18
dez
09

Posturas – Método Científico

Olá a todos. Hoje trarei um conteúdo bem “viajado.” É mais um esboço de um pensamento meu, após assistir uma palestra de filosofia sobre empirismo e ceticismo grego. Se ficar confuso ao final, peço perdão de antemão!

Bom nos meus posts constantemente falo de religião, ciência e o método empírico que a ciência emprega para construir suas teorias e evidências. Um dos motivos que sempre utilizo para não achar possível a existência de um Deus são as faltas de evidências que corroborem com um. Afinal, o que são evidências? Provas? Verdades?

Primeiramente gostaria de dizer que o termo “prova científica”, ao meu ver, é errado. A ciência através do ceticismo empírico constrói diversas hipóteses e teorias. As mesmas são verificadas e evidenciadas empiricamente – na prática – e vão ficando cada vez mais plausíveis de serem “verdades”. Filosoficamente falando não é possível medir essa quantidade de “verdades”, afim de que um acúmulo das mesmas de fato, constitua uma certeza absoluta. Portanto por mais óbvio que isso pareça, a ciência não dita verdades absolutas, ela possui diversas teorias reforçadas por inúmeras evidências obtidas através do método científico empírico. A observação dos fenômenos e suas experiências.

O que eu entendo por fenômeno? Bem, discordando do significado que o dicionário dá, ao meu ver, fenômeno é toda aquela experiência comum a um grande número de pessoas. Irei exemplificar –

Estamos em uma sala de aula a noite. Temos mesas, carteiras e uma janela que nos permite olhar o céu. Posso dizer que as mesas/carteiras são verdades? Não sei. Talvez sejam, se pensarmos um pouco mais veremos que não podemos afirmar com tanta certeza assim. Do contrário, se eu perguntar que a “experiência mesa” que temos é parecida? Sim. Sabemos que ela é sólida, sua utilidade e outros aspectos. A experiência “mesa” será um fenômeno em comum para quase todos ali. Assim como se eu perguntar “Alguém aqui discorda que está de noite?”, dificilmente alguém irá. Esse conceito de “experiência” comum que – ao meu ver – constitui os fenômenos que a ciência busca estudar.

Portanto a ciência através do empirismo irá estudar esses fenômenos que são comuns aos diversos seres. Essas experiências em comum. Portanto isso dificulta tanto a evidenciar diversas “experiências paranormais” ou “sobrenaturais”. Pois a grande maioria dela são experiências individuais, portanto não constituem evidências satisfatórias de sua sustentação como fenômeno.

Então alguns perguntariam “Você acaba de dizer que a ciência não é capaz de demonstrar que Deus existe?” Não. Pois se Deus existir de fato como teístas afirmam uma hora esse “fenômeno” será possível ser evidenciado de alguma maneira. Se Deus REALMENTE existir, diria que nossa ciência “não é capaz de evidência-lo” neste momento, mas isso não significa que NUNCA será. Acontece que acho que nunca será capaz de tal fato, pois acho improvável que um exista.

Essa foi uma abordagem filosófica (ou ao menos tentou ser) do que eu entendo por ciência e métodos empíricos. Espero que tenham entendido! Irei me aprofundar mais no assunto e pretendo trazer mais para o blog!

Abraços!

Anúncios

17 Responses to “Posturas – Método Científico”


  1. 1 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    dezembro 26, 2009 às 3:36 pm

    É CURIOSO CONSTATAR QUE SEGUIMOS O MESMO PRINCÍPIO: EU ACHO QUE A IDÉIA DA EXISTÊNCIA DE DEUS GANHA CORPO AO SE CONSTATAR QUE NÃO EXISTE NENHUMA PROVA CIENTÍFICA DE QUE O UNIVERSO E A VIDA TENHAM SURGIDO POR MÉTODOS NATURAIS, OU SEJA, ACHAMOS QUE O QUE SUSTENTA NOSSO PENSAMENTO É A FALHA DO LADO CONTRÁRIO EM PROVAR SUA TESE.
    CONCORDO EM QUE DEUS NÃO PODE SER PROVADO PELA CIÊNCIA, POR ISSO MEU PENSAMENTO EM CONTAR COM AS FALHAS OPOSICIONISTAS.
    GOSTARIA DE LHE PROPOR FAZER HIPÓTESES E CONSIDERAÇÕES A ALGUMAS PERGUNTAS E HIPÓTESES QUE FORMULEI:

    1. O QUE É A VERDADE LÓGICO-CIENTÍFICA?

    COMO VOCÊ A PROCURA?

    VOCÊ TEM CERTEZA DE QUE DEUS NÃO EXISTE?

    ALGUMAS PERGUNTAS E HIPÓTESES:
    A)ANTES DO BIG BANG, ESPECULO QUE HAVIA 2 COISAS: A FORÇA QUE PROVOCOU A EXPLOSÃO OU EXPANSÃO DA MASSA INICIAL E A PRÓPRIA MASSA INICIAL. A FORÇA ERA NECESSÁRIA PORQUE, SE NÃO EXISTISSE NADA, O QUE IMPULSIONARIA A MASSA? A MASSA INICIAL EXISTIA DESDE TODA A ETERNIDADE OU FOI CRIADA, EM ALGUM MOMENTO? PARA MIM, A FORÇA INICIAL É DEUS, QUE CRIOU A MASSA DO NADA. POSTERIORMENTE, ELE CRIOU A LUZ PARA QUE A EXPLOSÃO OU EXPANSÃO FOSSE VISÍVEL. VOCÊ TEM HIPÓTESES ALTERNATIVAS?

    B) DENTRE OS MILHARES DE ESPÉCIES PLURICELULARES EXISTENTES NA TERRA, O HOMEM É A ÚNICA A DOMINAR O PLANETA PELA INTELIGÊNCIA. SE A VIDA EVOLUIU POR PROCESSOS NATURAIS, SEM PLANEJAMENTO, DEPENDIA, ELA, DE CONDIÇÕES CLIMÁTICAS, DISPOSIÇÃO DE MOLÉCULAS PARA DETERMINADA LIGAÇÃO, ETC. SERÁ QUE, QUANDO SURGIU O HOMEM, AS CONDIÇÕES ERAM TÃO DIVERSAS ASSIM, A PONTO DE CRIAR UMA ESPÉCIE ÚNICA? HOMEM E MACACO EVOLUÍRAM DE UM ANCESTRAL COMUM, COM O MESMO POTÊNCIAL EVOLUTIVO. PORQUE CÉREBROS TÃO DIFERENTES?

    C) PARECE QUE É QUASE CONSENSO QUE NÃO SERIA POSSIVEL A VIDA TER COMEÇADO NA TERRA. DIZ-SE QUE VEIO DO ESPAÇO. OS AMINOACIDOS FORMAM AS PROTEÍNAS. DIZ-SE QUE UMA ESTRELA, AO GIRAR, CRIOU SUA QUIRALIDADE ÚNICA, PROPRIA PARA A VIDA. SE VOCÊ QUISER LER SOBRE QUIRALIDADE, SUGIRO O ARTIGO DE CHARLES MCCOMBS:http://techjunior.wordpress.com/2009/03/15/a-evolucao-espera-que-voce-nao-saiba-quimica-o-problema-da-quiralidade/#more-91. MINHA PERGUNRA É: E O DNA? COMO SE FORMOU? ESTAVA TAMBÉM ESCONDIDO NO METEORITO?

    D) LEVANDO EM CONTA QUE O PRIMEIRO SER UNICELULAR APARECEU, A CÉLULA FINALMENTE SE FEZ.. COMO OS SERES FORAM-SE TORNANDO PLURICELULARES? OBSERVE AS GRANDES ESPECIALIZAÇÕES QUE AS ESPÉCIES DESENVOLVERAM. COMO A NATUREZA FEZ? E OS PROCESSOS DE REPRODUÇÃO? QUANDO PASSARAM A SER SEXUADOS? MINHA HIPÓTESE: DEUS PENSOU EM TUDO QUE ERA NECESSÁRIO E DEIXOU A VIDA SEGUIR SEU RUMO, ANDANDO SEMPRE PARA A FRENTE… O HOMEM TEM DESEJO DE SEMPRE EVOLUIR, ANDAR PARA FRENTE, VISLUMBRANDO COISAS NOVAS. TALVEZ ESTE SENTIR FAÇA PARTE DO GERMEN DIVINO: DEUS TAMBÉM GOSTA DE VER TUDO EVOLUINDO, SEGUINDO UM CAMINHO PARA A FRENTE, SEMPRE!

    • dezembro 26, 2009 às 5:22 pm

      Olá mais uma vez! Vejo que voltou e trazendo algumas questões interessantes.

      Bom, vamos por partes – Primeiro, o seu argumento que a ciência não consegue evidenciar a “não existência” de Deus (é isso?). Essa estrutura de argumento constitui uma falácia conhecida como Argumentum ad ignorantiam – quando algo é considerado verdadeiro por simplesmente ninguém conseguir “provar” que é falso. Assumir que algo existe pois ninguém prova o contrário. Imagine se tudo que não pudesse ser “provado a inexistência” fosse verdade? (Se não foi isso o que quis dizer com o primeiro parágrafo do texto, desconsidere esse comentário.)

      Seguindo 1 – Não penso que a ciência possui uma verdade lógica. Ela possui lógica, verdade não. Ela não lida com verdades absolutas, do contrário da religião com seus dogmas. Ela possui o que conhecemos como método ciêntífico – O extenso processo de formular uma hipótese, juntar o maior número de evidências através do método empírico (estudo do fenômeno em si, através de meios/técnicas0 diversas) e caso a hipótese junte um grande número de evidências torna-se uma teoria. Teorias não são verdades. Mais uma vez lhe digo isso – A ciência não é dona da verdade absoluta, tudo é contestável. Do contrário dos religiosos que afirmam 100% que um Deus existe.
      Não, eu não tenho certeza que Deus NÃO existe. Eu digo que devido a ausência total de qualquer evidência palpável eu concluo que é muito IMPROVÁVEL que um exista. Filosoficamente falando também. A própria imprecisão da Bíblia e sua origem, escrita por diversos autores em épocas distintas. Pessoas que possuiam culturas e pensamentos distintos, a bíblia é recheada de incoerências, a impressão que tenho é de um grande “corte e colagem” em algumas partes. Se eu pudesse quantificar a improbabilidade a qual me refiro diria que 90% de chance de Deus não existir e 10% que ele possa vir a existir. Acontece que esse tipo de coisa não é passível a quantificação precisa.

      A – Bom, você tem toda liberdade para crer de fato que foi Deus quem impulsionou o início. Eu particularmente irei lhe refazer a pergunta dos seus comentários anteriores – O que impulsionou Deus? Quem projetou o projetista? Se disser que “Deus sempre existiu.” Lhe pergunto – Qual a dificuldade em aceitar um universo que também sempre existiu? Por que o universo tem de ter um criador e Deus não? Quanto a se eu possuo hipóteses alternativas, bem eu não tenho uma “minha”. E essa hipótese que você afirma ser sua, não é. A idéia de Deus impulsionador de todo o processo (inclusive o evolutivo) é uma idéia bem difundida entre os teólogos modernos, de modo que Deus possa ser encaixado nas lacunas que a ciência não chega satisfatoriamente. Richard Dawkins inclusive utiliza desse termo “Deus das lacunas”. Onde a ciência não responde temos Deus. Isso ao meu ver é uma forma um pouco pobre de se sustentar um argumento. E daí que a ciência não explica? Você concorda que a ciência não é capaz de evidenciar Deus, mas se sustenta nas “falhas” da mesma para argumentar a existência de um. Aonde eu vejo um simples ponto de “?” passível de estudo e aprofundamento – você vê Deus. E por mais que a ciência desvendasse os mistérios da origem da vida e da origem do universo, Deus continuaria a existir. Sempre sendo sustentado aonde a ciência não consegue chegar. Essas lacunas com o passar do tempo irão sumir e Deus se tornará cada vez mais difícil de ser sustentado.

      B – Desculpe, acho esse seu questionamento muito pertinente, mas não tenho conhecimento científico para respondê-lo. Sugiro que você dê um pulo no fórum ateus.net e faça essa indagação lá. Os foristas de lá, muitos deles, possuem um conhecimento de hipóteses científicas acerca de tais assuntos muito mais aprofundada do que eu.

      C – Vide resposta acima.

      D – Bom, não creio que processo evolutivo e Deus possam andar juntos. Até por que, ao ler sua “hipótese” percebi uma contradição de pensamentos – “DEUS PENSOU EM TUDO QUE ERA NECESSÁRIO E DEIXOU A VIDA SEGUIR SEU RUMO, ANDANDO SEMPRE PARA A FRENTE…” – Se Deus pensou em tudo com antecedência, logo não temos espaço para que o homem tenha o desejo de evoluir (ou algum processo ocorresse de forma natural), pois o processo estaria desde ante-mão “fechado” por um super-ser. E se isso fosse uma verdade, diria que Deus é completamente ilógico, ao invés de criar tudo como é, preferiu brincar de roleta-russa? Afinal o que você pensa? Que Deus deu o pontapé inicial e deixou o resto da evolução acontecer sem interferir ou ele interferiu o tempo todo no processo afim de obter o produto final desejado por ele?
      E o que te faz pensar que o conceito de evolução que temos é o mesmo que Deus, a ponto de você utilizar de tal afirmativa? Se pegarmos o Deus do velho testamento CERTAMENTE veremos que os conceitos dele de “moral” e “ética” são bem diferentes dos nossos. Utilizando isso como uma base, eu diria que Deus olharia para nós hoje em dia e mandaria outro dilúvio. Que Deus que você acredita? Católico? Islâmico? Que religião tu segue?

      No geral o tópico B e C, creio que você caso procure com um auxílio de algum estudioso da área, poderá achar diversas teorias/hipóteses satisfatórias acerca dessas suas dúvidas, mas eu infelizmente não possuo conhecimentos para respondê-las.

  2. 3 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    dezembro 26, 2009 às 8:40 pm

    VOCÊ DEU A POSSÍVEL PORCENTAGEM DE 90% CONTRA 10% A FAVOR DA NÃO-EXISTÊNCIA DE DEUS. EU DOU UM PLACAR MOMENTÂNEO DE 80% CONTRA 20% A FAVOR DA EXISTÊNCIA. SE EU ENTENDI BEM, VOCÊ DISSE QUE A FALTA DE EVIDÊNCIA PALPÁVEL DE DEUS TORNA IMPROVÁVEL SUA EXISTÊNCIA. ISTO NÃO É A MESMA COISA QUE EU FAÇO, SOMENTE SEGUINDO SENTIDO INVERSO? EU ACHO MAIS PROVÁVEL QUE EXISTA; VOCÊ ACHA MAIS PROVÁVEL QUE NÃO EXISTA. ESTAS POSIÇÕES DIAMETRALMENTE OPOSTAS, MAS AO MESMO TEMPO IGUAIS, POIS SEGUEM O MESMO PRINCÍPIO, TALVEZ NOS MANTENHA ETERNAMENTE EM POSIÇÕES OPOSTAS: VOCÊ, SEMPRE ESPERANDO UM AVANÇO MONUMENTAL DA CIÊNCIA, O QUE REALMENTE PODE ACONTECER, POR ISSO DEI 20% A FAVOR DA NÃO-EXISTÊNCIA; EU, CONSIDERANDO QUE A DEMORA DA CIÊNCIA FAZ A BALANÇA PENDER PARA O LADO DA EXISTÊNCIA, CONTINUO CRIACIONISTA.
    O PENSAMENTO CONTIDO NA LETRA “D” É APENAS UM EXERCÍCIO. REALMENTE EU NÃO POSSO ENTRAR NA MENTE DE DEUS. TAMBÉM NÃO TENHO CONHECIMENTOS TEOLÓGICOS PARA RESPONDER DE FORMA EFICIENTE A QUALQUER CONTESTAÇÃO À BÍBLIA. SÓ DIGO DUAS COISAS:
    1-QUANDO SE FALA EM HISTÓRIA E ARQUEOLOGIA, QUE CONFIRMARIAM OU NÃO PARTE DO QUE ESTÁ NA BÍBLIA, DIGO QUE NADA ESTÁ AINDA ACABADO. NOVAS DESCOBERTAS EXISTEM E AINDA EXISTIRÃO. É COMO NA CIÊNCIA DAS ORIGENS DO UNIVERSO E DA VIDA. UM EXEMPLO DO QUE DIGO É O VÍDEO ” O ÊXODO DECIFRADO”. JÁ LI OPINIÃO DE QUE ESTE VÍDEO É INVÁLIDO, POIS O AUTOR É JORNALISTA, NÃO ARQUEÓLOGO. NÃO IMPORTA, PORQUE ELE, PARA FAZER O VÍDEO, ENTREVISTOU ARQUEÓLOGOS; NÃO FEZ NADA DE SUA CABEÇA.
    2- PELO POUCO QUE CONHEÇO, VI COISAS RACIONAIS NA BÍBLIA. QUANDO SALOMÃO MANDA DIVIDIR A CRIANÇA AO MEIO, SABIA, RACIONALMENTE, QUE A MÃE VERDADEIRA NÃO DEIXARIA O BEBÊ SER MORTO. É PSICOLOGIA PURA.
    QUANDO JESUS DIZ: AQUELE QUE NÃO TIVER PECADO, ATIRE A PRIMEIRA PEDRA… É FILOSOFIA.
    CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ.. TAMBÉM FILOSOFIA, POIS QUALQUER UM QUE CONHECE A VERDADE SOBRE QUALQUER COISA, SENTE-SE MUITO BEM.
    EU JÁ DISSE A VOCÊ, NUMA CONVERSA ANTERIOR, QUE PAULO TINHA O CONCEITO DE “SER LIVRE PARA NÃO PECAR”. LEVEI O CONCEITO PARA OS DIAS DE HOJE, QUANDO A MÍDIA FAZ SUA CABEÇA, E VOCÊ PENSA QUE É LIVRE. REALMENTE, ISTO SE APLICA INCLUSIVE Á RELIGIÃO, COMO VOCÊ DISSE. ALGUÉM PODE SEGUI-LA SOMENTE PARA SE MOSTRAR DIGNO DE UM DETERMINADO GRUPO, ETC, MAS PENSANDO QUE É LIVRE.
    RESUMINDO, SEGUIMOS DUAS OPÇÕES DE VIDA. PELO JEITO, VOCÊ SERÁ SEMPRE ATEU E EU, SEMPRE CRIACIONISTA, MAS SEMPRE EM BUSCA DA VERDADE, SEJA ELA QUAL FOR.

    • dezembro 27, 2009 às 12:32 pm

      Bom, pelo visto você não entendeu muito bem a coisa.
      Não, você não simplesmente faz o movimento contrário. Olhe bem o raciocínio. Se a ciência não evidenciou em aspecto algum a existência de Deuses, logo muito provável que eles NÃO existam (falo isso nas diversas esferas de estudo da ciência). Esse é o raciocínio. Quando dizemos “MUITO PROVÁVEL” já damos margem ao argumento que “ela não é capaz de evidenciá-lo ainda!”.
      Você tá seguindo essa linha aqui – Se a ciência não evidenciou em aspecto algum a existência de Deuses, logo muito provável que ele exista. (Olha bem o raciocínio – se ela NÃO EVIDENCIOU, logo ele Existe. Você se baseia na NÃO evidência!) O seu argumento é sustentado por nada mais que as lacunas deixadas pela ciência. Se formos cair nessa falácia de que “algo existe pois não podem provar que não existe”, você também terá que acreditar em Zeus, Thor, Maomé, Buda e todos os outros Deuses de qualquer mitologia. Até mesmo em duendes e fadas. Pois todos esses seres “Não foram provados que NÃO existem” (é isso então, você é Politeísta?) Enquanto cosmólogos, biólogos, físicos e outros cientistas dos diversos ramos pesquisam e descobrem um pouco mais a cada dia, vocês criacionistas ficam felizes e sentem muito orgulho de poder (baseado estritamente aonde a ciência não vai) dizer – Foi DEUS quem fez!
      Acho lamentável você assumir que é criacionista por simplesmente a ciência não ter respostas satisfatórias (o que eu deixo em dúvida, pois não sou pesquisador assíduo de teorias e hipóteses, mas vamos partir do pressuposto que ela não respondeu mesmo). Você encaixa seu Deus nas lacunas deixadas pela ciência pura e simplesmente. Reparou que a tendência é cada vez menos lacunas que ficam e menos Deus como criador? Antes de darwin atribuia-se a criação a Deus. Agora atribuem a origem da primeira forma de vida a Deus e a evolução “fez o resto”. Curioso isso. Os criacionistas sapateando a todo jeito para continuar a dar utilidade para esse “super-ser” em que acreditam tanto. Enfim.

      Quanto a bíblia, poderia citar passagens que mostram a tremenda crueldade e sangue frio de Deus. Quer um exemplo? O dilúvio. Não satisfeito com o que criou, Deus simplesmente mandou noé fazer uma arca, salvar um casal de cada bicho (o que é contraditório pois logo a frente já muda pra 7 casais. Afinal, 1 casal ou 7?) e sua família. Feito isso Deus simplesmente assassina todos os seres vivos que ELE MESMO CRIOU. Belíssima moral que podemos tirar desta história – Não irrite Deus ou ele te mata.
      Quando Deus pede a Abraão seu filho Isaque a sacrifício como “prova” de sua obediência. Abraão sem titubear obedece e só é interrompido por um anjo quando já está para enfiar a faca no peito do filho. “Calma, calma! Ufa! Era só um teste!”. Belíssima lição de moral que podemos tirar dai também! Obedeça a Deus, não questione faça o que ele manda. Imagine o trauma que um filho fica ao ver seu pai querer matá-lo sem nem mesmo hesitar. Tem outros, mas não vou ficar citando, senão será um texto quilométrico.
      Quanto a Salomão isso é uma interpretação sua. Eu diria que ele queria mesmo matar a criança, por sorte a mãe interferiu. Considerando os outros exemplos, de como você diz “psicologia pura”, diria que seria bem normal assassinar crianças neste contexto.
      Sim, concordo, seguimos idéias diferentes. Serei sempre Ateu? Não sei. Diria que sim, mas realmente não sei o amanhã. Não afirmo também que estou “buscando a verdade”, visto que “verdade” é algo muito subjetivo, um conceito que tem causado inúmeras discussões filosóficas durante séculos.

      Por favor, no próximo post, desligue o caps lock.

  3. 5 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    dezembro 27, 2009 às 3:10 pm

    Vamos chamar Deus de “algo sobrenatural”. Se a ciência não pode dizer com certeza que o Universo e a vida surgiram por causas naturais, então existe uma possibilidade de haver algo sobrenatural em tudo isto. Pode ser até que este algo sobrenatural seja uma miríade, ou um só, ou dois, quatro seres. Eu não vejo falácia neste caso. Se uma coisa não é provada com certeza, existe a possibilidade de que a outra seja verdadeira. Admito que talvez meu raciocínio seja muito lento e eu não esteja acompanhando o seu. Neste caso, peço um exemplo do que você diz, algo que, por falácia, alguém diria que existe por não se poder provar que não existe. Eu continuo, por enquanto, achando que, se há duas possibilidades, a falha em se provar com certeza uma delas, levanta a possibilidade de que a outra seja a verdadeira.
    O que você disse sobre Salomão, eu nunca tinha visto o caso por esta optica. Interessante.

    • dezembro 27, 2009 às 7:24 pm

      Bom, primeiramente quero deixar claro que não penso em momento algum que tenha um raciocínio lento. Apenas divergimos em pontos de vista. =)
      Quanto a sua primeira frase, diria que de fato a ciência não pode dizer com certeza que as causas do universo foram naturais, mas até então as evidências em momento algum dão a compreender ou levar a existência de um super ser. Como “Da onde você concluiu isso?!” entende?
      Da falácia, exemplifico sim, de maneira meio banal, mas pertinente. Bom o monstro do espaguete voador (clássico do Dawkins) existe, pois a ciência não pode provar que ele não existe. Se realmente levarmos esse tipo de raciocínio a sério, teremos milhares de coisas que passarão a existir, pois o limite será a imaginação do ser humano. O bule de chá voador de Russell também existe, seguindo esse mesmo raciocínio.
      Outra pergunta que lhe faria, como se prova que algo não existe? Como se adquire evidências de algo que não existe? Eu não consigo imaginar como se adquirir evidências de algo que supostamente não existe.

      Como hipótese – Eu considero até, plausível até certo ponto a existência de um Deus. Acontece que se fizerem a pergunta “Baseado em que você embasa a sua teoria/hipótese que existe um Deus comandando o universo?” – Creio que ai entrariam as milhares de perguntas que a ciência não responde. Acho melhor (por isso entede-se menos pior) o “Deus das Lacunas” do que o argumento que “se não conseguem provar que não existe, logo existe”, a explicação desta falácia está exemplificado aqui -> Falácia <- repare no terceiro exemplo, que é exatamente o que mencionei no seu raciocínio.
      Coloquei como ilustração da falácia que te mencionei, mas pelo que entendi você não afirma com 100% de certeza que Deus existe de fato (assim como eu também não afirmo que não exista 100%).

  4. 7 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 3, 2010 às 11:19 am

    Pelo que li, o argumento certo é considerar falso até que se prove que é verdadeiro. Colocarei meu raciocínio de uma outra forma:
    A- A vida surgiu por causas naturais. Isto já foi provado como sendo verdadeiro? Como não foi, e digo mais, está muito longe de ser, eu considero falsa esta afirmação, sendo que ainda não foi provada como verdadeira. Por silogismo, eu afirmo que Deus existe:
    A vida surgiu por causas sobrenaturais
    O divino é sobrenatural, logo,
    a vida surgiu do divino.
    Se você pensar na complexidade enorme da vida, e fizer questionamentos sobre: como surgiu o dna, as proteínas, as células?; como tudo isto se tornou cada vez mais complexo ao longo do tempo?; se você levar em conta o artigo sobre quiralidade, que afirma ser
    a vida impossível por causas naturais( logicamente, este o artigo pode vir a ser desmentido, mas até agora não foi), as repetições que a natureza teria de fazer a cada evolução(ex: o primeiro homem evoluiu; a natureza teve de repetir a sequência do dna e fazer a diferenciação dos órgãos reprodutivos para fazer a mulher. Após isso, seria necessário mais casais, pois apenas um não levaria a espécie adiante, haja vista a necessidade de esperar nove meses por nascimentos e o problema de haver vários predadores ao redor…
    Se você pensar nisso, chegará à conclusão de que é muito mais provável Deus existir do que não, pois é mais fácil a ciência provar que A é realmente falso.

    • janeiro 3, 2010 às 12:53 pm

      Bom assim como você mesmo disse, que a ciência “está muito longe” de provar que a vida surgiu por causas naturais, baseado em que você afirma com tanta categoria que foi algo sobrenatural? Segundo, com que critérios você afirma a existência de um “divino”? O que é divino? Que conceito é esse?
      Seu raciocínio possui uma premissa, mas a conclusão não há sustenta. (Isso foi supondo que seu argumento fosse verdadeiro.)
      Agora sinto-lhe informar, mas a vida pode vir do inorgânico sim. E já foi feito em laboratório. Seu artigo de quiralidade, se ele tem como conclusão que é impossível a vida surgir do “não-vida”, ele está errado (desculpe-me, não o li inteiramente.)
      Este teste foi feito a um tempo por Stanley Miller – onde em laboratório ele conseguiu criar 13 aminoácidos de 20 – da “não vida”. Perguntas comuns feitas acerca da abiogênese por favor leia -> Abiogênese. Ela trás esclarecimentos recheados de referências caso queira aprofundar algo. Sao perguntas rápidas (mais comuns) e respostas. Inclusive o experimento de Miller está ai.
      Tendo essa pergunta respondida (13 de 20 aminoácidos, para mim é algo um bocado satisfatório), qual seria sua premissa para sustentar o divino? Química não é divina. Nem “acaso” como costumam afirmar.
      Se ainda assim achares que foi surgida do divino lhe diria que Stanley Miller é o Deus que você afirmar crer – Pois ele criou 13 estruturas em laboratório reproduzindo boa parte das condições atmosféricas da terra antiga. Brincadeiras a parte, isto não foi nada divino, foi estudo com tentativas e erros. Métodos.
      Bem com isso digo que se “A” é falso, a ciência evidenciou de uma maneira satisfatória que a vida pode ter surgido por causas naturais sim.

  5. 9 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 3, 2010 às 2:33 pm

    No artigo de McCombs, ele contesta o experimento de Urey e miller, dizendo que os aminoácidos resultantes não tinham quiralidade. Sobre quiralidade, ele diz que os aminoácidos que formam as proteínas têm somente o isômero optico levógiro. Outro isômero optico é o destrógiro, presente no dna. Numa reação natural, é impossível formar aminoácidos que contenham somente isômero optico levógiro ou moléculas de dna contendo somente com o destrógiro; este tipo de reação formaria sempre uma mistura dos dois isômeros.
    Pelo que entendi de McCombs, esta quiralidade precisaria ser verificada em qualquer experimento, como a síntese de cadeias protéicas ou ´moléculas complexas vindas do espaço, mencionadas no link. Outro ponto a saber é se estas´ outras experiências foram feitas como a de Urey e Miller ou se foram engenharia genética, ou seja, tomar elementos já prontos e manipulá-los.

  6. 10 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 3, 2010 às 3:57 pm

    Uma das acepções de divino é “sobrenatural”; outra é” relativo a Deus ou deuses”. na verdade, o que está em debate é saber se existe ou não o sobrenatural. Caso seja constatada sua existência, resta especificar o sobrenatural. É combatida a idéia do Deus dos cristãos. A princípio, pode–se supor qualquer coisa como sendo sobrenatural. Ex: a deusa Isis, dos Egípcios, poderia ser considerada a criadora do Universo. Na verdade, é apenas questão de nomes. A Mitologia Grega tem deuses e estórias relacionadas a eles. Você poderia chamar o Criador de Zeus, Apolo, Hermes, etc.
    Concluindo: constatada a veracidade do sobrenatural, a crença no relato Bíblico ou não, ou a crença nos orixás, é questão de especificação do que é, para você, o sobrenatural.
    Pensando nos problemas científicos, volto a perguntar: qual idéia está mais próxima da verdade?

  7. 11 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 3, 2010 às 4:10 pm

    Ateu é aquele que não crê em deus ou em deuses. O satanismo também pressupõe o sobrenatural. Por que será que nenhum satanista se opõe aos ateus? Pelo menos eu nunca soube de nenhum caso. Será porque os ateus combatem, mesmo de forma inconsciente, somente o Deus cristão?

    • janeiro 3, 2010 às 5:55 pm

      Bom, vamos por partes –
      Se o debate é constatar se existe ou não sobrenatural, gostaria de saber se isso é possível determinar e que critérios usaríamos para dizer onde acaba o natural e começa o sobrenatural. Ao meu ver não é algo simples de se fazer, visto que para mim “sobrenatural” não existe – onde pensam ser algo sobrenatural eu diria que são fenômenos desconhecidos por nós. O fogo já foi algo sobrenatural para os homens da antiguidade, hoje sabemos manipulá-lo e como surge, os processos químicos. A chuva já foi algo sobrenatural e hoje já sabemos o que a origina e como acontece. Todos os fenômenos que não temos respostas seriam considerados sobrenaturais, de maneira imprecisa (ao meu ver). Caso prefira exemplos mais extremos (que eu nem sei se tu acredita) podemos utilizar dos espiritas e pessoas que afirmam incorporar espiritos. O próprio Chico Xavier ao meu ver foi um fenômeno intrigante. Acontece que se pessoas com “poderes sobrenaturais” de fato existissem como dizem por ai pelo mundo, pq até hoje aquele desafio de 1 milhão de dólares para quem passar por uns testes não foi vencido? Seriam os possuidores dessas habilidades nobres demais para exibi-lás por dinheiro? Oras, passe no teste e doe o dinheiro para uma caridade logo não seria condenado por utilizar um “dom” por proveito próprio…
      Mais uma vez você pergunta da verdade. Mais uma vez te responderei – Não sei. A priore não sei nem ao exato definir verdade. Se pensa que a ciência lida com verdades, mais uma vez lhe digo – não. Como você mesmo viu, o artigo da quiralidade contra-argumento teorias/hipóteses e estudos. Acho ótimo a ciência ter espaço para isso. Diferente do teísmo, onde dogmas são incontestáveis.
      Se me perguntar se acredito no diabo, lhe direi que não. E não, não somente o deus cristão, mas qualquer deus. Acontece que na sociedade que me encontro o deus cristão é muito forte. Eu não acredito em Alá também muito menos em Zeus. Só que não faria muito sentido eu ficar criticando o islamismo, visto que ele é pouco difundido aqui no Rio de Janeiro/Brasil, onde eu moro. Já igrejas evangélicas/católicas encontro a rodo por aqui.
      Logicamente também, não queria comparar a força de Marketing do cristianismo com satanismo. Sei que satanistas existem, mas pelo menos nunca vi uma igreja satânica aberta ao público com cultos todo domingos. Cara assista um Silas Malafaia ou um R.R. Soares, que possuem seus cultos transmitidos pela televisão aberta. A famosa sessão “sai caroço”.
      Mais uma vez lhe pergunto qual sua crença? És evangélico? Católico? Muçulmano? Wicca?

  8. 13 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 9, 2010 às 2:13 pm

    A ciência já avançou muito, mas apenas catalogou e transformou elemenentos já existentes: desenvolveu a televisão e o rádio através do domínio do eletromagnetismo. Pela dominação do laser, desenvolveu dvd, cd. Através da manipulação genética, construiu clones, etc. A partir do experimento de Urey e Miller, entrou no campo da criação, ou seja, ela quer criar algo que ainda não existe. Nesta área, o avanço Urey-Miller é o único significativo, assim mesmo pode ser contestado. Voce está certo ao colocar a questão do que antes era sobrenatural para o Homem e hoje não é mais, mas isto é o simples resultado da exploração do mundo real. O problema para a ciência é que ela tem de mostrar se é ou não criadora de vida. Precisa também demonstrar como o inorgânico foi criado: tudo é formado por átomos. Como surgiram? Qual a origem da força que mantém coeso o núcleo?

  9. 14 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 9, 2010 às 2:22 pm

    Respondendo à sua pergunta, eu não sigo nenhuma Igreja. Procuro ouvir pregações sobre a Bíblia e Deus e tirar minhas conclusões.

  10. 15 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 9, 2010 às 9:05 pm

    Sobrenatural é o que está além das leis naturais
    A ciência criou, por leis naturais, alguns aminoácidos, mas aminoácidos incapazes de formar vida; além disso, não tem a mínima idéia de como criar DNA. A formação da vida está, para a ciência, pelo menos até agora, fora do domínio das leis naturais;
    a vida é, portanto, sobrenatural.
    Enquanto algo não aparece como domínio do natural, para o Homem está no domínio do sobrenatural, assim como a chuva ou o fogo, na antiguidade.
    O meu pensamento é o seguinte: se algo é dito sobrenatural, você deve investigar as causas para saber se realmente está fora do domínio do natural , mas não pode descartar logo de saída o sobrenatural, pois isto é idéia pré-concebida.
    Ninguém pode explicar a formação da vida, nem dar hipóteses que respondam às diversas perguntas sobre as origens, mas os materialistas descartam logo de saída a possibilidade do sobrenatural. Se eles não podem provar que a vida foi criada por processos naturais, por que, então, descartam o sobrenatural? Se dizem que os criacionistas vêem Deus em tudo, eu posso dizer que os materialistas vêem processos naturais em tudo. É difícil encarar algo sem idéias pré-concebidas, mas é o ideal. Se você pesquisa algo já com a idéia de defender a formação da vida por processos naturais, pode perder uma boa oportunidade de encontrar algo esclarecedor favorável ao outro lado; o mesmo vale para os criacionistas.

  11. 16 REMBRANDT DONIZETTE CASTRO
    janeiro 17, 2010 às 4:30 pm

    Gostaria de sintetizar tudo o que eu penso:
    Âs ciências exatas evoluíram muito e podem evoluir muito mais. Explorar o mundo à nossa volta, descobrir como ele funciona, podendo transformar seus elementos para que nos dêem conforto e outras facilidades é algo positivo e essencial.
    Esta evolução tem-nos afastado de muitas superstições e crenças errôneas, como a crença na geração espontânea, em catástrofes enviadas por deuses, etc; não nos afasta, porém, da crença em Deus. Esta não se apega a superstições nem na negação da ciência, ao contrário. Posso mostrar.
    UM phd em química chamado Charles McComs postou um artigo criticando o experimento de urey e Miller, experimento este que resultou em 13 dos 20 aminoácidos que formam as proteínas. Ele toca no ponto da quiralidade. Segundo ele, aqueles aminoácidos deveriam ser formados unicamente pelo isômero óptico levógiro, o que não é possível por reações naturais; os aminoácidos que os dois pesquisadores criaram não tinham, portanto, potencial para gerar vida.Outro lado da questão é o dna, que nenhum pesquisador conseguiu chegar nem perto de criar. As moléculas dos nucleotídeos, para terem potencial à vida, precisam ser formados unicamente pelo isômero óptico destrógiro, o que, mais uma vez, não é possível por reações naturais. Não é possível, nem um nem outro, pelo seguinte: reações naturais formam sempre uma mistura dos dois isômeros, sem exceção. McCombs faz outras observações, como o fato de alguns materialistas dizerem que o processo de formação da vida ocorreu há muito tempo, por isso as condições eram completamente diferentes. Isto é crer numa explicação sobrenatural, ele comenta, não em dados científicos. Para quem quiser ler o artigo, aí está o endereço:
    http://techjunior.wordpress.com/2009/03/15/a-evolucao-espera-que-voce-nao-saiba-quimica-o-problema-da-quiralidade/.
    Outra evidência são as impressões digitais. Elas são únicas em cada indivíduo da Terra. Nunca foram encontradas duas pessoas com as mesmas impressões digitais, nem pessoas ligadas na árvore genealógica, nem pessoas sem ligação alguma. Minha afirmação é que, se os processos de formação da vida fossem naturais, ocorrendo mutações aleatórias, a sequência do dna responsável pelas impressões digitais deveriam repetir-se, pelo menos algumas vezes, em bilhões e bilhões de nascimentos. De acordo com os estudos, podemos afirmar que os próximos dois bilhões de bebês nascidos na Alemanha terão impressões digitais diferentes entre si. Se tivéssemos uma sequência de números da megassena, poderíamos afirmar que, daqui a dois bilhões de jogos, a sequência com certeza não se repetirá?
    Quanto mais as ciências exatas avançam, mais aumentam os argumentos criacionistas. Se não tivéssemos as informações das impressões digitais, o argumento de mutações aleatórias seria muito mais forte, pois tiraria o problema da probabilidade de nunca ocorrer igualdade em bilhões e bilhões de vezes. Se não tivéssemos a evidência que McCombs apresentou, o experimento de Urey e Miller, aliado à teoria da Evolução, levaria o Homem a considerar questão de pouco tempo a prova final de que a vida surgiu por processos naturais; com esta apresentação do phd em química, entretanto, o experimento dos aminoácidos cai por terra como qualquer evidência, mesmo porque se descobriu que a ocorrência de aminoácidos no Universo é comum; eles criaram, portanto, algo comum. Seu único feito foi ter catalogado um processo para formar aminoácidos.
    fim da primeira parte do manifesto, no qual eu expus fatos que nos aproximam de Deus.

    .
    Na segunda parte, farei perguntas e especulações:
    O Universo era eterno, ou surgiu num instante, como diz o Big Bang? Se era eterno, tornou-se perceptível a partir de determinado momento. Por quê? Seria o “faça-se a luz”?
    De acordo com a teoria do Big Bang, as leis da física não se aplicavam antes da grande explosão. Como tudo explodiu? Que força ou forças fizeram a massa inicial explodir? Esta massa inicial era um único átomo de hidrogênio? Eu especulo que a força que fez a matéria inicial explodir era e é Deus, a não ser que existissem antiforças, que, por sua vez, formaram um antiátomo de hidrogênio.
    consideremos o problema da quiralidade, que expus na primeira parte, resolvido. Como os aminoácidos começaram a se mover e a se fundir para gerar proteínas? E a matéria-prima do dna, como se fundiu? O vento? Tsunamis?
    O dna, considerando que se formou, como se fundiu a outros elementos para formar uma célula? Mais uma vez o vento? E posteriormente, como se especializou gradativamente, formando seres pluricelulares cada vez mais complexos? Moléculas externas vieram em seu auxílio? Processos incríveis da natureza? Lembre-se de que as moléculas estavam sujeitas a condições naturais. Iam e vinham de acordo com o vento, ondas do mar, deslocamentos de terra; insolação poderia modificá-las.. Já existia a camada de ozônio? Caso não existisse, as primeiras formas de vida viveram, por milhões de anos, debaixo da terra? Então não vieram da água?
    O Homem evoluiu de um hominídeo X. A natureza precisaria de que um outro hominídeo evoluísse da mesma maneira, fazendo a mesma sequência de DNA necessária para formar um ser-humano, diferenciado apenas pelos órgãos reprodutores. forma-se a mulher, considerando que o macho surgiu primeiro. Não bastaria, pois, um casal para a espécie crescer. Um ou mais bebês só nasceriam em nove meses após ao ato que engravidasse a fêmea. Durante este tempo, um predador poderia devorar a primeira fêmea, o macho ou, após o nascimento, o bebê; mas este teria de viver para gerar descendentes e mais descendentes. Com quem ele geraria mais descendentes? Outros casais eram necessários à espécie. Quantos casais mais surgiram? A evolução era não-planejada, mas a natureza sabia ter de conseguir sequências iguais de dna necessárias para formar seres-humanos várias e várias vezes, reproduzindo bilhões e bilhões de sequências, sempre na mesma ordem; mas tudo isto, veja bem, deu-se por processos não-planejados.
    E a reprodução? Como passou para a forma sexuada? Por que várias espécies apresentam tempo de gestação diferente?
    A estas perguntas, eu espero algumas respostas, porque aquele que faz uma defesa veemente de um pensamento, deve ter muito mais a dizer sobre ele do que falar do experimento Urey e Miller, Evolução, mutações genéticas, etc, considerando que isto prova a não-existência de Deus.
    Eu especulo que, após dar aos aminoácidos e às moléculas de dna a quiralidade correta, Deus criou uma ordem que levou a certas situações previsíveis. É como colocar peças de dominó a distâncias adequadas para, ao ser empurrada a primeira, todas cairem. Esta ordem, na minha hipótese, foi conseguida, pois foi planejada. Ordem no não-planejamento pode existir? Quem diz sim, deve pensar em algum fato concreto que mostre tal possibilidade. Conseguida esta ordem, Deus não precisou intervir na criação de tempos em tempos, como diz a teoria do Design Inteligente.
    Neste modelo, a evolução é completamente compatível com a criação de Deus. Eu tenho dúvida sobre o papel da seleção natural. a seleção natural que eu conheço é aquele observada por Darwin nas ilhas Galápagos. Darwin Observou esta seleção em seres já prontos, não em evolução. Seleção natural durante a evolução, tenho dúvidas. É claro, no meu modelo, ela não aconteceu.
    Estas são apenas perguntas e especulações. Não demonstram nada.As especulações podem ser falhas, mas tenho direito a elas, já que ninguém tem respostas. Portanto, peço para que ninguém considere que minhas perguntas têm como resposta inequívoca: foi Deus. São apenas especulações e perguntas.
    Eu não uso lacunas para colocar Deus. Lacunas são lacunas. Podem vir a ser preenchidas com o avanço da ciência. Quando isto acontecer, tomarei posição, pois já não teremos lacunas, mas fatos.
    Como eu demonstrei na primeira parte, minha fé baseia-se no conhecimento. Primeiro eu conheço cientificamente, para depois tomar uma posição em termos de fé. É fé baseada no conhecimento. Se conhecimentos novos vierem a contradizer tudo em que creio, mudarei minhas convicções, pois basear-me-ei em novos conhecimentos, que desmentem os que tenho.
    A Bíblia não fala nada sobre ciência: formação dos átomos, da vida, do sistema solar, etc. No meu entender, Deus escreveu a Bíblia, por meio de homens, para falar de aspectos humanos da criação; falar das relações entre os seres-humanos e entre estes e Deus; além disso, Ele quis deixar que o Homem explorasse o mundo à sua volta. É saudável descobrir coisas novas.

  12. 17 raffaesuasideias
    maio 2, 2010 às 2:31 am

    Li o post e vi que, na verdade, e pela palestra que você assistiu, tendeu a abordar a existência de Deus pelo método científico. O método científico é produto de muitos filósofos epistemologistas, e, em função disso, eles tentam validar as coisas (Deus, no caso) como “verdade” ou “mentira”, ou então como “crença”, “verdadeiro conhecimento” e “conhecimento”.

    A epistemologia e a metafísica me levam a crer que Deus é apenas incognoscível. Leia sobre filósofos como Kant, por exemplo, metafísicos. Te levarão a crer que a existência de Deus é tão provável quanto improvável.

    Sobre a prova da existência de Deus, os gregos foram os mais sábios. Na pesquisa pelos constituintes da matéria, várias perguntas foram feitas. Em algum ponto surgiu a pergunta: e de onde a matéria surgiu? E o universo? O universo surgiu do nada?

    Alguma coisa pode surgir do nada?
    Ou então: tudo sempre existiu? – implica dizer que o tempo não teve início! entende?

    Em alguma momento tudo surgiu, e pode não ter surgido do nada. Se Deus é aquele dito criador, aí vai da fé de cada um… O fato é que tudo, ou nada, teve alguma origem, logo é possível concluir que existe um criador. Quem ele é, do que ele é formado, como ele pensa, o que ele faz – isso é incognoscível.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: