13
fev
11

Os 10 melhores momentos de “Garantia de Morte”

Não houve melhor década para produções de clássicos no cinema do que a dos anos 80. Digo isso sendo suspeito, pois cresci assistindo a Caça Fantasmas, Dragão Branco, Karate Kid, E.T., Steven Seagal, Rocky, Stallone O Cobra, Exterminador do Futuro I e II e todos os outros diversos filmes com os personagens mais “Badass” possíveis. Personagens esses que só poderiam existir nos anos 80. Resolvi pegar um exemplo oitentista, aliás nem tanto, pois “Garantia de Morte” se passa em 1990. Acontece que tinha acabado de começar os anos 90, portanto o que vemos neste filme é uma influência completamente “oitentista”.

Van Damme interpreta Burke, detetive canadense de poucas palavras. Logo no início ele prende um sujeito psicopata que matou seu parceiro, chamado de “Sandman”. Ele dá 4 tiros no sujeito e depois diz “Você está preso”. Selecionei os 10 melhores momentos desse filme, que se encaixa 100% no perfil “Sou durão” dos anos 80.

1 – “Eu vou pensar.”

Van Damme (Burke) é chamado para uma reunião com diversos mandachuvas da cidade. Até o representante do governador está lá. Eles querem que ele se infiltre em um presídio de segurança máxima para desvendar uma série de assassinatos. Todos na mesa despejam uma tonelada de informações para Burke, que permanece calado a reunião inteira. Quando finalmente indagam a ele o que ele acha disso tudo ele apenas diz…”Eu vou pensar.” É, Van Damme transcendeu palavras.

2 – “Eu não pago eu não transo!”

Já no presídio o detetive Burke se depara com seu companheiro de cela. Sem saber quem Burke é, o meliante lhe diz que para dormir na cama ele terá que pagar um boquete. Van Damme macho que é, se recusa a tal prática deplorável. Seu companheiro puxa uma faquinha e ameaça a integridade física de Van Damme somente para ter seus dedos torcidos. Van Damme o joga contra parede e olhando fundo em seus olhos diz “Eu não pago eu não transo!” Fazendo com que os papéis se invertam. Agora o companheiro de cela virou a mulher da relação, oferecendo a melhor cama e chá com bolachas se necessário.

3 – Promessa é dívida.

Van Damme mal chega na cadeia e já arranja confusão. Após dar um round-house kick no comedor de lavagem de um sujeito é repreendido pelo oficial local. O Oficial irmão mais novo de Gerard Depardieu chega bem perto de Van Damme, fitando-o por uns momentos e diz “Não vai durar muito…” Van Damme muito irritado e incompreendido retruca “Isso é uma ameaça?” Depardieu (o clone), herdeiro da malandragem francesa não deixa barato e responde “Não…é uma promessa.”

4 – “Beat ‘em up

Está lá Van Damme cumprindo suas obrigações no presídio. Fora colocado para lavar o chão da lavanderia. Lembra do sujeito que tomou um roundhouse kick? Ele voltou – e trouxe um amiguinho! Uma mistura de chinês com tamanduá. O tamanduchês ataca Van Damme. Uma lenta luta se segue. Porrada aqui, porrada ali. Nada demais. Quando esperávamos que seria mais uma cena do “Mocinho se defende e porra todo mundo” eis que acontece o toque oitentista que tanto falo. Ao final da luta Van Damme enfia a cabeça do híbrido de chinês com tamanduá na máquina de lavar e liga. Dando uma boa “lavada” no sujeito. Esse nunca mais vai pensar sujeira.

5 – Prisão pra macho!

É. Encarar um presídio de segurança máxima não é para qualquer um. No filme a prisão possui 2 alas. A dos brancos e a dos negros. Burke necessita de informação e vai dar um passeio na ala dos negros. Chegando lá ele passeia e podemos ver o clima “da pesada” que é por lá. Vale o destaque para dois prisioneiros em especial.

Um negão de bob no cabelo. A situação é tão barra pesada por lá que tem que ser muito macho pra por bob no cabelo na frente de todo mundo.

Negão de ioiô no fundo. Quer coisa mais “da pesada” para se fazer enquanto cumpre seus 22 anos de pena por ter estripado sua família e cachorro com um garfo? Não há! Ioiô – a coisa mais barra pesada que você pode ter. Aposto que tem cerol naquela linha.

6 – Conheça o “Padre”.

Após um papo amigável Van Damme é indicado a procurar informações com um tal de “Padre” a respeito das mortes que tem ocorrido no presídio. Novato que é na prisão, pede ajuda ao seu companheiro de cela que prontamente o leva até o Padre. Só que o cara fica num lugar que os guardas “nem sonham em ir”, uma espécie de harém misturado com calabouço medieval. Lá Burke se depara com a esdruxula figura do “Padre”- mais um personagem que tem um nome estranho em um local que não faz o menor sentido. Uh, não, as duas pessoas ao lado dele não são mulheres.

7 – A verdade é ácida!

Burke é levado a um enfermeiro da prisão, indicado pelo Padre. Lá está ele se misturando aos prisioneiros mais uma vez. Lá vemos Van Damme esfregando o chão da enfermaria só para se aproximar do sujeito. Chegando no sujeito pergunta a ele o que ele sabe sobre as tais mortes misteriosas. Obviamente ele se faz de engraçadinho e não abre o bico. Van Damme não gosta de ouvir não. Ameaça o enfermeiro em completo tom de deboche com soda cáustica. “Me diga o que sabe senão vai beber soda cáustica!” E eu achava que o pessoal do BOPE e o cabo de vassoura pegavam pesado.

8 – The UBBER NERD!

Van Damme indica a sua parceira do lado de fora da prisão a procurar por um conhecido dele. Um hacker que pode ajudar a acessar arquivos específicos de prisioneiros mortos. Eis que o cidadão é um NERD daqueles de laboratório montados de partes de nerds menores (Triumph, the insult dog). O garanhão tece comentários como “Eu penso em mim como um renegado…um cowboy de computador.” ou “Droga! Estou perdendo Star Trek…ei, você quer assistir Star trek comigo?” Em tom sedutor.  Quando não está dando em cima da parceira de Van Damme ele está comendo bolachas e digitando.

Qualquer semelhança com o "Sloth" do "The Goonies" é mera coincidência.

9 – “Realiza meu sonho Burke…”

O “Sandman” é transferido para a mesma prisão que o Van Damme está. Já sabendo que seu “nemesis” ronda os corredores, Sandman (irei chamá-lo de Sandy) se antecipa e manda seus asseclas capturarem Burke. Amarram ele com correntes para que Sandy possa torturá-lo e falar palavras de baixo calão. Além de enfiar uma faca de leve na barriga de Burke. Após se satisfazer com tal gozo em ouvir Burke urrar de dor, ele o solta. Exausto Burke fica ao chão se arrastando enquanto Sandy se afasta e profere a seguinte pérola – “Realiza meu sonho Burke…Realiza meu sonho…” – O que isso quis dizer? Ele queria engravidar? Um carinho, um sentimento? Nunca saberemos. Aliás, prefiro ficar sem saber.

10 – A luta final – The “showdown”.

Após muito pontos principais do filme serem revelados eis que acontece. O confronto final. Burke x Sandy. Burke instaura uma rebelião, acessando os controles das celas. Libera todo mundo e pretende enfrentar Sandy. Correndo através de corredores que mais parecem cenário da fábrica no final do exterminador do futuro I eles se encontram. Van Damme irritado grita para chamá-lo para a porrada. “APAREEEEEEEEEEEÇA!”

"Help me! Help! A gift for you!"

Após essa demonstração de macheza Sandy joga uma ferramenta na direção do Burke, quase fraturando a sua úlvula. Sorte que os rápidos reflexos de Burke o permitem uma defesa rápida.

"Not in the facessss!"

Porrada e mais porrada. Sandy arremessa Burke para o sub-solo aonde fica a caldeira da prisão. Chegando lá Sandy mostra sua verdadeira face traíra…pega uma lâmpada e usa como arma para cortar Burke. Após uns cortes diz “Acorda Burke…Hora de sangrar!”

Burke desarma Sandy com um chute e a briga fica mais justa. Porrada daqui, de lá até que Sandy joga Burke na porta da caldeira, queimando suas costas. Joga Burke longe e abre a porta da caldeira. Labaredas enormes saem de dentro, enquanto Sandy vira para Burke, ficando de costas para caldeira, abre os braços e grita “BEM VINDO AO INFERNO!” Burke oportunista prepara uma voadora e dá um coice no peito de Sandy, mandando-o direto para dentro da caldeira.

Silêncio. Os prisioneiros que estão nos andares de cima vendo a porrada comer solta ficam apreensivos. Todos olhando para a caldeira. Burke suspira e pensa “Acabou…posso ir para casa trocar minha calci…” e eis que surge lá do fundo da caldeira com um grito épico SANDY! Ele não morreu! Como uma bola de fogo ele sai de dentro da caldeira. Dá duas roladinhas no chão e se levanta pro segundo round!

GREATZ BALL OF FIRE!

Burke está cansado. No início do filme deu 4 tiros no cara e ele não morreu. Chutou ele pra dentro de uma caldeira e nada. Só há um jeito de matá-lo. Pregando a cabeça dele na parede. Hábil como só ele pode ser, Burke dá um coice na caixa de catarro do recém queimado Sandy, jogando com força violenta para trás. Sandy dá de encontro com um parafuso exposto em um encanamento tendo sua cabeça espetada.

"Stick around."

Sandy agora em morte REAL iminente faz aquilo que lhe resta em seus minutos finais…digo, segundos finais. Dá uma bela de uma gargalhada.

"Eu sou indestrutível!"

4 tiros e 30 segundos dentro de uma caldeira a 600ºC. Causa da morte? Prego na cabeça. Ok.

Isso encerra o filme. Burke mata o vilão, ganha o respeito dos presos que o deixam sair vivo e ainda fatura a gata no final do filme. Tudo isso com um rockzinho embalado ao mais perfeito “teclado cassio anos 80” para fechar essa belíssima película.

Van Damme é Burke em Garantia de Morte (Death Warranty) – 1990.

Anúncios

0 Responses to “Os 10 melhores momentos de “Garantia de Morte””



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: