05
jan
10

Crença honesta?

Olá pessoal. Bom, sem firulas deixarei meio “oi” e “boa semana” para todos.

Bom ultimamente tenho pensado um pouco acerca da fé e crença das pessoas e parei para me perguntar – Quantas de fato REALMENTE acreditam em suas fés? Quantas pessoas que se dizem levar a vida pautada na bíblia realmente o fazem?

A primeira pergunta por ser íntima demais, difícil para se obter uma resposta verdadeira. Simplesmente não poderia responder isso com precisão, apenas passível de minha interpretação e observações. Deixando isso claro para evitar posteriores “Ei, mas você está errado!” vamos continuar.

Quantas pessoas que se dizem teístas de fato acreditam? Até onde vão suas crenças? Até aquelas pessoas que não possuem religião específica, mas acreditam em astrologia, tarot e esses misticismos. Será que as pessoas que se dizem crentes realmente acreditam? O que leva uma pessoa diante de uma tragédia dizer que foi “um plano de Deus” e abaixar sua cabeça com conformismo? Não! Conformismo não! Cabeça de vitorioso (como gostam de dizer) ,pois sabe que contra a vontade de Deus, nada pode. Ninguém pode!

Quantas pessoas acham que a fé não é necessária ser justificada? Eu não lembro em fóruns ou na vida real de ver algum religioso ao ter sua fé questionada dizer : “Fé é pessoal e intransferível. Eu creio por escolha e não acho necessário justificá-la. Apenas acredito e me faz bem!” Quão bom seria e honesto soaria se os que não conseguem justificar racionalmente o fizessem. Digo racionalmente, pois de acordo com a “Apologética cristã” a razão pode e DEVE ser usada para corroborar a fé. Afinal diante de tal resposta o que dizer? O cidadão de fato não é obrigado a justificar uma crença.

Problema é aqueles que não pensam assim e acham que justificam algo. Trazem argumentos absurdos e insistem na conversão alheia. Se colocam como “tropa de choque” de Cristo e com o dever maior de arrebanhar o maior número de pessoas possíveis – mesmo que para tal sejam chatos, mal educados ou até mesmo agressivos. Ao falar isso provavelmente pensaríamos em imagens de evangélicos fervorosos ou testemunhas de jeová.

Se as pessoas acreditam tanto quanto dizem, qual o problema de dizer as palavrinhas mágicas? “Não vejo necessidade de justificar.” Por qual razão, visto que não é possível (deixo claro, ao meu ver e até agora) demonstrar a fé que aquela pessoa sente para outra. Até imagino o diálogo “Aw, você tinha que experimentar fulano! É lindo! Sinto uma coceirinha aqui dentro que vai subindo e BOOOM! Sinto a paz do senhor!” Como assim, não é?! Enfim…

Quanto aqueles que usam a bíblia como conduta de vida, lhes digo – não levam. Imaginem se sua amiga tá na festinha com você, ela é casada. Você vai até o bar pegar uma bebida, quando volta ela está se agarrando com outro homem. Alguém aqui que lê este blog realmente jogaria pedras na amiga? Pois uma das condutas a ser seguida é o apedrejamento de adúlteras. Você está com um hóspede em sua casa (aquele primo distante que você não tem muito contato) e de repente bandidos aparecem e exigem que você o entregue, pois os mesmos querem violentá-lo. Ao invés de sem escolha, você entregar seu parente você diria “Calma! Não façam mal a esse homem! Eu tenho 2 filhas virgens! Façam com ela o que bem entenderem!” Alguém aqui REALMENTE FARIA ISSO? Já imagino aquela saída clássica pela tangente de que tudo na bíblia é interpretável e etc. Sem contar no sexo depois do casamento, quantos cristãos o praticam antes? Existem os que conseguem ser abstinentes, mas diversos outros que são “de cristo” o fazem tranquilamente (o que acho ótimo!)

Acontece que temos como um apanhado geral da bíblia aquela visão positivista de cristo e sua eterna bondade – que ao meu ver não era tão altruísta assim (mas deixo esse mérito para outro post). Apaga-se o velho testamento quase, onde tá a “nata” da “coisa”. Já vi o Dr William Lane Craig (um famoso apologista cristão) dizendo que a gênesis “já não constitui um elemento fundamental na fé cristã”. Pois já ficou difícil sustentar racionalmente aquela criação mitológica dos 7 dias e do homem vindo do barro e a mulher da costela. Digamos que deve pegar um pouco mal para um cientista/filósofo do calibre de Craig tentar defender tais elementos.

Acho ótimo saber e ver (ao MEU ver) que de fato as pessoas não acreditam/seguem esses textos sagrados de dezenas de séculos atrás à risca. Saber que um pouco do “bom senso” faz com que as pessoas selecionem as condutas “aceitáveis” para a sociedade de hoje e apenas adaptem. Ao invés de apedrejar a amiga, apenas dar uma bronca e demonstrar insatisfação. Fazer sexo (seguro lógico!) quando tiver vontade e com um parceiro(a) que goste e aprecie.

O ponto é que mesmo sendo bom, demonstra que as pessoas que são teístas (muitas delas sem nem perceber) condenam condutas bíblicas. Se realmente acreditassem com tanta fervorosidade como dizem veríamos os exemplos citados acima com muita frequência. Graças a DEUS que essa condenação existe! (Ok, foi mal pelo sarcasmo!)

Anúncios

0 Responses to “Crença honesta?”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: