e ele nascesse na Índia por exemplo, fatalmente seria Hindu. Se nascesse em um país fundamentalista Islâmico acreditaria em Alá. Será que as pessoas que cultuam seus deuses já pararam para pensar nisso?

Sei que a fé inabalável constitui uma virtude para muitos (eu discordo profundamente disto) e que essas (e muitas outras) dúvidas são esmagadas de ante-mão por uma tropa-de-choque teísta (cada uma defendendo seu ponto de vista). Minhas lamentações vão para aquelas crianças que mal começam a viver a vida e já são ensinadas a temer um deus e a significar toda sua vida em volta deste.

Crianças de pais teístas!

25
dez
09

Retrospectiva 2009

Como vamos todos? E ai? Natal? Comeram muito? Comemoraram? Espero que sim!

Bom esse post será uma retrospectiva de 2009, mas do contrário da Globo não farei um apanhado geral do mundo em 2009, irei falar do que foi 2009 (resumidamente) para mim.

Bom posso dizer que 2009 começou de fato, depois do meio do ano para mim, quando comecei minha faculdade de Desenho Industrial. Acontece que chegarei lá, vamos por partes (eu e minha ansiedade).

Bom o início deste ano foi importante para mim, pois pude pensar e organizar diversos pensamentos de minha vida. Sinto que obtive um amadurecimento grande e devido a tal, pude traçar metas com muito mais clareza quanto ao que eu quero “ser quando crescer” (brincando, o que eu quero como profissional). Estudei por conta própria um bocado de coisas, essa foi basicamente a metade do meu ano.

Agosto em diante foi ficando melhor – me matriculei na faculdade e comecei a estudar de novo. Devo confessar que a rotina acadêmica me fazia falta. Mesmo (por mais estranho que isso soe, já estou sentindo falta da faculdade e sua rotina hahahahahahahaha). Conheci gente nova e fiz algumas amizades bem legais. Uma só faz rir e outra que pensa caoticamente o fim do mundo (assim como eu muahahahahahaha).

Me envolvi nesses 3 últimos meses com filosofia/leituras de maneira firme – hábito que eu não tinha. Li 4 livros neste período (sei que é pouco, mas estou apenas esquentando), diversos textos e vídeos sobre filosofia/ateísmo. Enriqueci um bocado minha parca bagagem acerca destes assuntos e confesso que estou curtindo demais cultivar este hábito. Meus amigos e nossas diversas conversas acerca de filosofia, religião e a vida foram fatores decisivos para minha busca por mais conhecimento.

Agora estou de férias, estudando 3D (animação principalmente) que é o que eu REALMENTE quero dominar mesmo. Lendo blogs sobre filosofia e continuando a baixar meus vídeos acerca destes assuntos. Esperando fevereiro chegar para voltar aos meus estudos. Enquanto não vem, irei curtir meu tempo livre estudando e fazendo o que gosto.

Pois é 2009 foi um ano muito bom, decisões e muitas coisas boas. Se a coisa continuar assim 2010 só tende a melhorar. 2011 então, nem se fala! 2012 será…aw, esqueci o mundo vai acabar em 2012… =\

Abraços e Feliz Ano Novo para todos!

22
dez
09

Feliz Natal!

Não, não! Eu não acredito em papai noel não pessoal, mas venho igual desejar algo positivo para o pessoal deste blog!

Aliás, aproveito e deixo um texto bem humorado, para aqueles que ainda tem alguma dúvida sobre a existência ou não de papai noel -> clique aqui <- a física/matemática e suas bases são amplamente utilizadas para acabar com esse mito! xD

Seguindo adiante – o que eu acho do natal?!

Uma porra de data comercial, onde não se vê/pensa em nada além de torrar o seu décimo terceiro com…

Sério, vocês não querem saber. Deixemos isso para outra ocasião! O natal para mim, nada mais é do que um dia estipulado por sabe-se lá quem (não quis pesquisar sobre isso, desculpem) para enchermos a rabiola de comida, bebida e presentes.

Para mim o que vale do natal (ok, a comida é bem bom!) é a oportunidade de reunir a família. Reunir a família, papear, falar merda, comer e curtir uma noite assim.

Para aqueles que já o fazem durante o ano, diria então que o natal é apenas mais um dia desses de reunião familiar, sem nada em especial. Apenas aproveitem. =)

Portanto queria deixar meu feliz natal a todos os leitores, que vocês mesmos busquem seus significados para natal. Procurem trazer um significado que mais agrade. Se gosta de presentear de verdade, compre presentes. Se gosta de passar vendo TV com quem ama – passe! Não tem etiqueta ou lei nenhuma que nos obriga a fazer do natal algo a ser comemorado e vivido obrigatoriamente. Viva se quiser, comemore se sentir que deva.

Esse são meus votos para todos!

Abraços a todos e pretendo fazer um post antes do ano novo! =)

18
dez
09

Posturas – Método Científico

Olá a todos. Hoje trarei um conteúdo bem “viajado.” É mais um esboço de um pensamento meu, após assistir uma palestra de filosofia sobre empirismo e ceticismo grego. Se ficar confuso ao final, peço perdão de antemão!

Bom nos meus posts constantemente falo de religião, ciência e o método empírico que a ciência emprega para construir suas teorias e evidências. Um dos motivos que sempre utilizo para não achar possível a existência de um Deus são as faltas de evidências que corroborem com um. Afinal, o que são evidências? Provas? Verdades?

Primeiramente gostaria de dizer que o termo “prova científica”, ao meu ver, é errado. A ciência através do ceticismo empírico constrói diversas hipóteses e teorias. As mesmas são verificadas e evidenciadas empiricamente – na prática – e vão ficando cada vez mais plausíveis de serem “verdades”. Filosoficamente falando não é possível medir essa quantidade de “verdades”, afim de que um acúmulo das mesmas de fato, constitua uma certeza absoluta. Portanto por mais óbvio que isso pareça, a ciência não dita verdades absolutas, ela possui diversas teorias reforçadas por inúmeras evidências obtidas através do método científico empírico. A observação dos fenômenos e suas experiências.

O que eu entendo por fenômeno? Bem, discordando do significado que o dicionário dá, ao meu ver, fenômeno é toda aquela experiência comum a um grande número de pessoas. Irei exemplificar –

Estamos em uma sala de aula a noite. Temos mesas, carteiras e uma janela que nos permite olhar o céu. Posso dizer que as mesas/carteiras são verdades? Não sei. Talvez sejam, se pensarmos um pouco mais veremos que não podemos afirmar com tanta certeza assim. Do contrário, se eu perguntar que a “experiência mesa” que temos é parecida? Sim. Sabemos que ela é sólida, sua utilidade e outros aspectos. A experiência “mesa” será um fenômeno em comum para quase todos ali. Assim como se eu perguntar “Alguém aqui discorda que está de noite?”, dificilmente alguém irá. Esse conceito de “experiência” comum que – ao meu ver – constitui os fenômenos que a ciência busca estudar.

Portanto a ciência através do empirismo irá estudar esses fenômenos que são comuns aos diversos seres. Essas experiências em comum. Portanto isso dificulta tanto a evidenciar diversas “experiências paranormais” ou “sobrenaturais”. Pois a grande maioria dela são experiências individuais, portanto não constituem evidências satisfatórias de sua sustentação como fenômeno.

Então alguns perguntariam “Você acaba de dizer que a ciência não é capaz de demonstrar que Deus existe?” Não. Pois se Deus existir de fato como teístas afirmam uma hora esse “fenômeno” será possível ser evidenciado de alguma maneira. Se Deus REALMENTE existir, diria que nossa ciência “não é capaz de evidência-lo” neste momento, mas isso não significa que NUNCA será. Acontece que acho que nunca será capaz de tal fato, pois acho improvável que um exista.

Essa foi uma abordagem filosófica (ou ao menos tentou ser) do que eu entendo por ciência e métodos empíricos. Espero que tenham entendido! Irei me aprofundar mais no assunto e pretendo trazer mais para o blog!

Abraços!

17
dez
09

A fé medrosa…?

Oi oi oi! Tudo bom?!

Meu post anterior eu comentei as 12 famigeradas “”””””””razões”””””””””” (põe aspas nisso!) para se praticar abstinência sexual até a hora de casar-se. Evitei falar algumas coisas no post anterior, afim de que o mesmo não ficasse muito extenso.

Ao ler os comentários feitos pelos leitores do site Sexxxchurch.com a respeito das razões, fiquei um pouco pasmo. Para muitos essas 12 razões constituem todo o sentido do mundo e são “lindas”. Sério. Pessoas escreveram lá que o assunto foi abordado de uma maneira linda. Se duvidam percam um pouco de tempo e leiam os comentários.

Um comentário em específico me chamou a atenção e creio que ele seja o pensamento também de muitos cristãos – Temer a Deus. Essa seria a razão maior para seguir os 12 passos e a suposta sustentação bíblica que o mesmo tem. Lembrando que interpretação de passagens isoladas da bíblia não é uma sustentação muito válida. Me admira teístas que estudam a bíblia não terem o trabalho sequer de procurar estas passagens e saber em que contexto estão inseridas.

Por exemplo “Para tudo há uma ocasião certa. Há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu.” Ec. 3.1. Li na bíblia que eu tenho aqui e interpretaria isso de maneira diferente, visto que essa passagem seguida de um contexto não faz menção alguma quanto a sexo. Apenas interpretaria que esta passagem pontua que para tudo na vida temos nosso tempo. Tempo esse de amadurecimento, não cronológico. Se é perfeitamente possível para teístas levarem crianças de 6 anos a igrejas para serem evangelizadas, por qual razão um adolescente de 16-17 anos não pode praticar sexo de maneira consciente? Essa definição de tempo, sustentada por uma DÚBIA passagem bíblica não explica PORCARIA NENHUMA.

Agora que a parte interpretativa é um problema conhecido a questão que levanto é essa infinita temência a deus. Não consigo ver isso como uma prática saudável e fico imagino se deus acaba virando apenas uma trava moral – ao invés daquilo que ele supostamente deveria ser – um ser de esclareciment0 e amor (?)

A partir do momento que tomo como pré-suposto que não farei sexo pois temo as consequências que DEUS irá impor a mim, fica claro que se DEUS não existisse eu iria praticar sexo tranquilamento, correto?

As pessoas tem realmente bondade dentro delas ou só agem assim por medo de serem punidas divinamente? Que liberdade toda é essa que os teístas afirmam ter ao encontrar a palavra de deus e Jesus? Comum ver evangélicos gritando aos quatro cantos que “Sou livre graças a Jesus!”

Nietszche tem um ponto de vista interessante sobre o evangelho: De acordo com ele, o evangelho morreu na cruz, junto com Jesus. Que Jesus foi para cruz pois basicamente era um “político” em uma época que “políticos” eram incomuns. Ele não foi para a Cruz para livrar a humanidade de nada. Foi por culpa dele próprio somente. (Estou lendo o anticristo, obra dele, caso essa minha leitura do que ele escreveu estiver errado, por favor sintam-se a vontade para me corrigir!)

Não consigo compreender como causa final – de praticar certas condutas morais – o medo diante de deus. Viver com medo não pode ser saudável e libertador. Medo o tempo todo, pois deus vigia você 24h por dia, de seus pensamentos impuros e algumas vezes suas ações.

Acho que grande parte daqueles que se dizem teístas MESMO, não tem noção disso e de fato não seguem porcaria nenhuma da bíblia. Seguem o senso comum e se baseiam sim, no código moral vigente. O que ao meu ver é ótimo, mas para eles é muito importante que os outros saibam que eles seguem e que acreditam nisso veemente.

Minha moral pode ser muito semelhante com diversos religiosos em muitos aspectos, como não roubar, não matar, não fazer mal ao próximo etc. Acontece que minha causa final para tais atos não vem de um ser divino – vem de mim mesmo – ao longo de minha vida, criação e da minha particular interação com o ambiente (que mesmo sendo comum a outras pessoas, geramos respostas diferentes), adquiri essas características morais/éticas a qual sigo. Não preciso temer um ser Onipotente para fazer o que acho certo.

16
dez
09

12 Razões para esperar o que?

Olá pessoal. Navegando pela net, lembrei de um site que um amigo havia me passado. Resolvi colocá-lo nos favoritos para conhecer o seu conteúdo posteriormente. Hoje resolvi olhar o site e fiquei decepcionado.

Ao ver a entrada do site pensei “Olha um site cristão com uma abordagem diferente”, devido ao nome “Sexxxchurch.com” (link aqui). Pois bem, ao ler alguns dos textos postados no site percebi que é a mesma porcaria de sempre. Escolhi um texto em especial para comentar. O texto que irei comentar se chama “12 razões para esperar até o casamento” (link aqui). Recomendo que leiam, é pequeno.

Bom o criador do texto afirma ter 12 fortíssimas razões para esperar o casamento. Eu diria que as razões dele são fraquíssimas e 90% delas se baseiam em juízos de valor bíblicos. Ao citar algumas passagens, reforça o fator dúbio da interpretação. A correção do título resolveria o problema – 12 Razões CRISTÃS para esperar o casamento. Infelizmente essa pequenina palavra foi omitida.

1 – Isso não é bem uma razão. Eu quero por que? Simplesmente ele colocou “Eu quero e quero muito!” como uma razão. Não quis explorar o cerne da questão.  Basicamente “É difícil aguentar as tentações, por isso eu quero!”. Quer pois é difícil? E em primeiro lugar desde quando sexo antes do casamento é errado? (deixa eu adivinhar – Pois está na bíblia?) Sinceramente não fez muito sentido essa primeira, extremamente subjetiva. A pergunta que deveria ser respondida – Por que eu quero muito? –  Ficou sem resposta.  “Reforçada” ainda por uma passagem bíblica. (Talvez nesta parte a passagem bíblica sirva como “razão” para sustentar o “quero muito!”. Utilizar algo que pode ter múltiplas interpretações afim de constituir plausibilidade de um argumento. Preciso completar?)

2 –  Como assim?! Deixa de ser o centro da própria vida? Então se eu praticar a abstinência deus irá tomar conta de meu ser? Que diabos de razão foi essa?! Isso dificilmente seria chamado de razão. Posso praticar sexo e continuar sendo devoto a Deus, não? Seria provavelmente classificado como um devoto hipócrita pois supostamente estou “ferindo a sua vontade” da abstinência. Hein!?

3 – Cedeu a tentação da carne? Amigo lhe direi, isso é perfeitamente comum. Durante a adolescência onde nossos hormônios estão a toda, é extremamente comum termos parceiros e praticarmos sexo. Não há nada de imoral, sujo ou pecaminoso nisto. Só concordo que precauções DEVEM ser tomadas (camisinha, pílulas etc) afim de evitar-se gravidez precoce ou DSTs. E se “deus” REALMENTE quisesse que praticássemos a abstinência, por qual razão então “projetaria” nossos corpos para produzir hormônios e nos tornar ávidos por relações sexuais tão cedo? Para nos testar? Sei que é uma lógica cretina, mas acho inevitável levantá-la. (Levando em conta o criacionismo nesta.)

4 – Pois é. Descompromisso. Relações líquidas. O que tem de errado? Esqueço que os cristãos tem essa visão de “amor eterno” e que com quem se casar, você deverá ficar para o resto da vida. Ambas realidades existem, pena que o cristianismo defende apenas uma e ignora a outra. Essas relações “descompromissadas” fazem parte de um processo em que a sociedade se encontra. A visão de amor mudou assim como o sujeito. Logicamente isso trás malefícios, mas benefícios também. Como quase tudo. Uma pena que ainda pregam a visão de amor do velho/novo testamento (que é bem “atual”, só tem uns milhares de anos atrás) como conduta moral correta e única. Inclusive a visão bíblica de serventia total a deus (que ao meu ver, trás muitos mais malefícios, incluindo textos como estes) do que benefícios.

5 – Ter um hímen “não-rompido” não significa prova de amor (no caso das mulheres). Virgindade e seu tabu não significam prova de amor. Você pode ter namorados em sua adolescência e mais tarde ainda sim, ter um casamento feliz e com muito amor. Que belíssima razão.

6 – É possível coinciliar estudos com namoro. Caso a balança pese é prudente de fato optar sempre por sua carreira e estudos. Cada caso é um caso, mas ao invés de consultar a glória de deus, que tal sentar com seu parceiro e ter uma boa conversa sobre as possibilidades? Acho que é muito mais produtivo.

7 – Assim como as chances de eu morrer são menores se eu ficar em casa o dia inteiro! Isso é lógico! Para DSTs e  gravidez tem de ter a educação sexual dos jovens. As igrejas que arrebanham milhares deles, ao invés de pregar a abstinência deveriam conscientizar dos métodos e educar os jovens. Explicar as possibilidades e que sexo não é risco.

8 – Concordo. Por isso – Camisinha ou pílula. =)

9 – Conversar. Sei que muitos pais  serão contra. Essa é uma questão bem delicada e a abstinência é uma decisão unilateral. Pois irá evitar atritos com seus pais apenas. Diálogo é uma saída, mas infelizmente nem todo pai/mãe é mente aberta para tal.

10 – Sim a realidade é bem diferente. Não temos um “ser” nos espionando 24 horas/7 dias para saber o que fazemos. As mulheres são criadas de modo a esperar um príncipe, por isso acho que deva mudar. Elas podem tomar as rédeas de suas vidas amorosas e irem em busca de suas próprias experiências. Com um pouco de cuidado/juízo sem medo.

11 – Depende do seu significado de lua-de-mel. Ao meu ver limitado a descoberta do sexo. Discordo. Sexo com alguém que se ama de fato e quer muito estar junto sempre será especial, sendo primeiro ou não. Uma lua-de-mel continuará muito especial igual com ou sem abstinência prévia. (Como eu citei, as razões são baseadas em interpretações demais…)

12 – Bom, considerando a época em que Jesus viveu e os dias de hoje tentar viver uma vida pautada na Bíblia seria no mínimo absurda. A moral vigente em nossa sociedade (Brasil, não falo do mundo) é BEM diferente. Dizer que foi pra pior ou melhor? Uma colocação delicadíssima.  Como o autor não fez distinção do Velho ou Novo testamento, (falou a bíblia) peço que os cristãos fiquem de fato com o novo testamento pelo menos. Se formos nos guiar pela moral do velho…

15
dez
09

Posturas – Espiritismo

Olá pessoal. Espero que tudo bem por ai.

Bom o post de hoje será sobre um assunto que tem surgido um bocado em minha roda de amizades, o Espiritismo e seus mistérios.

Espíritos existem? É possível falar com pessoas mortas? Como explicar Chico Xavier? Como explicar pessoas que trazem recado dos mortos? Como explicar pessoas que ouvem/sentem/vêem coisas?

Essas e outras dezenas de perguntas são comuns entre as pessoas, até mesmo entre alguns Ateus. Apesar de todo meu ceticismo devo dizer que alguns “fenômenos” me intrigam razoavelmente. Algumas vezes já fui indagado, sendo ateu, “Como você explica isso?”. Pois então.

Para começo eu não explico. Não de maneira satisfatória. Máximo que faço é tecer hipóteses acerca de tais fenômenos, mas de maneira cautelosa. Não sei o quão avançados estão os estudos científicos afim de explicar estes fenômenos e neste caso não tenho muito interesse em saber (é uma área que não tenho interesse mesmo em aprofundar.)

Eu vejo/via coisas (isso inclui ouvir, sentir tb). Bem para mim o cérebro humano é muito sugestionável e poderoso. Devido ao estresse ou condições do momento podemos muitas vezes criar coisas muito realistas. Como por exemplo, uma pessoa com uma febre altíssima tende a delirar. Quando estamos com muito medo de algo e escutamos um som qualquer, podemos jurar que ouvimos vozes ou coisas semelhantes. Acho importante uma abordagem mais cautelosa para diferir “sustos” de mediunidade/patologia.

Para o caso de pessoas que mesmo no dia-a-dia (independente de seu estado emocional) tendem a ver/ouvir, eu diria que ao invés de “espiritual” possa vir a ser patológico. Exames neurológicos podem ser grandes aliados na solução e tratamento (caso de fato seja diagnosticado algo). Isso não exclui a possibilidade de “espíritos” existirem ou dessa mediunidade. É algo um pouco “sem respostas” ainda. Ao meu ver na maioria dos casos, as pessoas estão inclusas nas situações citadas acima. Ainda sim temos uma boa parte que não totalmente.

Como de costume, o que me incomoda é a crença que dita verdades absolutas sobre estes assuntos. Enquanto de um lado procuramos respostas para muitas destas perguntas, o espiritismo vem e trás todas elas. Respostas muitas vezes dogmáticas. Reencarnação? Baseado em que eles afirmam isso? Apenas afirmam e não há uma justificativa (que eu saiba, deixar isso claro) que evidencie isso de maneira convincente. Até ai ok, estou apenas descobrindo a pólvora, que religião que não faz isso?

Já fui um simpatizante ao espiritismo, li acho que o livro mais famoso do Chico Xavier o Nosso Lar, mas após me tornar mais cético do que já era, me afastei um bocado. Quanto ao espiritismo tenho uma postura neutra. Diferente do Protestantismo/Catolicismo/Islamismo. Desconheço “espíritas fundamentalistas radicais” e do pouco que conheci não lembro de ver nenhum fanático. Muito pelo contrário, são comunicativos e procuram responder suas perguntas ao máximo dentro de sua doutrina (não digo que não existam, falo de minha experiência, que nunca os vi!). Vale ressaltar que minha experiência com espiritismo se resume a centros espíritas, não participei de rodas nem rituais de incorporações ao vivo, apenas palestras e conversas. Já no Catolicismo/Protestantismo (e suas 20000000000 vertentes, todo dia nasce uma nova igreja um nome novo pra mesma coisa)/Islamismo onde podemos achar fanáticos com muita facilidade.

Sou completamente cético a respeito de misticismos (para mim um dos piores tipos de “crença”) como astrologia, tarô, búzios, vidências e qualquer outra espécie de “estudo” (colocarei assim, para manter um certo respeito para com essas) que diga ser capaz de adivinhar o futuro. Clássica da astrologia, o famoso horóscopo. Putz…desde quando Plutão alinhado com Saturno irá me fazer ficar mais alegre naquele mês? Muitos astrólogos (que chique, não?) virão com dezenas de explicações “As radiações X com as energias Y…” infelizmente param por ai, pois nenhuma delas podem ser evidenciadas ou comprovadas de maneira satisfatória. Para os desinformados, Astrologia NÃO é ciência. Ela pode ser muito antiga (cerca de 3000 AC, quando surgiu, estima-se), mas isso não a valida ou lhe dá credibilidade. E daí que usam matemática? Assumir que planetas afetam nosso humor de lá de longe é outra história COMPLETAMENTE diferente.

Bem, fico por aqui, este assunto tem um bocado de coisas a render ainda. A medida que surgir irei postando.




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.