10
nov
09

Sujeito

Bem mais uma vez o meio acadêmico influencia um post. Recentemente na aula de sociologia e cultura, temos de realizar uma tarefa utilizando dois conceitos chaves – Amor (mais relacionamentos o foco) e Sujeito pós-moderno. Para tal lemos uns capítulos de um livro de Stuart Hall e um quadrinho chamado “Espinafre de Yukiko”. Não entrarei em detalhes do quadrinho, mas falarei um pouco de meu entendimento até então da idéia de fragmentação do sujeito contemporâneo.

Sujeito – fragmentos?

Uma das principais características defendidas por Stuart Hall em seu livro é da pluralidade de um sujeito. Em uma explicação simples – o sujeito pós-moderno está constituido de diferentes identidades. Muitas destas levam o mesmo a incoerências. Ilustraria isso de uma maneira bem simples – Imagine um ponto e deste ponto saíssem vetores nas diversas direções possíveis. E com forças diferentes também. Isso seria uma leve idéia dessas “opiniões” e “identidades” que causam a fragmentação do sujeito. Como se o “puxassem” para caminhos distintos, no final deixando-o “perdido”. No livro ele ilustra isso com um caso prático. Não irei me aprofundar como o autor.

O sujeito fragmentado pelo que entendi constitui incoerências a nível de identidade (não consegui imaginar uma fragmentação sem que haja incoerência de idéias). Não que isso seja de fato algo “negativo” a priore. Talvez a idéia de sujeito fragmentado venha de uma contestação do “ser humano” em qual razão de ser? De estar aqui? Por que existo?

Uma coisa não ficou clara para mim. Eu entendi até certo ponto a fragmentação do sujeito, mas não consigo imaginar o sujeito antigo como “não” plural. Poderia ser plural em menos aspectos como hoje (devido a difusão de conhecimento, globalização e outros fatores), mas provavelmente sempre foi. Creio que como citou um amigo meu, não é o sujeito que está fragmentado agora, mas sim a visão acadêmica que mudou em relação ao “eu”. Os estudos sociológicos/antropológicos caminham nesta direção em boa parte.

Logicamente iremos achar escritores que discordam dessa fragmentação e porventura da visão de Stuart Hall. Perfeitamente possível até, visto que é uma hipótese (o que Stuart deixa bem claro no primeiro capítulo, acho ótimo cientistas/estudiosos terem esse cuidado ao apresentar suas idéias). Confesso que ainda não peguei nada que discordasse dessa idéia de “pluralidade” do sujeito para ler ainda.

O assunto está bem “fresco” ainda para mim. Portanto se o post ficar sem uma noção de “conclusão” é normal. Não tenho ainda uma conclusão minha do que seria de fato essa visão de sujeito plural/fragmentado. Irei avançar um pouco mais a respeito desses conceitos e pretendo trazer o que for descobrindo para vocês, caros leitores!

Abraços a todos e boa semana!

Anúncios

0 Responses to “Sujeito”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Aterro Sanitário

Lixo da Vez - Ronaldo o FENOMENO?!

Oi, queria agradecer ao espaço cedido pelo amigo e também entusiasta da copa, Bocadoogro.
Vocês sabem que eu sempre fui brasileiro desde que nasci no Brasil. Gosto muito do brasil e vou curtir muito assistir a copa do meu telão de cinema na minha casa lá na europa.

Mas vim aqui para um assunto mais importante. Essa palhaçada toda de protesto a respeito de usar dinheiro da copa para fazer hospital. Amigo, repito e disse, não se faz copa com hospital! Precisamos de estádio. Esse dinheiro que foi pro estádio não iria para hospital. Se não fosse pela copa o estádio nem o hospital existiria.

Vocês reclamam de hospital, não entendo! Sempre que fico gripado ou preciso de médico o Sírio-Libânes tá lá de boa. Não entendo essas reclamações. Neste ponto eu apoio meu amigo Pelé, grande sábio. Vamos esquecer essas bobeiras e focar na copa.

Grande abraço para vocês, do Ronaldinho Fenômeno.


%d blogueiros gostam disto: