23
mar
11

6 dicas para o “bom design”

Lá vão 6 dicas TOP DE LINHA para um bom design. Um design jovem, arrojado, despojado e desprovido de quaisquer apegos por grids, alinhamentos, composições, pesos e etc.

Deixe o design fluir : seja criativo!” – Autor desconhecido

1 – Degradê all the way!

Logicamente ao desenvolvermos peças publicitárias gráficas devemos nos preocupar com algumas coisas básicas como contraste, mensagem, forma, cores e etc. Eficiência da mensagem transmitida, tempo de assimilação, simplicidade (no caso de mídias dinâmicas ou seja, mídias em que o receptor tem poucos segundos de atenção para olhar).

Trabalhar com 2 cores contrastantes pode ser bastante eficaz para causar uma fácil assimilação de uma forma simples a ser divulgada. Uma mensagem de captação rápida…mas perai…2 coreszinhas só? Assim, chapadas…aw…não…fica muito sem graça.

Negócio é COLOCAR AQUELE DEGRADEZÃO MESMO! O mais bacana que o limite é sua CRIATIVIDADE! Alguns softwares permitem combinação de diveeeeeeeeersas cores em apenas um degradê! É o arco-íris! Se seu trabalho tá muito simples e eficiente demais em transmitir a mensagem, não hesite – DEGRADÊ NELES!

2 – Figura e fundo

Gestalt e sua vasta teoria acerca dos estudos da percepção humana. O contraste de formas e figuras, planos diversos. Planos de fundo que possuem uma função de contraste e facilitam a fazer com que a mensagem principal obtenha maior destaque. Acontece que dai…pô…dá pra melhorar…e dá! Método infalível de agregar valor artístico infinito aos seus trabalhos e provocar suspiros em seus clientes “Pow! Agora ficou XOU LESKE! Aprovei!

Pegue figuras geométricas ou ferramentas de vetorização. Construa formas aleatórias. Coloque opacidade nelas, cerca de 15% apenas, para que fiquem como marcas d’agua. Repita elas aleatoriamente (não pode seguir nenhum tipo de equilíbrio ou linhas-guia – isso é coisa de quadrado!) e pronto! Terás um plano de fundo abstrato e lindo! Com sorte ele será tão chamativo e competirá com a mensagem principal da peça gráfica! \o7

3 – Elementos de apoio geométricos

Pô cara! Tá ligado naquele movimento lá quadradão assim…tipo assim, todo pontudão, mó capitalista do design suiço…aquela paradinha lá…aquele trocinho…pow funcionalismo e tal…pow cara, muito nada a ver…assim a parada era pá, quadrada véio! Moh nada a ver…muito do tipo…tá ligado né?

Então não seja quadrado. Elementos de apoio para uma logomarca ou texto podem ser usados, mas nada muito geométrico não…pois isso não é jovem, não é legal e tipo…sei lá, tá ligado? Pow se for pra fazer quadrados eu mesmo vo lá é faço. Quero ver uma parada maneira, cheia de curvas e MUITA complexidade. Tá ligado?!

4 – Alinhamentos, equilíbrio e grade

Pfffffff! Isso só limita. Só serve pra te deixar preso a normas capitalistas. Te transforma numa máquina de fazer design nada criativa. Jogue isso fora! Seja livre. Nada melhor que colocar sua logomarca e dai de repente aquele texto assim, logo abaixo com a fonte umas 20x maior que sua logomarca, trazendo todo o destaque para aquela informação totalmente secundária.

Por exemplo – um cartaz de um mercado que vende coisas online. No banner coloca-se no topo o logotipo da empresa e logo abaixo bem maior “PRODUTOS DE QUALIDADE”. Sacou? Dai pow, tipo assim, você vai estar INCONSCIENTEMENTE DE MANEIRA SUBLIMINAR que seu mercado é o melhor e que é o que as pessoas, tipo, vão querer consumir. Muito da horinha isso.

5 – Briefing

Mais uma das coisas do design capitalista sistemático. Esse lance de construir perguntas, procurar ver o ponto de vista do cliente, construir diretrizes afim de conseguir solucionar o problema (com o design) apresentado pelo cliente e tentar extrair o máximo possível de informações acerca do que deseja ser construído…é coisa que professorzinho do governo quer que você acredite! É!

Mermão, lance é chegar assim pro cliente, tá ligado e pá…sentir a VIBE do cara…aquela parada assim de alma, sacoé?! Então…dai tu entra assim na parada e já saca o que o cara quer véio. Sem mistério. Tranquilaço leske!

6 – Manual de identidade visual.

É o caralho. O negócio é ser criativo.

Anúncios

1 Response to “6 dicas para o “bom design””


  1. 1 Natalia Kleinsorgen
    março 23, 2011 às 11:10 pm

    Tá muito nervosinho, ein? Essa ironia toda te ajuda no estágio novo? rs


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: