21
fev
10

Pílula

Ele já não pode andar mais sozinho. Vamos carregá-lo.

Ele era assim daqueles que quase voam de alegria. Risada era seu sobrenome, diversão sua filosofia de vida. Tirava sorrisos fáceis de nós enquanto andávamos pela multidão. Quão bom era um simples passeio se tornar alegoria de circo, onde o tempo quase parava e tudo ficava mais fácil.

Ele já não pode gargalhar mais sozinho. Vamos animá-lo.

Suas piadas corriam fáceis pela multidão, fazendo até os mais sérios darem um sorriso. Seu jeito brilhava, destacava aquela figura engraçada com um sorriso enorme. Sua malícia se fazia presente diante de um rabo de saia, como era engraçado repreende-lo com uma falsa moral, tão falsa, que abriam-se gargalhadas.

Ele já não pode cantar mais sozinho. Vamos ajudá-lo.

Detrás de tamanha felicidade existia aquele coração. Aquela pessoa dotada de integridade e muita sabedoria. Era difícil ver por detrás daquela figura cômica algo assim. Difícil ainda era saber do grande problema, aquela cicatriz que lhe incomodava. Difícil não poder dividir a carga. Difícil não poder.

Ele já não pode mais viver sozinho. Vamos cuidá-lo.
Ele já não pode mais viver sozinho.
Ele já não pode mais.
Ele já não pode.
Ele.

Anúncios

1 Response to “Pílula”


  1. 1 suelennunes
    fevereiro 21, 2010 às 8:05 pm

    Fico pensando o que teria motivado um texto tão poético.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: