25
fev
10

Fragmento – 1

Olá pessoal! Resolvi postar um pedaço de uma estória que eu havia iniciado fazia um tempinho…talvez continue a escrever, talvez não. Caso dê prosseguimento a tal, irei postando “capítulos” aqui. =)

Levei 10 minutos para atravessar todo o salão do templo. A arquitetura, os pilares, a iluminação e todos os ornamentos. Curioso pensar que passei 10 anos da minha vida treinando aqui e somente agora percebo pequenos detalhes. Desde que fui trazido para cá, com 18 anos de idade. Lembro como ontem minha excitação ao descobrir que eu havia sido escolhido para estar aqui. Sinto o quanto cresci e amadureci. Sinto a minha conexão forte com meus sentidos, após anos de treinamento, pela primeira vez me sinto em paz e em perfeita comunhão com meu corpo. Paro diante da porta, da qual vinha caminhando em direção os últimos dez minutos – breve pausa – entro na câmara.
– Saudações Mestre.
– Entre jovem.
Meu mestre e mentor. Sua aparência senil esconde a vigorosa força que se aloja dentro de si. Como uma cobra, preparada para o bote a qualquer momento. Sua presença é dominante, mas ao mesmo tempo serena, firme. Sinto-me diante de uma montanha intransponível. Não consigo me acostumar com essa sensação…
– Estás a divagar novamente, jovem?
– Sim mestre. Desculpe-me.
– Hmmmm, o que trazes?
– Mestre, vim pedir licença por uns dias, gostaria de visitar minha terra natal, para que…
– Eu perguntei o que trazes. Não o que queres. Sinto uma certa angústia em ti. Estas a carregar estes tijolos por qual razão?
– Eu…Mestre sinto uma certa angústia esses dias. Tive alguns pesadelos, algo de errado está acontecendo. Sonhei com minhas irmãs e alguns parentes.
– E o que isto deverias significar? Achas que são premonições? Jovem não aprendestes a te libertar de crenças tão simplórias? Deverias estar aquém disto.
– Não posso explicar Mestre. Algo está me perturbando. Gostaria de partir para ter certeza que não passa de uma crença simplória, como sugere.
– Hmmmm. Podes colocar tudo a perder. Sabes o quão difícil foi chegar aqui. Apesar de ser seu mestre, não posso interferir em seu aprendizado próprio. Siga teu caminho jovem. Não há sermões ou palavras de sabedoria para nada. Apenas sua percepção. E esta sempre será tua e somente.
Suas palavras soam como um presságio de algo ruim. Há algo de errado, eu não consigo deixar de evitar…
– Julgo pelo teu silêncio que estás a divagar novamente.
– Sim…
– Se permite um último conselho deste velho…
Ele se vira. Ajeita-se lentamente, até achar uma posição confortável em seu repouso, coloca suas mãos sobre as coxas, sentado sobre suas pernas, com os joelhos juntos, ambos apontados para mim. Abre os olhos lentamente e olhando para o chão, logo a frente diz –
– Jovem sabes do seu potencial. Sabes o quão poderoso tornaste-se. Sinto uma profunda dúvida em ti e sabes que a dúvida leva ao medo. O medo o tornará arisco e irá ofuscar teu julgamento. Quero que te lembres disto.
– Mestre. O que quer dizer? Soa que você está a par de algo que eu não sei.
– Jovem, são apenas preocupações de um velho…peço que não as subestime.
– Entendo…
– Vá. Tens permissão para se afastar da academia. Espero que encontre o que procuras.
Sinto um enorme pesar com essa permissão. No fundo quase desejei que ele me negasse o pedido. Levanto-me e deixo a câmara de meu mestre. Envolto em meus pensamentos angustiados, mas tenho quase certeza de ouvir o mestre sussurrar em tom de lamúria…
– Irás encontrar muito aquém do que espera…

Anúncios

0 Responses to “Fragmento – 1”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: