28
abr
10

Aquiles – Ascensão

O sol e seu brilho traziam conforto as almas, frias e apreensivas. O velejar do barco, embalava como crianças em um berço gigante. Lá no fundo a praia com suas areias que brilhavam feito ouro, anunciavam o que estava por vir. O céu azul, limpo abria caminho.

Sentia uma calma inebriante. Apesar de estar me dirigindo a morte certa, me sentia confiante. Morrer ou não, tudo que eu quero é a glória! Os estandartes de guerra, subiam firmes no céu! Arranhavam e coloriam aquele céu azul. Tão bela visão. Nosso exército estava a caminho.

– Preparem-se homens! Quero lanceiros logo atrás das defesas! Linha de frente! Usem seus escudos para protegerem seus companheiros logo atrás! Vamos minimizar o máximo possível nossas perdas para que os arqueiros possam fazer o que fazem de melhor!
– Capitão, qual são as chances?
– 3 para 1. Estamos em uma pequena desvantagem. Por isso preciso que a linha de frente segure firme para que os arqueiros tenham espaço para diminuir essa desvantagem!
– Hahahahaha! Só pela minha espada eu irei igualar essa batalha!

E ao dizer isso, os homens no barco ecoaram um som bárbaro de valentia!

– Ora ora Aquiles, como sempre valente! Espero que sua valentia não nos custe a guerra!
– Capitão, não se preocupe. Se eu cair em batalha será uma honra. Você sabe que eu não dou a mínima para o Rei e esse motivo besta. Só irei lutar por estes homens que estão nesse barco e por mim mesmo.
– Ora…se não precisássemos tanto de você Aquiles, garantiria pessoalmente que fosse chicoteado por sua subversão

Apenas com um sorriso ele dá as costas para o capitão e continua a olhar fixo para a praia. Onde tudo que sempre desejou finalmente estaria ao seu alcance. Ser lembrado para todo o tempo como um dos maiores e mais gloriosos guerreiros de toda a história! Canções celebrariam por séculos seus feitos! Conforme pensava isso, mais e mais a idéia de morrer já não fazia diferença. A praia começava a se distinguir de um brilho dourado. As formações inimigas começavam a surgir no horizonte. Seus pensamentos de glória foram subitamente interrompidos. Começou a se focar na formação inimiga e analizar os flancos. Aquiles começara a fazer o que nasceu para – Guerra.

– Capitão se permite uma pergunta deste soldado subversivo. Qual a nossa ordem da linha de frente?
– Poupe-me de seu sarcasmo! Escudos na frente. Lanças atrás. Espaçamento de 2 pés. Por que??
– Mude isso! Avise aos outros navios. Eles tem cavalarias apostos! Precisamos dos lanceiros o mais próximo possível dos escudos!
– O que?! Cavalaria? Diabos!

Aquiles agora de debochado e galante estava sério. Como se a concentração e seu foco na guerra o tornassem outra pessoa. Não queria que erros dos estrategistas do Rei lhe custassem a vitória.

– Soldados! Ouçam-me! Não iremos na linha de frente mais! Quando pisarmos na areia, me sigam! Formação diamante ao meu passo! Entendido?!
– Sim senhor!

O capitão irritado, grita:

– Não irei tolerar que dê ordem ao meu contingente!

Em um movimento rápido Aquiles pega a faca da cintura do capitão e a empunha contra seu pescoço:

– Escute aqui seu idiota! Eu não dou a mínima para sua hierarquia. Esses homens obedecerão o meu comando! Quer ganhar esta guerra? Não irei deixar esses homens desse barco desperdiçarem suas vidas servindo de grosso para a linha de frente! Posso tirar muito mais proveito desse grupo do que você e sua maldita inteligência militar! Entendeu?!

O capitão visivelmente assustado com a reação explosiva de Aquiles pode notar em seus olhos que ele estava sério. Demais. Que não havia sequer uma ínfima fração de hesitação em seus olhos. Acenou com a cabeça em aprovação e ficou em silêncio.

A praia agora estava bem próxima. Poucos metros para o embarque e a descida frenética. Aquiles começa a pensar…

Agora é comigo. Liderarei esse pequeno grupo no buraco da formação deles. É tudo simples. Isso será fácil. Hahahaha imagino como os deuses devem estar orgulhosos de mim ou irritados. Afinal eu tomarei esse título. Após essa guerra eu não serei nada menos que um deus. Aquiles o verdadeiro Deus da Guerra!

Concluindo o resto do pensamento, grita alto olhando para o céu :

– Que seja feita a vontade dos Homens! Que desçam de seus tronos e venham me desafiar!

Pulando do barco com um sorriso no rosto, seguido de seu grupo de soldados Aquiles se embrenha na multidão…

Continua…

Anúncios

3 Responses to “Aquiles – Ascensão”



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: