Posts Tagged ‘educação

04
abr
14

Startup Weekend Favela 2014

Olá internet! Agora que arranjei uns minutos para respirar e por tudo em perspectiva, irei dividir um breve post a respeito da Startup Weekend realizada no morro da Providência este ano. A primeira vez que este evento acontece em uma comunidade do Rio de Janeiro misturando o universo do empreendedorismo e inovação com o rico ambiente cultural e humano que é a comunidade da Providência.

O evento em si dispensa apresentações, o Startup Weekend já acontece pelo mundo todo fazem uns bons anos. O evento basicamente é uma grande JAM, aonde times devem criar uma startup/negócio em aproximadamente 54 horas. Alguns participantes logo no início fazem um pitch (apresentar uma idéia em 60 segundos) e uma votação ocorre. Ao final, as 9 idéias mais votadas são levadas adiante. Os grupos se formam de maneira espontânea, você corre atrás da idéia que quer trabalhar e os trabalhos começam nos dois dias que seguem.

No final 9 idéias foram escolhidas sobre temas diversos: lixo nas comunidades, cultura, geração de renda e um projeto que me chamou a atenção – criado pelo Hudson, um rapaz de 19 anos que mora na comunidade do Borel – A inserção dos e-sports (jogos digitais como esportes) nas comunidades. Sabe aquela história de termos escolinha de futebol nas favelas? Que tal uma escolinha de League of Legends, Battlefield, Crossfire, Starcraft, Dota, etc? Gerar inclusão digital e levar essa cultura gamer para as comunidades.

Achei a idéia fantástica, pois também sou um gamer e já estudei muito a respeito do processo de criação de jogos, mas acima disso acredito que jogos são uma mídia fantástica. Possuem um potencial enorme tanto para o entretenimento, quanto para o lado educativo. Acreditem se quiser – aprendi inglês graças a Diablo II, o que me permitiu mais tarde, passar no TOEFL e conseguir uma bolsa de estudo. Comigo foi um processo não guiado e sem pensar. Não jogava Diablo II com o intuito de aprender inglês, precisava aprender pois a economia do jogo era baseado em trocas. Como iria barganhar se não sabia me comunicar? Então era dicionário português-inglês na mão e muita tentativa e erro.

Agora a idéia é – como transformar isto num método afim de explorar este potencial nos jogos, de maneira eficaz? Usar jogos que não possuem finalidades pedagógicas como uma ferramenta extra aos entediantes livros e quadros negros das salas de aula. A idéia do Hudson era apenas fomentar a cultura gamer profissional nas comunidas, mas logo logo ao batermos um papo vimos que o projeto poderia se desdobrar muito além daquilo.

A grande Jam então começou. Nosso grupo era diverso, eu como designer, moradores de outras comunidades (conhecimento tácito e local), empreendedores, desenvolvedores, etc. Começamos a etapa da modelagem de negócios com o Canvas. Pensar estratégias, segmentos de clientes, geração de renda, etc. A mentoria foi excelente, nos ajudando muito. Uma das mentoras, a Lindália, Diretora de Inovação da Estácio, nos colocou em contato direto com o ex-presidente da Intel para batermos um rápido papo a respeito do mercado dos jogadores profissionais. Foi sensacional.

Assim nascia a Incoming Brasil Games – a primeira startup focada na profissionalização de gamers nas comunidades do Rio de Janeiro. O evento seguiu. No último dia um campeonato piloto foi realizado em uma lan house local. Validando a idéia/formato de campeonatos. O primeiro lugar ganhou uma bolsa de estudos em um curso profissionalizante, de um dos patrocinadores que estavam no evento. Descobrimos através dos próprios gamers da comunidade, que o mercado é enorme e a procura por esse tipo de fomento também.

A Incoming Brasil Games ficou em segundo lugar, mas foi como se tivéssemos ficado em primeiro. A comoção do pessoal, a chuva de parcerias/pessoas interessadas no projeto e no próprio Hudson (criador da idéia) foram imensas. Aos mais descrentes no início (jogos são coisa de desocupados) foi um belo aprendizado – jogos são uma mídia única e fazem o que um livro, filme, música – dê o nome – não conseguem. Não no sentido de serem superiores, mas no sentido de possuirem elementos muito mais abrangentes e com potenciais que nem mesmo a indústria dominou ainda.

Minha lição? Aprendi que existem empreendedores incríveis nas comunidades e que idade não faz a menor diferença (o primeiro lugar foi um senhor de 70 anos, com uma plataforma de saúde). Percebi que é necessário a criação de ambientes como a startup weekend, mas de maneira sistemática. Existir um espaço nas comunidades permanentes para isso, aonde outros “Hudsons” possam tirar suas idéias do papel e ao mesmo tempo impactarem suas vidas e de outras pessoas positivamente.

Em resumo – troca de experiências, networking, idéias inovadoras e um espaço altamente produtivo. Essas são minhas palavras chaves para o Startup Weekend Favela.

 

13
mar
14

Idéias – Transformar

Estava dia desses assistindo no GNT um programa aleatório a respeito da “Food revolution” que o Jamie Oliver, um chef britânico, tentava implementar na América do Norte, mas especificamente no estado da West Virginia.

Ele queria levantar apoio/fundos para ajudar na realização de seu programa, que não somente incluia comidas mais saudáveis nas escolas Norte Americanas, mas também um belíssimo programa de treinamento profissional com os estudantes, ensinando eles a cozinhar.

O britânico então resolveu dar um jantar para 80 pessoas, incluindo senadores, jornalistas e formadores de opiniões. Até ai parecia algo normal. A grande sacada de Oliver foi apostar numa idéia – colocar os próprios adolescentes de uma escola do ensino médio Norte Americano “to do the cooking”. Alguns deles nem sequer haviam colocado a mão em uma colher de pau. Um deles disse que havia cozinhado 4 vezes a vida toda. Após a refeição, todos teciam elogios a Oliver, que ao final revelou a charada. Os alunos eram os cozinheiros esse tempo todo. Esse impacto permitiu que os adolescentes falassem e fossem ouvidos. Não era mais o criador do projeto e principal interessado que ele fosse implementado que estava falando – eram os futuros participantes agora. Era o “público alvo” ali. Era um belo momento de feedback e co-criação acontecendo.

Fiquei muito intrigado com esse episódio. Vi que um cara, com sua expertise que é cozinhar, podia usar isso para mudar realidades e criar impacto. É tão óbvio para nós criarmos uma relação de importância com certas profissões e achar que outras são menos importantes. Médicos quase tem escrito na testa “Salvadores de vida”, mas um chef de cozinha não. Você ao olhar um Designer em frente ao seu computador consegue imaginar ele salvando vidas através do que ele faz? Da sua expertise como designer?

Esse tipo de conexão é quase inexistente. Curioso ficarmos tão restritos a visões superficiais a respeito de certas profissões que não percebemos o quão fantástica são as possibilidades. Jamie Oliver nos mostrou claramente como ele pode usar sua expertise de chef de cozinha, para salvar e mudar milhares de vidas de jovens no ensino médio. Projetos como o Estaleiro Liberdade, Escola Quiron, Dream:in e o Design Possível, mostram que Designers/Empreendedores já estão mudando realidades. Alguns deles salvando vidas. Empresas como a IDEO vão a locais mais extremos do mundo afim de solucionar problemas ou facilitar a vida de comunidades carentes através do Design e seus inúmeros métodos.

Proponho aqui uma reflexão – Vamos parar de achar que apenas médicos e engenheiros são capazes de resolver os problemas complexos que temos. Achar que eles são os únicos capazes de gerar inovação ou salvar vidas. Que tal olharmos para profissionais extremos e pensar em como eles podem contribuir com algum impacto social. Imaginem o que um jogador de futebol pode fazer? O que um tatuador famoso poderia fazer?

Extrapole e especule.

16
out
09

Dia dos Professor”a”s

Má oem! Bom dia/tarde/noite (não sei que horas as pessoas lerão isso.) Apesar de ter sido ontem o dia dos professores eu resolvi postar sobre isso hoje (antes tarde do que nunca.) O título brincando com o discurso da Senadora Ideli Salvatti (PT-SC) ao dizer que deveria ser chamado de “O dia da professorA”, de acordo com ela e seus dados númericos, existem mais mulheres dando aulas que homens. Legal não? Enfim após essa colocação super “contundente” como a Senadora adora falar, começaremos de fato.

Educação. Quem não já ouviu falar dessa palavra seguidas de adjetivos negativos, especialmente quando o assunto é “Educação no Brasil”? Pois é. Infelizmente essa realidade persiste. A boa nova é que com as olimpíadas de 2016 inglês, espanhol e francês serão incorporados no ensino médio. A má “nova” é que mal se consegue ensinar português para as crianças desse país (o fenômeno LOL BR tem origem forte nisso), imagine ensinar português, inglês (haha), espanhol (HAHAHA) e francês (HAHAHAHAHAHHAAHA)! Aw, eu digo isso pois não fui contagiado pelo espírito olímpico! Como eu sou incrédulo e “do contra” não? Pois é.

Ok deixando isso de lado, quero destacar o discurso do nobre Senador Cristovam Buarque (PDT-DF) que sempre bateu na tecla da educação. SEMPRE. Uma pena não ser ouvido. Destaco a comparação que ele fez com as escolas, serem os aeroportos para a vida. São responsáveis pela decolagem intelectual de cada ser. Realmente de fato são.

Se traçarmos uma origem dos principais problemas do país veremos que a educação de qualidade resolveria praticamente TUDO. A violência gerada pela disparate das classes sociais, política, um povo com conhecimento histórico (creio eu) iriam eventualmente minando candidatos de passado sujo, nas urnas. Só nisso ai vários agravantes destes mesmos problemas, seriam eliminados.

Talvez não seja interessante um povo esclarecido, detentor de grande conhecimento nas mais diversas áreas né? Afinal como os atuais “políticos” iriam se manter onde estão? Se é justamente explorando a ignorância e a pobreza que os fazem chegar lá. Acabar com suas fontes primárias de voto seria um suicídio. Uma pena.

Deixo minha singela homenagem aos BONS professores deste país. Aqueles que mesmo ganhando misérias tem uma paixão por lecionar e procuram a real recompensa nos sorrisos dos alunos. Posso estar sendo demasiado romântico e talvez não existam profissionais assim, mas eu acredito (e espero) que existam. Tenho boas lembranças de professores e me considero sortudo (considerando este país) de ter tido uma base educacional boa. Fico por aqui.

Abraços a todos e Feliz dia dos professores aos mestres do país!




Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.